Alexandre Gaudêncio defende o segundo lugar

PSD/Açores quer Mota Amaral em “lugar cimeiro” na lista nacional ao Parlamento Europeu

O Presidente do PSD/Açores defendeu que Mota Amaral deve ocupar um “lugar cimeiro” na lista nacional do partido ao Parlamento Europeu, alegando que “merece essa consideração” pelo elevado prestígio que tem no país.
 “Gostaríamos de ver o Dr. João Bosco Mota Amaral num lugar cimeiro na lista. Quanto mais cimeiro melhor. Paulo Rangel já foi anunciado como cabeça de lista e merece o nosso apoio. Não ficaria nada mal se o Dr. Mota Amaral viesse logo a seguir, em segundo lugar. É uma pessoa que merece esse respeito e consideração”, afirmou Alexandre Gaudêncio.
O líder social-democrata, que falava à margem de uma reunião da Comissão Política Regional, salientou que Mota Amaral se “enquadra no perfil de candidato que foi traçado: com larga experiência, peso político a nível nacional e que defenda os Açores acima de qualquer interesse pessoal ou partidário”.
Alexandre Gaudêncio destacou o prestígio nacional que Mota Amaral alcançou ao longo da sua carreira, nomeadamente como Presidente da Assembleia da República e do Governo Regional dos Açores.
 “Mota Amaral tem um vasto currículo e pode ainda dar muito aos Açores e a Portugal. Nesta nova fase da União Europeia, Mota Amaral pode ajudar bastante a Região e o país”, disse.
O Presidente do PSD/Açores acrescentou que Mota Amaral reúne todas as condições para ser uma “voz assertiva” na defesa do arquipélago no Parlamento Europeu, lembrando que se trata da personalidade que “impulsionou o conceito de ‘Região Ultraperiférica’, reconhecido em sucessivos Tratados da União Europeia”. O nome de Mota Amaral foi indicado, no final de Janeiro, como candidato do PSD/Açores ao Parlamento Europeu, numa decisão unânime da Comissão Política Regional do partido.
 

Líder do PSD manifesta preocupação pelo facto de os Açores terem a taxa de desemprego jovem mais elevada taxa do país

O Presidente do PSD/Açores manifestou ontem preocupação pelo facto do arquipélago ter a taxa de desemprego jovem mais elevada taxa do país, tendo considerado que a governação socialista não está a aproveitar a conjuntura económica favorável a nível nacional e europeu.
“Neste momento a taxa de desemprego jovem nos Açores já atingiu os 32,7 por cento. Um em cada três jovens açorianos está desempregado”, afirmou Alexandre Gaudêncio, no final de uma reunião com a Mesa de Turismo da Câmara de Comércio e Indústria da Horta, no âmbito das Jornadas Parlamentares do partido.
O líder dos social-democratas açorianos, que citava os dados revelados esta semana pelo Instituto Nacional de Estatística, salientou que a elevada taxa de desemprego jovem nos Açores revela “a falência das políticas deste Governo Regional”.
“O Governo Regional não está a saber capitalizar a conjuntura favorável do resto do país e da Europa”, sublinhou.
Alexandre Gaudêncio destacou também que a taxa de desemprego na Região, no final de 2018, “ficou acima da média nacional pelo sexto ano consecutivo”.
“Não é de bom tom haver responsáveis políticos deste Governo Regional a dizer que tudo é um ‘mar de rosas’. Apesar de uma diminuição, a evolução dos dados do desemprego nos Açores não está a acompanhar o resto do país”, considerou.
O Presidente do PSD/Açores acrescentou que o partido “está a trabalhar em propostas credíveis” em matéria de emprego, “de forma a apresentar-se como alternativa em 2020 e fazer com que a Região mude de rumo”.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

x