8 de maio de 2019

5ª edição com escolas dos Açores

Poeta de Cabo Verde apadrinha poesia em forma de ilha no Funchal

Ao fim de cinco anos, em que cada edição representou mais uma etapa alcançada, a CRIAMAR –Associação de Solidariedade Social para o Desenvolvimento e Apoio a Crianças e Jovens, com sede no Funchal, e reconhecida oficialmente como Instituição de Utilidade Pública, congratula-se por reunir todos os arquipélagos da Macaronésia à volta da Poesia juvenil, naquilo que é uma iniciativa inédita em Portugal.
Este concurso de Poesia e Poesia Visual, destinado aos alunos de 3.º ciclo e secundário dos arquipélagos da Madeira, dos Açores, de Cabo Verde e, na presente edição, também das Canárias, tem o alto patrocínio da Presidência da República Portuguesa e o apoio das Secretarias de Educação dos Açores e da Madeira, do Ministério de Educação de Cabo Verde e da Consejería de Educación y Universidades das Canárias e pretende ser uma forma de dar voz aos jovens poetas insulares macaronésios.
Nesta 5.ª edição, o CriaPOESIA atingiu a sua meta final, integrando as Canárias, tornando-se, assim, num Encontro Juvenil da Macaronésia subordinado à Poesia, em que haverá o intercâmbio dos jovens, nomeadamente aquando da cerimónia anual de entrega de prémios, no Funchal, e de um ‘cruzeiro poético’, ao Porto Santo, eventos para os quais estão convidados todos os concorrentes. Pela natureza da nossa Associação (que não tem fins lucrativos), o processo tem sido paulatino: na 1.ªedição, entendida como ano-piloto, foram convidadas apenas algumas escolas da Madeira e Açores; na 2.ª,o concurso estendeu-se a todas as escolas madeirenses, bem como às das ilhas de São Miguel e Faial; na 3.ª,abrangeu-se todo o arquipélago açoriano, para além do madeirense; por fim, a 4.ª edição contou já com jovens de Cabo Verde.
A filosofia desta iniciativa integra, para além do concurso, a possibilidade de reunir todos os participantes num único espaço físico, num ‘fim de semana poético’, em maio (nesta edição, será a 11 e12/05/2019). Como já foi dito, o programa divide-se em dois grandes momentos: no sábado, realiza-se a cerimónia de entrega de prémios, com a presença das escolas participantes (e também seus familiares e amigos, uma vez que a cerimónia é pública), bem como dos altos representantes das entidades acima mencionadas e o padrinho da edição; no domingo, decorre um ‘cruzeiro poético’ até à ilha de Porto Santo, em que prevalece o intercâmbio e partilha de culturas e experiências de cada jovem envolvido, naquilo que pretendemos que seja uma celebração da amizade e do conhecimento e aceitação do outro. No ano letivo 2015/2016, a Organização juntou cerca de 200 participantes, entre alunos e professores, no Encontro propriamente dito (no referido cruzeiro) e contou com o apadrinhamento por parte do poeta José Agostinho Baptista. Já em 2016/2017, o número de participantes na viagem aumentou para 300(madeirenses e açorianos), sendo o padrinho dessa edição o escritor Valter Hugo Mãe, presente na cerimónia
de entrega de prémios. No ano letivo transato, a iniciativa bateu o recorde de 600 concorrentes a bordo do navio «Lobo Marinho», provindos de vários concelhos da Madeira, Açores e Cabo Verde. O apadrinhamento coube ao ator Pedro Lamares, presente na cerimónia de entrega de prémios, tendo esta também contado com a presença de algumas centenas de participantes (incluindo um grupo de alunos e professores vindos dos Açores e outro de Cabo Verde) e com os Secretários da Educação da Madeira e dos Açores, bem como da Ministra da Educação de Cabo Verde.
Este ano, o padrinho será o escritor cabo-verdiano José Luiz Tavares, o mais recente vencedor do prémio INCM/Vasco Graça Moura, cuja presença na cerimónia está já confirmada, bem como dos representantes governativos do pelouro da Educação dos arquipélagos envolvidos. Quanto ao ‘cruzeiro’, sabe-se que levará cerca de 500 alunos e professores (dos quais aproximadamente 150 chegarão dos Açores, Canárias e Cabo Verde) até à ilha dourada, para um dia dedicado à partilha e à poesia. No cômputo final, a CRIAMAR consegue este feito único no país, nomeadamente no que concerne à ação de uma associação privada: promovendo a leitura e a escrita, cerca de 650 jovens, oriundos de 17 ilhas, aceitaram o repto criativo, arregaçaram mangas e deram voz e espírito à sua verdade individual, à sua poética pessoal. Assim, graças a essa coragem e à expressão artística de cada um, a História e as tradições fundiramse, unindo os arquipélagos, e de 17 passámos a sentir uma só ilha, a da Poesia.

 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima