“Que seja como o filme de “Rocky Balboa”

O treinador do Santa Clara, na inédita conferência de imprensa realizada no Mercado da Graça, em Ponta Delgada, disse que nestes jogos costuma dizer “serem como o filme da saga “Rocky Balboa”. O Benfica é o Ivan Drago, com todo o poderio, e nós o Rocky. Temos de fazer da nossa união a nossa força para combater a diferença de condições. A administração do Santa Clara trabalha ao máximo para melhorar as condições, mas há ainda muito trabalho pela frente”. 
O entusiasmo que se vive não passa despercebido ao treinador, que classifica de “natural” porque “são muitos anos fora da Primeira Liga, a equipa está bem e a corresponder às expectativas das pessoas para conseguir manter-se na Liga”,  assegurando estarem “a fazer o nosso caminho com as muitas dificuldades que temos”.
“É mais um jogo importante para nós, porque são três pontos que estão em disputa perante um adversário difícil. É uma equipa que ainda está na luta pelo título, mas vamos ter de fazer pela vida, porque nós ambicionamos muito conquistar rapidamente a manutenção, daí estes pontos para nós serem muito importantes”, concluiu o raciocínio sobre a partida do inicio da noite de hoje
Questionado se acredita que será um Benfica fragilizado após a saída de Rui Vitória, respondeu que “fragilizado nunca é, porque o Benfica pode estar melhor ou menos bem mas é sempre uma equipa muito forte e temos consciência disso. Após a saída de Rui Vitória conquistou três pontos e fez uma exibição convincente. É disso que estamos à espera”.
Sobre a carreira do Santa Clara, que está a surpreender, principalmente pela carreira fora de casa, João Henriques referiu ser “uma equipa que tem vinte e seis golos e jogamos sempre com os olhos na baliza do adversário. É isso que queremos continuar a fazer”, reafirmando a necessidade “de melhorar os aspectos defensivos, para não darmos tantos golos aos adversários.”
“Gostamos de dar espectáculo e queremos que as pessoas que vão estar no estádio de São Miguel saem satisfeitas. É isso que fazemos em todos os jogos e este não vai fugir à regra. Vamos ser uma equipa ambiciosa, com identidade, carácter e sempre com a ambição de fazer cada vez melhor e este melhor é mudar o que tem sido os resultados no estádio de São Miguel”, analisou o que pretende para o Santa Clara.
João Henriques tocou num ponto sensível, quando falou da falta de condições. Para não haver especulações, esclareceu: “O Benfica queixa-se que não tem o Jonas, mas ontem não treinámos no estádio porque havia um corta-mato escolar à tarde e a nível de logística isso não nos permitiu treinar lá de manhã. Tivemos de andar à procura de um campo para treinar. Apesar de todas as dificuldades que temos, também temos as nossas armas e isso faz com que haja mais entusiasmo por parte das pessoas.”
O técnico reafirmou que “a Região merece estar na Primeira Liga e merece ser representada pelo Santa Clara, que está no lugar que merece estar”, adiantando saber, à partida “das dificuldades que iríamos passar nesta competição e elas existem. Estamos a corresponder com muito trabalho, organização e com muito empenho, porque não temos ainda a condições ideais para estar neste patamar”, fazendo mais uma comparação: “Isto é como uma orquestra. Podemos ter grandes músicos e um grande maestro, mas sem instrumentos não toca.”
Apesar das claras queixas a nível de condições de trabalho, João Henriques deixa um elogio ao empenho dos jogadores e da administração: “Apesar das dificuldades correspondemos com empenho, organização e um grupo muito unido em prol do projeto do Santa Clara. É pena que não exista o mesmo empenho de todas as partes, mas isso foge um bocadinho da esfera da administração”. 
Respondendo à pergunta de estava preocupado com o estado do relvado, depois das chuvas, disse João Henriques estar “muito preocupado com o estado do relvado, mas, mais do que o relvado, estou mais preocupado com as condições que nós temos para trabalhar. Nós somos das equipas com grandes dificuldades neste campeonato para trabalhar e termos argumentos iguais aos que os outros têm. Isso é realmente prejudicial.”
João Henriques abordou a ausência de Jonas, reconhecendo a sua grande qualidade, mas aponta também para as ausências no Santa Clara de Thiago Santana e de Osama Rashid.

 

Print

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima