Terceiro mandato para Marco Monteiro para novo ataque à II Liga

Reeleição aguardada de Marco Monteiro como presidente do Sport Clube Praiense. Candidato único às eleições da passada segunda-feira, o também Presidente da Sociedade Anónima Desportiva (SAD) parte assim para o terceiro mandato. Marco Monteiro está há quatro anos na liderança do emblema da Praia da Vitória.
A constituição da SAD e a aposta no setor da formação são tidos como avanços fundamentais ao longo dos últimos dois mandatos. Marco Monteiro afiança que nada se altera no departamento de futebol jovem, sendo que apenas a equipa sénior está abrangida pela SAD. O Presidente encarnado quer mesmo aumentar o investimento nos jogadores formados no clube.
"Queremos continuar a apostar forte na formação. Queremos ter presentes jogadores formados no clube, com técnicos competentes. Quando aqui cheguei, tínhamos cerca de 70 jovens jogadores. Agora temos quase 200. Quanto à SAD, foi criada para dar maior sustentabilidade ao clube e para podermos competir pela subida", salienta.

Subida

Desafio maior para este novo mandato continua a ser a subida à Segunda Liga de Futebol. Marco Monteiro confessa que este era o "objectivo primário" dos últimos quatro anos e lamenta o desfecho da última temporada.
"Esteve na nossa mão, mas nem São Pedro esteve connosco. Foi uma época brilhante e fomos mesmo imbatíveis em casa. Vamos continuar com a mesma ambição e o objectivo é ascender ao futebol profissional", refere.
Para tal, Marco Monteiro pede, também, alterações ao regulamento desportivo do Campeonato de Portugal. O Presidente do Praiense entende que é preciso acabar com o play-off e premiar com a subida todas as equipas que se classifiquem em primeiro lugar em cada uma das séries da competição.
"São 34 jornadas e quem fica em primeiro merece subir. É mais justo promover o mérito e não o contrário. Não se pode decidir uma época num só jogo. É uma injustiça", explica.
Quanto ao plantel que vai estar na série “C”, deve ficar praticamente fechado na próxima semana. Ontem ficou acertada a contratação do defesa direito Bruno Sousa, atleta de 23 anos com formação no Paredes e no Paços de Ferreira e que, na última época, se sagrou campeão nacional pelos Sub-23 do Desportivo das Aves. Certos estão também o defesa Weliton Matos, de 29 anos, ex-Vizela e que representou o Operário na época de 2014/2015, de onde saiu para o Torreense; o defesa Márcio Augusto, de 29 anos e ex-Oriental; o médio Ragner Paula, de 30 anos, ex-Vilafranquense, e o regresso do avançado micaelense Filipe Andrade, ex-Real.
Renovaram com o clube da Praia da Vitória Tiago Maia (g redes), Breno Freitas, Luciano Serpa e Itto Cruz (defesas), Diogo Moniz, Vitinha, João Peixoto e Dário Paiva (médios) e Magina (avançado).
Do lote de saídas, sabe-se que os defesas Michael Silva e Celso Raposo foram para o Cova da Piedade, os médios André Martins (Vilanovense), Kiko (União de Leiria) e Forbs (Loures) e os avançados Vasco Goulart (Fontinhas) e Danny Esteves (FC Clinceni, da Roménia).
O micaelense Diogo Fonseca colocou ponto final na carreira de 24 anos. Aos 34 anos de idade, o avançado tem um currículo invejável, onde se incluem subidas e divisão e títulos nacionais nas provas federativas e profissionais. Jogou em todas as divisões portuguesas. Começou no União Micaelense (4 anos), passando pelo Santa Clara (6 anos), Vitória de Setúbal, Operário, Maiorca e Granada (ambos de Espanha). Boavista, Desportivo das Aves, Tondela, Feirense, Académico de Viseu, Brasov (Roménia) e Oliveirense antes dos 3 anos no Praiense.
 

Print
Autor: CA

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima