Documento base para Estratégia Açoriana para a Energia 2030 vai estar em consulta pública até 3 de Dezembro

A Estratégia Açoriana para a Energia para o horizonte 2030 (EAE 2030) visa garantir “energia segura e acessível” a todos os açorianos, projectando “um futuro económico e social robusto, com empresas cada vez mais dinâmicas e inovadoras, geradoras de emprego qualificado”, estando o documento em consulta pública até 3 de Dezembro. Esta é a opinião de Marta Guerreiro, que falava no Museu Hidroelétrico da Praia, em Vila Franca do Campo, na apresentação do documento para discussão pública sobre a EAE 2030, adiantou que este documento “servirá de base ao debate estruturante que se pretende desenvolver neste âmbito, de forma a balizar os termos em que a Estratégia se irá desenvolver”. “O desenvolvimento deste documento, elaborado por uma equipa multidisciplinar, resulta de trabalho no terreno, mediante visitas a diversos empreendimentos que promoveram a auscultação com os sectores de atividade regionais”, acrescentou. Marta Guerreiro salientou que a EAE 2030 pretende “dotar os Açores de políticas públicas com capacidade de resposta às necessidades de uma região insular, arquipelágica e ultraperiférica, explorando as potencialidades oferecidas pelos recursos naturais e pelas tecnologias emergentes no sector da energia”. A Secretária Regional frisou que, através das políticas definidas por esta Estratégia, “o sector energético irá impulsionar a transição para uma economia de baixo carbono”, que implica a “descarbonização prioritária” da produção de energia eléctrica e do sector dos transportes terrestres, o que permitirá melhorar “a qualidade ambiental da Região, indo ao encontro dos compromissos internacionais de Portugal nesta matéria”. “Esta Estratégia tem por base os princípios da suficiência e eficiência energética, da descarbonização da produção de eletricidade, bem como da electrificação de diversos sectores consumidores de combustíveis fósseis”, afirmou. “Com o objectivo de fomentar a massificação da mobilidade suave, elétrica e partilhada na Região, estamos a conduzir os nossos esforços e a impulsionar a integração de fontes de energia renováveis e endógenas no sistema electroprodutor dos Açores, cuja representatividade registada no primeiro semestre de 2018 foi superior a 41%, valor que reflete o sucesso das opções políticas que estão a ser tomadas e que contribui para o nosso posicionamento além-fronteiras na matéria”, sublinhou. A titular da pasta da Energia salientou que a EAE 2030 está a ser construída “mediante constantes abordagens inovadoras, encarando a energia de forma integrada e inclusiva” e, neste sentido, para efeitos da sua materialização, a energia é colocada em diálogo permanente com os demais sectores, com as famílias e empresas açorianas, com investigadores e investidores, descentralizando, assim, a definição das políticas públicas e descurando uma abordagem tecnocrata em salvaguarda das reais necessidades de energia dos Açorianos”. A Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo, através da Direcção Regional da Energia, disponibiliza para consulta pública o documento sobre a Estratégia Açoriana para a Energia 2030, em http://www.azores.gov.pt/Gra/sreat-dre/conteudos/destaques/2018/Outubro/EAE2030.htm. O Governo vai realizar sessões de esclarecimento sobre esta matéria, de forma a promover o envolvimento de todos os Açorianos na definição das políticas públicas no sector energético.
Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima