7 de abril de 2019

Recados com Amor

Meus Queridos! Eu sou das pessoas que continuam fiéis aos jornais e por isso leio todas as semanas o Jornal “A Crença”, que tenho lá em casa desde os tempos dos meus progenitores, que traziam um exemplar depois da missa dominical, porque a Igreja era como que uma distribuidora do Jornal católico para quem desejasse… Isto para dizer que continuo a ser uma fiel leitora e nestes últimos números tenho-me deliciado a ler as histórias contadas pelo novel Director, padre José Paulo Machado… adorei o editorial de dia 5 de Abril, onde ele faz uma resenha sobre o comportamento de muitos padres na atribuição da comunhão ou não … de acordo com o humor ou com a preferência do presbítero de serviço… São coisas que eu já conhecia, mas ditas por um padre têm mais sabor… fazem compreender a onda anticlerical que grassa de uma ponta à outra… Isso nada tem a ver com a fé e a comunhão com Deus…


Meus Queridos! Ainda não me habituei ao adiantar da hora desde o passado Sábado, e só espero que o Governo do meu querido Primeiro-ministro António Costa não vá na cantiga da Comissão Europeia… que quer manter a mesma hora de Verão e de Inverno, tudo isso para benefício dos ditos países do norte… Cá por mim bem podem manter a mesma hora para os países que ficam a norte, mas que deixem em paz os do sul, e parem de querer tornar igual o que é diferente….    


Meus queridos! Quero mandar daqui um ternurento beijinho aos três cientistas que em dia de anos de Ponta Delgada foram homenageados pela Câmara do meu querido Presidente Bolieiro, professores Linhares Furtado, Frias Martins e Victor Hugo Forjaz. Num tempo em que se vive descartando tudo e todos… reconhecer os méritos alheios, é como encontrar uma agulha num palheiro… e, estas distinções são um sinal de que a sociedade aprecia e dá valor a quem tanto tem feito pela ciência, pelas pessoas e pela terra. Daí o meu propósito de registar este momento nos meus recadinhos, com muita pena de não ter lá estado com o meu vestido azul-bandeira, porque “a casamentos e baptizados só vão os convidados”... Manda a verdade que se diga que os 473 anos de Ponta Delgada foram bem festejados e até os vários paquetes de turismo que encheram o porto ajudaram à festa … Até a minha prima da Rua do Poço diz que recebeu uma prenda de anos da Câmara do meu querido presidente Bolieiro, pois que já andava há meses a pedir que pintassem as passadeiras da Rua Eng. José Cordeiro, mesmo em frente da Cadeia da Boa Nova, e esta semana lá estiveram a pintar e ficou tudo um “brinquinho”! Até que enfim!


Ricos! Juro que já não posso ouvir falar em pais, filhos, tios, primos, mulheres e maridos nomeados para cargos políticos. O pior é que como todos têm telhados de vidro, o feitiço quase sempre volta-se contra o feiticeiro. A única coisa que ainda não se ouviu foi que fossem nomeadas sogras para assessorarem os genros. Só falta! De resto, nestas coisas nada como ter um pouco de equilíbrio tanto de quem está no poder e sofre da velha tentação de gostar de ter o próximo… próximo de si… E não se pense que isto é coisa da alta política. Mesmo em juntas de Freguesia e câmaras se nota esta atracção. Até se conhece o caso de uma freguesia onde a mulher e o pai do Presidente lá trabalham. E não vem nenhum mal ao mundo por isso…. pelo menos que se saiba. E no caso do Ministro do Ambiente, cujo Secretário de Estado nomeou um primo para o gabinete, para dar exemplo e como sempre acontece, lá rebentou o elo pelo lado mais fraco, ou seja, lá se foi o primo e lá se demitiu o Secretário de Estado. Mas pior do que isso tudo é o meu querido Presidente Marcelo que tem uma pecha de falar sobre tudo e sobre todos, veio a quente dizer que é preciso mudar a lei em nome do escrutínio atento dos cidadãos… O Presidente da República, político inteligente como é, e homem sábio do Direito, não se pode esquecer que nunca se deve legislar a quente… Ao povo cabe reivindicar e até agora denunciar com razão e sem ela… mas, aos políticos e parlamentares cabe legislar com o necessário distanciamento do imediatismo e ruído que a abençoada tecnologia hoje permite fazer… Marcelo Rebelo de Sousa secundou o Primeiro-ministro António Costa, que no debate na Assembleia da República para amortecer a porrada… veio dizer que a Comissão de Ética da Assembleia tem de estudar os limites parentais quer no Governo quer na Assembleia… Qualquer dia, para se exercer política só se forem estéreis… até à terceira geração… Tenham dó!.. nem tanto à terra nem tanto ao mar… e sabem que nessas coisas de compadrio sou implacável…


Ricos! Disse-me a minha prima da Rua do Poço que leu um comunicado da Junta de Freguesia de São Pedro de Ponta Delgada a dizer que devido às obras que estão a decorrer na Escola da Mãe de Deus, onde é costume ficarem instaladas as mesas de voto da maior freguesia de Ponta Delgada, as votações este ano vão decorrer no lado norte da Escola Roberto Ivens. Como se sabe toda aquela rua da Mãe de Deus não tem um lugar disponível para estacionamento, muito menos num Domingo do Santo Cristo. Compreende-se que não poderia ser na parte da frente da Roberto Ivens porque por ali passa a procissão do Senhor e as coisas iam complicar-se, mas não haveria em São Pedro um lugar mais prático para os popós dos eleitores? Não sei porque é que não foram pedir um espaço à Universidade dos Açores que tem um parque que seria um incentivo para os eleitores… Em Domingo do Santo Cristo e sem lugar para parar o popó, não estou a ver muita gente a votar. Mas os números hão-de dizer!
Meus queridos! Não sou mulher entendida nessa coisa da política dos combustíveis, porque a única coisa que sei é mandar colocar uns euritos de gasolina no meu velho popó, mas estou a ver as dores de cabeça dos empresários do sector que se vêem confrontados com as contínuas mudanças da lei e dos preços e que agora até dão para ser em três dígitos, coisas que as máquinas nem aguentam e obrigam os concessionários a fazer arredondamentos que há sempre quem conteste… Mas o que se sabe é que cada vez mais longe vão os tempos em que gasóleo, gasolina e gás eram verdadeiramente mais baratos nos Açores. Agora andamos a reboque dos mercados e o que é mais curioso é que eu até já aprendi quando os preços sobem ou descem, sem precisar de ler os comunicados do Governo. Quando sobe o preço, o título é sempre o mesmo: Governo “actualiza” preço dos combustíveis… Quando desce, aparece logo: Preços dos combustíveis “descem” nos Açores… Quem sabe, sabe! É marketing!


Meus queridos! Lá para os lados do hemiciclo de São Bento, o sempre activo deputado António Ventura perguntou esta semana o que é feito do processo que foi apresentado em 2013 para a classificação dos bailinhos de Carnaval da Terceira, como património imorredouro… Disse, em reposta, a Ministra da Cultura, que ainda estavam a estudar… Passados 6 anos e não sei quantos ministros, é caso para dizer que temos classificação para 50 anos… Mas também não é de admirar. Já há anos estão a resolver o problema de isentar os mesmos bailinhos de direitos de autor e nada se consegue, como é que vão acelerar a classificação… Como sempre se disse, o tempo dos políticos nada tem a ver com o tempo das pessoas… Só há uma coisa que é rápida: quando se cria um imposto, taxa ou taxinha, é rápido e vigora a partir da véspera… São sortes!


Meus queridos! Cada vez me convenço mais que há uma estratégia de comunicação lá para os lados do rectângulo que não gosta da gente, porque se gostasse não continuava na ignorância que todos os dias se vê por aí.  A gente olha para esses canais de televisão, mesmo para aquele que por ser serviço público deveria estar mais atento e só vemos disparates. Trocam os lugares das ilhas, confundem os Grupos, metem as cidades em ilhas diferentes e não sei mais quê. Ainda esta semana, com os pequenos sismos que se fizeram sentir em São Miguel, logo apareceram nas televisões e nos jornais, as parangonas de que “a terra treme nos Açores”… Pois claro que é nos Açores, mas o que é que custa dizer, na ilha tal ou tal? Parece que é mesmo para cumprir a tradição de que Açores só são notícia quando há sismos ou temporais… Querem eles lá saber que por via dos seus exageros haja quem cancele uma vinda para uma ilha qualquer? É o que temos!

Print
Autor: CA

Categorias: Maria Corisca

Tags:

x
Revista Pub açorianissima