Restaurante Caldeiras encanta com o seu cozido degustado em local paradisíaco

Nesta nossa incursão até à Freguesia da Ribeirinha não quisemos deixar passar a oportunidade de pararmos nas Caldeiras da Ribeira Grande, onde, infelizmente, o acesso continua como no passado.
E sobre esta realidade, a proprietária reportou-nos que a responsabilidade é do Governo Regional dos Açores que já melhorou o escoamento das águas, “mas muito há ainda a fazer”, porque quando chove, o piso, em calçada torna-se escorregadio e traiçoeiro para os automobilistas. Esta realidade tem sido reportada pelos inúmeros visitantes que para ali se deslocam.
Contrastando com essa interpretação dos factos, deparamo-nos com um Restaurante totalmente renovado com uma sala, à entrada, com capacidade para 70 pessoas e um piso superior que pode albergar até 120 pessoas. A decoração, com cores quentes, para contrastar com os dias mais escuros nesta estação do ano, vai mudar de visual na Páscoa, alegrando-se ainda mais no Verão.
E porque a inovação significa criar algo de novo, “na sazonalidade, que já não se nota assim tanto, fazem-se doces e biscoitos”, para agradar a todos durante o ano inteiro.

Ementa para todos os gostos
 
Maria Cabral de Melo, de 58 anos de idade, diz que “nos últimos anos o negócio tem melhorado, onde “o cozido é o nosso ex-libris e temos também os nossos buracos geotérmicos, que foi uma realidade alcançada com o apoio da edilidade da Ribeira Grade”.
O Restaurante Caldeiras, situado no Largo das Caldeiras da Ribeira Grande, apresenta-se envolvido por um conjunto paisagístico formado num vale atravessado por uma ribeira.
É um espaço moderno e muito agradável, bastante amplo e possui esplanada, onde se dá especial relevo ao cozido, confeccionado a escassos metros do restaurante.
Possui na sua ementa pratos de carne e peixe fresco, destacando-se a grelhada mista. Possui um rico menu de entradas, confeccionadas à base de produtos regionais – chouriço, morcela, pé de torresmo ou ananás – o que consideramos iguarias a não perder.

Cozido com cunho pessoal

O Cozido não é igual ao das Furnas porque “gosta de dar um cunho especial, nomeadamente a disposição de alguns elementos que favorecem o sabor”. Por outro lado, os enchidos também ajudam “porque são da Ribeira Grande”. É como aquele sabor, cuja fama já vem de longe!
“O Cozido tem ainda alguns pormenores que fomos ajustando ao longo do tempo. Quem cá vem gosta e nada melhor do que isso, ou seja, sentirmos que o cliente gosta”.
Se no passado iam lá muitos turistas, agora mais ainda. “Noto a presença de mais estrangeiros. Espanhóis, alemães, dinamarqueses, holandeses, franceses e mais recentemente, muitos mais norte-americanos”. 
O mercado nacional é de igual modo um cliente habitual, individual ou em grupo.
 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima