Rui Moniz apresentou-se como candidato à Presidência do Desportivo Comercial 

“Não somos candidatos contra ninguém”

Ex-director de provas, concorrente e comentador desportivo de ralis, Rui Moniz apresentou ontem, em Ponta Delgada, a candidatura à Presidência do Grupo Desportivo Comercial, que tem eleições marcadas para 17 de Julho.
“O anúncio desta candidatura tem como objectivo dar um sinal claro que existem pessoas que estão dispostas a trabalharem para assegurar a continuidade, por um lado, do clube, e, por outro lado, a continuidade da prova internacional”, referiu numa nota de abertura.
Num repto à união dos associados, Rui Moniz disse que “nestas alturas é preciso arregaçar as mangas e unir todos os associados à volta de um objectivo que se pretende comum a todos os associados do clube em particular e dos amantes da modalidade de uma forma geral”.
Salientou o candidato pretender uma candidatura “sem alaridos, de uma forma positiva, de uma forma construtiva, de uma forma credível, às claras sobre o que deve ser novamente o clube por um lado e, por outro, o rali do “europeu”.
Rui Moniz vincou que não irá fazer uma campanha virada para a crítica fácil. “Da minha boca não vão ouvir críticas seja a quem for, porque o clube, neste momento, precisa mais do nunca de serenidade. A Volta à Ilha, como alguns gostam de lhe chamar saudosamente, não é do Grupo Desportivo Comercial, não é de São Miguel, mas sim dos Açores”.
O antigo director de provas fez questão de destacar o interesse do Governo em manter a prova no calendário do Campeonato da Europa de Ralis porque “é público, através da Secretário do Turismo, que o Governo Regional tem todo o interesse e conta com o Rali dos Açores para a promoção da Região”, juntando a Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting.
“Por outro lado, e pelo conhecimento que tenho, tanto o Eurosport como a FIA, entidade organizadora do Campeonato da Europa, querem também que os Açores continuem a integrar o calendário, para também continuarem a divulgar as imagens espectaculares que todos temos visto e as lutas titânicas pela vitória nestas várias edições que têm vindo a realizar-se”, afirmou na referência à dúvida existente sobre a continuidade do Azores Rallye se a dívida não for paga oportunamente.
A finalizar a razão porque é candidato, Rui Moniz referiu estar “convicto poder encabeçar esta candidatura às eleições com uma equipa que oportunamente será apresentada, assim como do programa eleitoral, para que os associados possam conhecer quais são as nossas ideias para o futuro do Grupo Desportivo Comercial e do rali dos Açores.”

“PRESIDENTES COSTUMAM IR PARA A AG”

Questionado por este jornal se a sua candidatura está associada à actual direcção do Desportivo Comercial, funcionando como um ponta-de- lança, esclareceu: 
“Esta minha candidatura é independente e não é contra ninguém. Há uma equipa, também independente, que se está a formar. Não se trata de continuidade. O que se pretende é a continuidade do clube e do rali no campeonato europeu.”
À pergunta se Francisco Coelho vai figurar na sua lista noutro órgão, disse ter falado “algumas vezes com o senhor Presidente em exercício do Grupo Desportivo Comercial sobre o clube e sobre o Azores Rali para perceber também algumas questões que até há pouco tempo não eram do conhecimento público. Não sei quais são as suas intenções relativamente a uma eventual recandidatura, apesar dele próprio ter referido várias vezes que não iria recandidatar-se. Ao não recandidatar-se e se apoiar esta candidatura, verei isso com satisfação, como certamente qualquer outra candidatura. Neste momento não há qualquer comissão de apoio e os presidentes que cessam funções, como manda a tradição, costumam integrar a mesa da Assembleia Geral”.
 Sobre o conhecimento que tem sobre a actual situação financeira do clube, que dizem estar tecnicamente falido, Rui Moniz disse estar o clube “atravessando  momentos complicados, que são conhecidos, mas, penso eu, estão reunidas a condições para que se consiga ultrapassar e vamos tentar resolver todos estes problemas mas de uma forma serena e sem alaridos.” 
Como pensa resolver a crise financeira e pagar as dívidas para que o Azores Rallye possa continuar no Campeonato da Europa, Rui Moniz referiu precisar o clube “de uma equipa alargada de pessoas que tenha interesse pela modalidade e conhecimentos da sua vida pessoal e profissional que possam acrescentar mais alguma coisa ao clube, permitindo estabilizá-lo no sentido de resolver os constrangimentos que tem, agravados com a perda do principal patrocinador do Azores Rallye e com a  questão de tesouraria, embora saiba que ainda faltam receber apoios relativos a 2019.”
Rui Moniz não se comprometeu sobre a continuidade de António Medeiros como director de provas e se elementos que têm feito parte da Direcção em funções integrarão a sua lista.

 

Print

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima