Tiago Furna perdeu a Volta ao Faial/Pico

Tiago Furna não conseguiu ganhar a Volta às ilhas do Faial e do Pico em bicicleta por escassos 7 segundos, perdendo a hipótese de repetir o triunfo de 2018. Terminou em 2.º lugar, a mesma classificação de há dois anos, quando ficou a 5 segundos de Lucas Mendonça.
O ciclista natural de São Pedro da Ribeira Grande terminou atrás de Pedro Mendes, da Vulcal/Centro de Ciclismo de Centro, que foi o vencedor da prova com vitórias nas duas etapas realizadas na Ilha do Faial e sendo segundo classificado na longa etapa do Pico.
Nos 66 km que na Sexta-feira abriram a corrida, Tiago Furna ficou a 5 segundos de Pedro Mendes, ocupando o 5.º lugar. Nos 102,5 km do Pico o vencedor foi Miguel Pereira, também da equipa de Coimbra, com Mendes a terminar em 3.º a 45 segundos do colega de equipa. Furna foi 6.º com mais 2 segundos do que Mendes.
Estava tudo adiado para a etapa final, com 60 difíceis quilómetros entre a Horta e o alto da Caldeira. 
Os trepadores tinham mais possibilidades de atingirem o 1.º lugar. A missão de Tiago Furna era a de anular e de ultrapassar os 7 segundos que Pedro Mendes tinha de vantagem. 
Miguel Pereira, que possuía 51 segundos de avanço relativamente a Furna e arrancou para a 3.ª etapa com a camisola amarela, não estava talhado para a subida. Isso confirmou-se com o 13.º lugar e com os 6.57 minutos a mais do que os dois primeiros.
Numa corrida muito táctica e com a equipa da Vulcal muito empreendedora, os dois ciclistas cortaram a meta com 2h14m48s. Tinha fugido a vitória ao corredor micaelense com as cores da Fontinhas Activa/Promotora por 7 segundos.
José Nogueira, da equipa faialense do Ribeirinha Activa, terminou em 3.º e foi um importante animador da “volta”. Foi 3.º na etapa da Ilha do Faial e 5.º na que foi realizada na ilha do Pico.
Com mais de 50 anos de idade, João Cardoso, que durante anos foi o melhor ciclista dos Açores, continua a demonstrar a sua valia. Foi 7.º no alto da Caldeira e acabou a prova em 7.º lugar a 3.06 minutos do vencedor.
Outra prova com mérito foi a do “master” Délio Melo. Foi 5.º classificado.
Classificação final dos 10 primeiros após 3 etapas e após os 217,6 km: 1.º Pedro Mendes (Vulcal/Centro Ciclista do Centro), 6h29m53s; 2.º Tiago Furna (Fontinhas Activa/Promotora), a 07 seg; 3.º José Nogueira (Ribeirinha Activa/Ourivesaria Olimpo), a 35s; 4.º Miguel Nunes (Pedro Miguel Dinâmica/Seg mento Bike), a 2.09m; 5.º Délio Melo (Azores Skoda Cycling), a 2.22; 6.º Jorge Nunes (Juv. Lajense/Terauto), a 2.25; 7.º João Cardoso (Desp. Feteira), a 3.06; 8.º Bruno Medeiros (Clube Desportivo Operário Lagoa), a 4.57; 9.º Milton Resendes (Pedro Miguel Dinâmica/Seg mento Bike, a 5.42 e 10.º Álvaro Câmara (Azores Skoda Cycling), a 6.11m.
Classificaram mais 27 dos 42 ciclistas que iniciaram a edição de 2019.
Colectivamente venceu a Vulcal/Centro de Ciclismo do Centro, com 19h44m19s, seguida da Fontinhas Activa a 53 seg e da Pedro Miguel Dinâmica/Seg mento Bike, a 15.49m.
Pedro Mendes venceu os prémios da Montanha e da Juventude e Miguel Pereira os pontos das metas volantes.

FILIPE LOPES VENCEU NO CABOUCO

A segunda edição do Bispobikes BTT-XCE Eliminator teve lugar no Cabouco. Com 15 atletas inscritos, a prova acabou por ter emoção até ao final, com Filipe Lopes a levar a melhor no sprint final sobre David Morais e Pedro Coutinho. Cesário Ponte acabou por ser o quarto classificado.
A prova decorreu em formato eliminatório, disputando-se duas mangas de qualificação, quatro eliminatórias, duas meias-finais, uma final para a promoção, a grande final e ainda uma corrida para definir as posições entre o quinto e o oitavo lugar à geral.
Numa manhã primaveril, esperava-se um confronto interessante entre Gonçalo Estácio, Filipe Lopes, David Morais, Pedro Coutinho e ainda Roberto Gandarinho, os atletas que, teoricamente, se apresentavam em melhores condições para discutir a vitória.
As expectativas acabaram por se confirmar, com todos eles a se apurarem para as meias-finais.
Nesta fase, o azar bateu à porta do “explosivo” Gonçalo Estácio que acabou por cair logo após a primeira curva e acabou por ficar de fora da luta, embora seja de registar que, no cômputo geral, o melhor tempo de toda a prova acabou por lhe pertencer.
Apurados para a final foram então Filipe Lopes, David Morais, Pedro Coutinho e Cesário Ponte.
Na corrida decisiva, muito renhida por sinal, Lopes acabou por se superiorizar à concorrência, sendo mais forte no sprint final para bater Morais e Coutinho, com Ponte a chegar mais atrasado face aos três primeiros.
Numa organização da Bispobikes, em colaboração com a Associação de Ciclismo dos Açores e a São Martinho Cabouco, mais uma vez ficou comprovado o mérito da iniciativa, num evento que fechou com saldo muito positivo, pelo espectáculo, mas também pela forma como as corridas e tudo a elas afecto decorreu.
 

Print
Autor: CA

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima