3 de maio de 2019

Alienação do capital social da EDA na Norma Açores revelou incompetência”, diz António Vasco Viveiros

O Grupo Parlamentar do PSD/Açores quer ouvir, na Comissão de Economia, e no âmbito do processo de alienação do Capital da EDA na Norma Açores, a Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo, assim como o Presidente do Conselho de Administração da EDA, considerando que “aquela foi uma iniciativa que se revelou ineficaz e inconsequente”, e que confirmou “a mera incompetência de quem teve responsabilidades na elaboração do seu caderno de encargos”, adiantou, em nota à imprensa, o deputado António Vasco Viveiros.
 “Face à incerteza quanto ao futuro do processo, e temendo que possam estar em causa interesses essenciais, o Grupo Parlamentar quer que aqueles dois responsáveis prestem os necessários esclarecimentos”, disse o social democrata.
 António Vasco Viveiros sublinha que “a incompetência, a ineficácia e a inconsequência têm sido marcas comuns deste Governo na elaboração de processos semelhantes. Aliás, isso já aconteceu com a venda do capital da Azores Airlines”, refere.
 O deputado do PSD/Açores disse igualmente que, durante estes processos, o normal funcionamento das empresas “fica prejudicado e, no caso concreto da Norma, por via da sua área de actividade, isso poderá mesmo afastar potenciais clientes, face à incerteza gerada quanto ao seu futuro”.
 “Para além, e não é menos importante, dos danos na estabilidade e motivação dos seus colaboradores”, acrescentou.
 António Vasco Viveiros defende que “as alienações de capital devem ser transparentes, céleres, e devem garantir um conjunto de interesses transversais para a nossa Região e para os sectores onde se inserem as empresas e bem assim para os seus trabalhadores”.
 “Infelizmente, e também nesta matéria, a estratégia do Governo tem sido de puro amadorismo”, conclui o deputado.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima