continente
Novo Banco 2020
“O sonho passa por ascender ao nível acima daquele que nos encontramos” “O sonho passa por ascender ao nível acima daquele que nos encontramos”

Nélia Barreira, coordenadora do futsal feminino do CD Santa Clara

“O sonho passa por ascender ao nível acima daquele que nos encontramos”

Nélia Barreira continua como a tarefa de coordenar a modalidade no feminino, no Clube Desportivo Santa Clara. Em entrevista ao nosso jornal fala da importância do futsal ter passado a ser organizado pela Associação de Futebol, mas actualmente “o sonho passa por ascender ao nível acima daquele que nos encontramos”.

Federação cria fundo de 4,7 milhões de Euros

Apoio ao futebol e futsal não-profissional

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) decidiu dar por concluídas, sem vencedores, todas as competições seniores por si organizadas, nomeadamente Campeonato de Portugal, competições nacionais de futsal e futebol feminino.
Ciente das dificuldades com que se debatem quase todos os clubes amadores - e acima de tudo consciente da real possibilidade de muitos deles serem forçados a fechar portas na sequência dos problemas financeiros provocados por esta paragem forçada -, a FPF lançou um fundo de apoio ao futebol e futsal não-profissional no valor de 4,7 milhões de Euros.
A FPF está a negociar com a banca e os seus parceiros a melhor forma de financiar esta verba, que, no entendimento dos respetivos dirigentes, poderá ser crucial para ajudar os emblemas mais sólidos a ultrapassarem esta fase.

Condições

Aqui fica o modo como funciona o fundo e as condições para o apoio:
- Fundo chega a clubes de seis competições: Campeonato de Portugal (cerca de 28 mil Euros por clube); Liga BPI (cerca de 28 mil Euros por clube); II Divisão Feminina (cerca de 6 mil Euros por clube); Liga Placard (cerca de 19 mil Euros por clube); II Divisão Futsal masculino (cerca de 5 mil Euros por clube); Campeonato feminino futsal (cerca de 19 mil Euros por clube).
- Valores diferentes para os clubes das diferentes competições. A FPF teve em conta a dimensão dos plantéis e a diferença de encargos médios entre primeira divisão e segunda divisão.
- Clubes têm de solicitar ajuda e podem candidatar-se ao fundo até 30 de Abril.
- Para se candidatarem, clubes têm de provar que têm tudo em dia até ao mês de Fevereiro.
- FPF paga em duas tranches: Maio e Junho.
- Para receberem tranche de Junho, os clubes têm de provar que pagaram Março e Abril.
- Clubes não podem ter recorrido ao Fundo de Garantia Salarial do Sindicato de Jogadores.
- Clubes comprometem-se a manter o mesmo número de equipas/escalões que tinham esta época também na seguinte.
- O valor emprestado, sem juros, é a pagar em quatro anos: primeira tranche a pagar é 10 por cento do valor, em Junho de 2021. Tranches vão subindo ao longo dos anos.
- Se o clube for cumpridor durante quatro anos e mantiver o número de equipas/escalões receberá como prémio não ter de pagar a última tranche de 25 por cento.
- Sindicato de Jogadores e Associação Nacional de Treinadores de Futebol colaboram na monitorização.
 

First696697698699701703704705Last
Todas as capas
Edição de 22 de Setembro de 2020
Almanaque 2020

Editorial

Maria Corisca

  • 20 setembro 2020
  • Autor: CA
  • 13 setembro 2020
  • Autor: CA
  • 6 setembro 2020
  • Autor: CA

Opinião

…ou a síndrome do beco sem saída…