Produtores de banana nos Açores terão este ano acréscimo de 30% no valor da ajuda no âmbito do POSEI, anuncia João Ponte

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas anunciou, em São Miguel, que será paga no final de Junho a ajuda do POSEI relativa à produção de banana em 2018, cujo montante global será o maior de sempre. “O valor da ajuda relativo à produção de 2018 que será pago no final de junho será de 46 cêntimos, o que significa um acréscimo de 30% em relação ao valor pago no ano anterior, apesar de ficar ainda aquém do valor da ajuda prevista no POSEI”.
 O governante, que falava à margem da visita a um produtor de banana no concelho de Vila Franca do Campo, sustentou que 2018 foi um bom ano de produção de banana, acrescentando que, só nos últimos quatro anos, o crescimento da área de cultivo deste fruto, comercializado interna e externamente, foi superior a 8%.“Este ano, a produção deverá ser menor devido à seca registada na Região em 2018, com consequências no ciclo de produção do fruto, mas tem-se verificado uma subida do preço pago ao produtor e, logo, uma maior valorização da produção”, frisou o Secretário Regional, citado numa nota do GaCS.
 João Ponte assegurou que o Governo dos Açores vai continuar a garantir, no âmbito do POSEI, as dotações necessárias com vista à ajuda a esta produção, salientando que este ano foram já introduzidas melhorias, como a repartição do pagamento da ajuda em dois semestres e novos critérios de atribuição, com o intuito de reforçar os critérios de equidade e de justiça na repartição dos apoios públicos.
 O titular da pasta da Agricultura revelou que a portaria em vigor, que regula a atribuição da ajuda à banana, será revista, de modo a permitir que todos os produtores recebem o apoio, apesar das respectivas organizações de produtores não estarem ainda reconhecidas, pois, se assim não fosse, um conjunto de produtores ficariam penalizados.
 “O Governo Regional reconhece que a legislação, tal como estava, não protegia todos os agricultores por igual e optou por corrigir a situação em benefício dos produtores de banana”, afirmou .
      
Seguro de colheitas desperta interesse
João Ponte também afirmou que o seguro de colheitas, uma forma de apoio ao sector agrícola recentemente disponibilizada nos Açores, está já a despertar interesse por parte dos produtores de banana.
 “A Cooperativa Frutaçor, por exemplo, prevê, a breve prazo, avançar com a contratualização de um seguro colectivo de colheitas para todos os seus cooperantes dedicados à produção de banana”, referiu, adiantando que a Frutaçor constitui “um bom exemplo” para o sector agrícola pelo passo que pretende dar e por perceber que os seguros de colheita representam uma protecção adicional ao rendimento dos produtores e não mais um custo.
 “Os seguros de colheita são uma boa medida para o sector e para os agricultores porque contribuem para reduzir a sua exposição às consequências de fenómenos naturais adversos”, sustentou o governante, acrescentando que ao produtor cabe apenas pagar 30% do custo do prémio do seguro.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

x
Revista Pub açorianissima