Valorização das pastagens permite cortar custos de produção

 
A valorização da pastagem nas explorações leiteiras pode proporcionar uma considerável descida nos custos de produção, ao permitir cortar em adubos e rações.
Esta ideia foi defendida por José Viana, da Direcção Regional da Agricultura, nas XII Jornadas Agrícolas da Praia da Vitória, que se realizaram, no passado fim-de-semana, na Agualva.
José Viana recordou que o rendimento dos produtores é composto por ajudas ao rendimento, ao investimento e pelo resultado anual da exploração. “É preciso reflectir sobre o nosso modo de produção. São as nossas pastagens as mais produtivas e as mais adequadas à alimentação animal?”, começou por questionar.
Frisou que há pastagens e formas de as gerir que permitem um menor número de novas sementeiras e a diminuição da utilização de adubos azotados e de rações, “cujas matérias-primas são todas importadas”.
Na sua intervenção, que se intitulou “Melhoramento de Pastagens”, advogou a valorização das pastagens, sobretudo com leguminosas, que fornecem maior quantidade de nutrientes para a alimentação dos animais e são eficientes em termos de custos. José Viana deu o exemplo dos trevos de grande dimensão. “As leguminosas têm uma característica excepcional, que é fazerem uma simbiose com uma bactéria, que tira o azoto da atmosfera do solo e fornece aos trevos. Ainda o deixa na terra, para as gramíneas”, explicou.
“Um hectare gramíneas com leguminosas fixa entre 100 a 300 quilos de azoto por ano. Isto representa 370 quilos a 1100 quilos de um adubo nitro 27%. Podemos poupar isso através dos trevos. São 117 euros a 350 euros por hectare, por ano”, precisou. 
As leguminosas são mais digestivas, com mais fibra (ajudando à ruminação) e ricas em proteína, cálcio e fósforo, fundamentais para a produção de leite. São ainda mais resistentes à seca.
“Estamos neste problema do preço do leite... Nos próximos dez anos, não se devem esperar grandes alterações no preço do leite. Devemos dar especial atenção à diminuição dos custos de produção”, sustentou. A utilização das pastagens protege o ambiente e favorece o bem-estar animal. Outra vantagem, apontou José Viana, é os produtos obtidos a partir da pastagem serem mais valorizados pelo consumidor.

DI/CA
 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima