Escola Profissional INETESE “é uma decisão política pensada no amanhã e no futuro das populações jovens”, defende Cristina Calisto

O Presidente do Governo anunciou o reforço da aposta na formação de activos, que vai garantir formação a cerca de 18 mil trabalhadores açorianos até final do próximo ano. Vasco Cordeiro falava na inauguração da Escola Profissional da Lagoa do INETESE – Instituto de Educação Técnica.
“Posso anunciar que, até ao final do próximo ano, vamos reforçar esta aposta, proporcionando formação a cerca de 18 mil trabalhadores açorianos, contribuindo para a melhoria do desempenho das suas funções, para uma maior realização profissional e, consequentemente, para um maior sucesso das nossas empresas”, afirmou Vasco Cordeiro.
 Na inauguração deste novo estabelecimento de ensino profissional, localizado na cidade da Lagoa, o Presidente do Governo salientou que, também tendo em conta a importância que tem a qualificação de activos para a competitividade da economia regional, em 2017 e 2018, através do Plano Operacional dos Açores, foram alocados à formação de activos mais de meio milhão de euros, abrangendo cerca de 3.700 trabalhadores açorianos.
 Depois de salientar a iniciativa da Câmara Municipal de Lagoa de reforçar a oferta formativa de proximidade no concelho, Vasco Cordeiro adiantou, por outro lado, que o fomento de novas competências dos Açorianos constitui um pilar fundamental para o aumento do nível de empregabilidade na Região, uma estratégia que, para ser concretizada em todo o seu potencial, obriga a que, cada vez mais, se reforcem as parcerias entre entidades públicas e privadas.
 “É, aliás, neste sentido que temos procurado reforçar a articulação com as escolas profissionais, em particular no sentido de adequar a sua oferta formativa às necessidades do mercado de trabalho regional”, referiu.
 Segundo disse, o Governo dos Açores tem feito, assim, uma aposta determinada em políticas activas de emprego também ao nível da formação profissional, enquanto instrumento para reforçar a empregabilidade dos Açorianos e, simultaneamente, fortalecer a competitividade das empresas.
 “Basta, aliás, referir que, de 2014 a 2018, essa aposta na formação profissional representou um investimento público de cerca de 100 milhões de euros. Na prática, nestes quatro anos, esse investimento permitiu a mais de 8.300 jovens e a açorianos em situação de desemprego obterem uma qualificação profissional, ficando, desta forma, melhor preparados para ingressarem no mercado de trabalho”, destacou o Presidente do Governo.
 De acordo com Vasco Cordeiro, a prova de que a formação é uma ferramenta essencial à obtenção de um primeiro emprego ou de um melhor emprego, é que, desde 2014, a taxa de empregabilidade dos alunos que concluíram cursos profissionais ou cursos do programa Reativar tem vindo a crescer todos os anos.
 “Em termos médios, no ensino profissional a taxa de empregabilidade regional situa-se já em cerca de 70 por cento, segundo os últimos dados enviados ao Eurostat”, sublinhou.
 Na sua intervenção, o Presidente do Governo destacou, por outro lado, a necessidade das entidades públicas e privadas e, sobretudo, cada cidadão, reforçar uma cultura que valorize a qualificação.
 “Essa é uma responsabilidade de cada um de nós. Uma sociedade mais qualificada começa em cada família açoriana, porque, se a esse nível, valorizarmos a formação, a qualificação e a educação, estamos a dar um contributo fundamental para que isso seja, cada vez mais, uma realidade na nossa Região”, concluiu o Presidente do Governo. Por seu turno, a Presidente da Câmara Municipal de lagoa assumiu que a Escola Profissional INETESE é uma decisão política pensada no amanhã e no futuro das populações jovens na Lagoa.
Um equipamento, segundo referiu, que proporcionará actividade formativa na Lagoa, potenciando a qualificação profissional dos recursos humanos, cuja empregabilidade concorre para o desenvolvimento sustentado do concelho e da região. Esta cerimónia contou com a presença do Presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro e da Presidente da Câmara Municipal da Lagoa, Cristina Calisto e do Presidente do INETESE, João Câmara. 
Na ocasião, a autarca Cristina Calisto aproveitou este momento para enaltecer que a Lagoa “atravessa um momento diferente, num rumo que trará uma nova realidade ao concelho”. De acordo com a autarca, a fixação desta escola profissional foi “uma decisão pensada no amanhã, no futuro das populações jovens, e naquilo que se espera da nova geração num futuro próximo”. 
A Escola Profissional de Lagoa da INETESE, confere à Lagoa, segundo a Presidente, “uma nova resposta educativa”, para além dos inúmeros projectos que já existem em parceria com as escolas. Este novo projecto serve, assim, para “implementar medidas que possam suportar a melhoria educativa do nosso concelho, numa perspectiva de qualificação dos recursos humanos. Novas dinâmicas económicas e novos investimentos privados estão a surgir no concelho. E, por isso, esta escola é um suporte importantíssimo para o enquadramento dos recursos humanos, da valorização da nossa população, para garantir e consolidar o nível produtivo das nossas empresas”.
 O Presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, felicitou “esta iniciativa pela nova etapa da vida da INETESE, que vai melhorar a qualidade da formação administrada”. Congratulou, assim, o Município de Lagoa pelos “diferentes níveis de desenvolvimento muitos e vários instrumentos estruturantes para o percurso do progresso económico e social que vem encetando, desde o sector da saúde, passando a produção e transformação, até ao turismo”. Enalteceu “o contributo da liderança competente, esclarecida e determinada da presidente Cristina Calisto”.
Refira-se que, o edifício foi alvo de obras de adaptação para o dotar dos meios necessários não só para a execução do projecto educativo, orientado por critérios de renovada qualidade e inovação, mas também para a melhoria das condições de trabalho da comunidade escolar, de forma a promover a qualidade e a notoriedade do percurso educativo dos alunos. As novas instalações dispõem de 6 salas de aula (incluindo a de informática); 7 casas de banho (1 para pessoas com mobilidade reduzida); de hall de entrada; recepção; serviços administrativos; gabinete de direcção pedagógica; gabinete médico; 3 arquivos; gabinete de direção financeira; sala de formandos e sala de formadores. 
Criado no ano lectivo 2002-2003, o INETESE tem assumido um papel de relevo na formação de inúmeros jovens açorianos dotando-os de saberes e competências ajustados às solicitações do mercado de trabalho. Determinada em proporcionar uma oferta formativa consentânea com as reais necessidades das entidades empregadoras, a Escola tem no seu referencial educativo/formativo uma diversidade de áreas de formação. Entre elas, releva-se o comércio, a contabilidade e fiscalidade, a gestão, a administração, o secretariado e trabalho administrativo, o turismo e os transportes.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

x
Revista Pub açorianissima