Azores Rallye 2019 apresentado

Emoção e espectáculo estão prometidos

A prova, organizada pelo Grupo Desportivo Comercial, conta com o apoio dos vários municípios da ilha de São Miguel e do Governo Regional, prometendo satisfazer todos aqueles que gostam de emoções fortes e espectacularidade em quatro rodas. 
O rali mantém as 15 provas especiais de classificação (pec), que este ano terão um total de 219,04 km cronometrados. Sobre os 12 quilómetros a mais em relação ao ano passado, o director de prova, António Medeiros, referiu que as expectativas são as de  “manter a prova ao nível que estava” e, em alguns aspectos, “alterá-la de forma a torná-la mais competitiva, que foi o que se tentou fazer este ano”.  
Quanto às alterações que o Azores Rallye sofreu em termos de troços e com o regresso de outros, o director referiu “serem uma mais-valia, principalmente ao nível dos pilotos, porque tornará a prova mais competitiva uma vez que estava a ser muito repetitiva nos últimos anos, perdendo a competitividade”. Com as modificações o rali deste ano “será diferente para todos”, havendo “partes iguais e partes diferentes pelo que acaba por ser uma prova completamente diferente para aqueles que têm vindo ao nosso rali nos últimos anos e já o conheciam muito bem”.
Instado a comentar sobre o troço Mediana/Remédios, António Medeiros adiantou ter sido “uma tentativa de aproveitar as sinergias de algumas empresas que decidiram colaborar connosco, tornando-se numa classificativa muito rápida, com umas zonas de saltos e julgo que em termos de espectáculo vai ser muito interessante e muito próxima de Ponta Delgada, mesmo no centro da ilha”.
Sobre o regresso da prova especial de classificação Coroa da Mata, referiu apresentar-se “numa versão mais comprida e vamos recuperar uma parte que fazíamos antigamente. O piso está mais consolidado, uma vez que não foi utilizado ao longo destes anos e com o grande esforço da Direcção dos Serviços Florestais e da Direcção Regional de Obras Públicas, estão a conseguir fazer um excelente trabalho. Se não chover em demasia vai ser um excelente troço”.
Debruçando-se sobre os cortes que sofreu o Azores Rallye, uma vez que saiu a Azores Airlines como patrocinador principal, o director do rali pensa que não irá afectar a vinda de alguns pilotos estrangeiros porque “está a ser organizada normalmente e a parte que me compete, que é a parte técnica, está a ser organizada exactamente igual aos anos anteriores, sendo a nossa preocupação a segurança, no posicionamento do público e dos carros, para que o rali não traga qualquer tipo de preocupação. Sabemos que o risco existe, temos é de tentar minimizá-lo. Um outro aspecto é o de preservarmos o ambiente, como retornarmos o lixo e as garrafas. Por isso estamos a fazer um trabalho junto com as Câmaras, no sentido de nos disponibilizarem alguns contentores para se colocarem nas zonas de maior afluência do público. Temos recolhido milhares de quilos de lixo após o rali e isso não é bom para a nossa ilha e para a nossa paisagem verde. Portanto, lanço daqui um apelo neste sentido: preservar o nosso ambiente.”
Quanto à lista de pilotos, António Medeiros não levanta a ponta do véu: “as inscrições estão a decorrer normalmente e como sabe os pilotos aguardam mais para o fim para fazerem a sua inscrição. Ainda é um bocado cedo para falarmos disso”.

 

Print

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima