Avaliação bancária da habitação desceu desceu 08% nos Açores em Junho

 Em Junho, o valor médio de avaliação bancária realizada no âmbito de pedidos de crédito para a aquisição de habitação, fixou-se em 1 272 euros por metro quadrado, mais 7 euros que no mês anterior. O valor médio de avaliação dos apartamentos subiu 10 euros quando comparado com Maio, para 1 353 euros o metro quadrado em Junho. Nas moradias, o valor médio de avaliação subiu 5 euros, para 1 142 euros o metro quadrado. A nível regional, a maior subida para o conjunto da habitação registou-se Madeira (3,%), e a única descida ocorreu nos Açores (-0,8%).
Em comparação com o período homólogo, o valor médio das avaliações cresceu 7,8%, tendo o valor de apartamentos e de moradias aumentado 9,3% e 6,0%, respectivamente. A taxa de variação homóloga mais elevada para o conjunto das avaliações verificou-se no Algarve (11,2%) e a menor na Madeira (4,3%).
Por sua vez, o valor médio de avaliação bancária de apartamentos foi 1 353 euros o metro quadrado . O valor mais elevado foi observado na região do Algarve (1 700 euros o metro quadrado ) e o mais baixo no Alentejo (1 069 euros o metro quadrado ). Comparativamente com Maio, o valor para apartamentos subiu 0,7%, tendo a Madeira apresentado a maior subida (3,7%) e o Alentejo a menor (0,3%). Em termos homólogos, o Norte apresentou o crescimento mais expressivo (11,9%) e a Madeira o mais baixo (3,6%).
O valor médio da avaliação para apartamentos T2 foi 1 385 euros o metro quadrado (mais 10 euros do que no mês precedente). Para os T3, outra das tipologias com mais avaliações realizadas, observou-se uma subida de 12 euros, para 1 265 euros o metro quadrado.
No seu conjunto, estas tipologias representaram 83,4% das avaliações de apartamentos realizadas em Junho.
 Moradias
A avaliação bancária das moradias subiu 5 euros, para 1 142 euros o metro quadrado. Os valores mais elevados observaram-se no Algarve (1 584 euros o metro quadrado) e na Área Metropolitana de Lisboa (1 568 euros o metro quadrado), tendo o Centro registado o valor mais baixo (991 euros o metro quadrado). Comparativamente com Maio, a Madeira apresentou o maior aumento (2,5%), enquanto os Açores registou a descida mais acentuada (-0,7%).
 Em termos homólogos, o Algarve apresentou o maior crescimento (11,0%) e o menor ocorreu na Madeira (5,0%). Comparando com o mês anterior, os valores das tipologias T3 e T4 desceram 5 e 1 euros para 1 110 euros o metro quadrado e 1 167 euros o metro quadrado , respectivamente. Estas tipologias representaram 66,3% das avaliações de moradias no mês de Junho.
De acordo com o Índice do valor médio de avaliação bancária1, em Junho, o Algarve, a Área Metropolitana de Lisboa, a Madeira, a Área Metropolitana do Porto e o Alentejo Litoral, apresentaram valores de avaliação superiores à média nacional (41%, 30%, 15%, 8% e 3% acima do registado para o País, respectivamente). A região do Alto Alentejo foi a que apresentou o valor mais baixo em relação à média nacional (-27%). O índice de avaliação bancária nos Açores foi de oito pontos abaixo da média nacional.

 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima