Estátua de D. Afonso VI feita por Rui Goulart inaugurada no Monte Brasil

De forma a assinalar os 350 anos desde a chegada de D. Afonso VI a Angra do Heroísmo, onde ficou exilado durante cinco anos na Fortaleza de São João Baptista do Monte Brasil, foi inaugurada na ilha Terceira, na tarde da passada Sexta-feira, uma estátua de corpo inteiro daquele rei que ganhou o cognome “O Vitorioso”.
Materializando uma parceria entre a Câmara Municipal de Angra do Heroísmo e o escultor açoriano Rui Goulart, que embora seja natural da ilha do Pico é na ilha de São Miguel que reside e realiza todos os seus trabalhos, foi assim inaugurada às 16h00, hora exacta em que atracou em Angra do Heroísmo no século XVII, a 21 de Junho de 1669, a estátua do rei português.
Sendo este o mais recente trabalho do escultor, Rui Goulart descreve-o como “um desafio que correu bem”, tendo inclusive estudado ao máximo a personalidade que esculpiu, lendo tudo o que havia sobre D. Afonso VI para melhor compreender como seria a sua vida e os seus maneirismos, tendo inclusive visitado “os sítios onde ele esteve e viveu, embora já os conhecesse antes, como a ilha Terceira ou Sintra”.
No que diz respeito ao local onde foi colocado o monumento, o escultor natural do Grupo Central salienta que a autarquia não poderia ter optado por um sítio mais adequado, no Monte Brasil, uma vez que “este é um sítio que tem um enquadramento fotográfico e turístico fantástico”.
O exílio do rei terminaria em Setembro de 1674, tendo vivido durante os nove anos seguintes no Palácio de Sintra, diz a história que fechado nos seus aposentos e com servidores da inteira confiança do duque de Cadaval, vindo a falecer na manhã de 12 de Setembro de 1683, ao que tudo indica com tuberculose pulmonar.        

J.M.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

x
Revista Pub açorianissima