“Sonho ser mais conhecido e pisar o palco de alguns grandes festivais dos Açores”

Correio dos Açores: Desde quando gostas de música?
Rudi Cardoso:O gosto pela música surgiu há muitos anos atrás… Em 2011, quis saber mais um pouco sobre DJ e como saber misturar, foi então que resolvi tirar um curso de Djs.

A música é a tua maior paixão?
Sim, a música é sem dúvida a minha verdadeira paixão. A música é muito mais do que um hobby para mim, porque tenho uma grande paixão por tudo o que diga respeito à música e não posso passar sem ela no meu dia-a-dia, porque faz parte de mim.

Quando começaste a fazer animação musical? 
Depois de ter terminado o meu curso de DJ, passei por alguns bares para ganhar alguma bagagem de estrada… No mesmo ano de 2011 fui convidado a ser Dj Residente do Escadas Bar, foi certamente o bar que me impulsionou mais nesta vida viver este sonho!

Porque decidiste tirar um curso de Dj?
Quis aprender o verdadeiro sentido de ser DJ, aprender com pessoas mais experientes na área como ser perfeccionista nas misturas, saber usar os materiais em questão. Afinal aprendi muito mais, pois lá aprende-se de tudo um pouco, pois ser DJ não é só misturar musicas!

Gostarias de poder produzir a tua própria música? 
Sim sem dúvida que sim mas, tenho consciência que isso é um trabalho demorado e se calhar deveria passar por alguma formação dedicada à produção musical. O futuro dirá…

Conta-nos quais os géneros musicais com que mais te identificas neste trabalho de Dj?
Fui evoluindo ao longo do tempo e, actualmente, a minha preferência de géneros musicais, são o House Music, afro-house, comercial e Regaeetoon. Tento sempre estar actualizado a vários níveis musicais, uma vez que temos que agradar e trabalhar com vários tipos de públicos que participam nas minhas actuações.

Tens tido apoio de outros colegas para evoluíres neste trabalho?
Graças a Deus que tenho tido apoio de alguns colegas, que não olham a preconceitos e costumam ajudar-me em algumas coisas que tenho mais dificuldade e também arranjam-me algumas datas… Este apoio é muito importante na minha carreira e assim sinto que tenho evoluído graças à disponibilidade dos colegas mais sensíveis às minhas fragilidades.

Quais os tipos de públicos que aparecem nas tuas actuações?
Aparece todo o tipo de público, mas sem dúvida alguma, o público mais jovem. Na minha opinião toda a música que passa na actualidade o público gosta e adere. É preciso estar muito atento à evolução dos gostos das pessoas, sobretudo dos jovens porque temos que ir ao encontro das suas preferências musicais.

Já partilhaste o palco ou a cabine com alguns nomes sonantes?
Ainda não partilhei o palco com muitos nomes grandes da música, mas sei que com trabalho irei lá chegar. Mas ficam aqui alguns nomes que os quais já tive o privilégio de pisar o mesmo palco e estar inserido no mesmo cartaz do evento, como foi o caso dos African Groove, Dj Calo, Play, Daduh King, Master Jake e mais alguns nomes.

Quais os sonhos que gostarias de concretizar no mundo da música?
Sonho em ser um pouco mais conhecido, pisar o palco de alguns grandes festivais dos Açores e ser mais respeitado. Sou realista e tenho os pés bem assentes na terra e sei do meu valor enquanto Dj e o impacto das minhas músicas junto do público que adere aos meus espectáculos.

Quais as tuas maiores dificuldades para se ter sucesso no Djing?
Acho que no meu caso, a maior dificuldade é mesmo o preconceito que a maioria dos promotores têm em eu ter um problema de saúde, mas que não me inviabiliza nada, até pelo contrário. Todos deveriam ser respeitados por aquilo que são e não para serem escolhidos pelas suas perfeições… Enfim, é o mundo que vivemos e graças a Deus tenho batalhado contra isso e tenho mostrado cada vez mais que com trabalho e com o nosso suor consegue-se atingir qualquer meta.

É fácil ser Dj?
Não há melhor sensação do que a de estar a passar música, seja ela em casa ou num bar… Sou feliz perto de uma mesa de mistura… Sei que ali daquele jeito e consigo transmitir aquilo que eu quero transmitir para as pessoas…

Quais os teus melhores sets?
Os meus melhores sets são, sem dúvida, o afro regaeetoon e comercial… Ando sempre actualizado a nível musical nos géneros que o meu público gosta de apreciar. 
Quais os palcos que te marcaram mais?
Apreciei todos os palcos por onde passei, mas gostaria de salientar um deles que foi recente, mais precisamente na festa do pescador, em que tive o privilégio de actuar para uma multidão de gente. Por outro lado, a Festa do Rosário, de São Sebastião e na Discoteca Chaminé, são outros palcos em que me senti realizado com o entusiasmo do público presente. 

Quais são as tuas referências em termos de trabalhos de Djs? 
Tenho várias referências a nível de Djs: Mastiksoul, Kevu, Mastikjay, Dj Barata, MeithdjAfricangroove, John Diaz, Hardwell, Play, Andre N, Luis Paiva, Afro 5, Kura, Afrojack, Dj Bruno G, Star Dj, Breyth, No Maka.

Qual foi a tua melhor actuação?
Uma das minhas melhores actuações foi nas festas de São Pedro da Ribeira Seca, da Ribeira Grande e claro em Rabo Peixe, na grande Festa do Pescador de 2018.
Não irei nomear nomes, pois poderia esquecer me de alguém, mas quero aproveitar esta oportunidade para agradecer de um modo geral a todas as pessoas que, apesar das minhas dificuldades, apoiam o meu projecto como DJ;à minha família pelo carinho e pelas preocupações; a todas as comissões de festas pela aposta no meu nome e sem dúvida agradecer a Deus por me ter dado este Dom.
              

Print

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima