Alexandra Melo, a mariense que foi surpresa na selecção

“Quero evoluir como guarda-redes”

Porquê o futsal?
Conjuntamente com os meus pais fui a um treino do Gonçalo Velho de futebol de 7. Fui para aquilatar como me saía como jogadora de campo. Tinha seis anos de idade. Com o passar dos meses concluiu que não me adaptava ao futebol e decidi jogar futsal, mas já a  guarda-redes, com a orientação do treinador Márcio Costa.
Dada a minha idade comecei nas escolinhas do GD Gonçalo Velho no ano de 2013, mas agora sou orientada pelo treinador Miguel Teves.

Os pais foram determinantes nesta ainda breve caminhada?
Sim. Quero agradecê-los por me colocarem a jogar futsal com rapazes, mas também aos directores e aos treinadores do Gonçalo Velho pela confiança depositada para defender a baliza do clube.

 Na curta experiência do futsal o que mais lhe marcou?
Foi em Dezembro de 2017 quando fui ao Benfica. Após contactos do meu pai com uma ex-jogadora do clube, consegui lá estar para ser observada. Treinei com os juvenis femininos do Benfica durante alguns dias para testar os conhecimentos adquiridos em Santa Maria. Irei recordar com saudade esta minha curta passagem pelo Benfica.

Como vê o futuro do futsal em Santa Maria? 
Com o número reduzido de equipas em Santa Maria, e mais concretamente no escalão onde jogo (iniciados), a evolução não é muita para se progredir. Faltam mais jogos e intercâmbios com equipas mais evoluídas.

       Foi com surpresa que recebeu a convocação para estar na selecção de Sub 14 da AFPD?
Foi com muita alegria que recebi a notícia pela minha convocação para participar no torneio regional. Sei que não é fácil jogar com colegas que já têm mais jogos na presente época, mas tenho muita vontade de aprender para evoluir como guarda redes de futsal. Após o jogo com a AF Horta fiquei a fazer um treino específico com o treinador dos guarda-redes, sr. Carlos Silva, o que me agradou imenso.

 No jogo de estreia com a AF Horta o treinador Rodrigo Macedo pô-la a jogar na segunda parte. O que sentiu quando entrou para o jogo? 
Como é lógico fiquei um pouco nervosa. Não sofri nenhum golo e defendi dois bons remates do pivot da equipa da AF Horta que podiam ter dado golo. Foi uma estreia positiva e espero que o treinador Rodrigo Macedo aposte mais em mim.

Face a esta convocação e à estreia na selecção, o que a espera no futuro? 
Vou continuar a trabalhar mais e melhor com o meu treinador no Gonçalo Velho e esperar que o seleccionador continue a apostar em mim para defender a baliza da selecção da AFPD. Que este intercâmbio saudável deste fim-de-semana seja um de muitos para adquirir mais traquejo e evoluir mais como guarda-redes de futsal.          

                                               

José Araújo 
 

Print
Autor: CA

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima