No âmbito do Orçamento Participativo dos Açores

Apoio ao doente deslocado na Terceira reforçado com reabilitação de mais uma habitação próxima do hospital

A Secretária Regional da Solidariedade Social visitou ontem, em Angra do Heroísmo, um imóvel que será reabilitado e transformado em residência para acolhimento de doentes deslocados na Terceira, no âmbito de um projecto do Orçamento Participativo dos Açores, vencedor na área da Inclusão Social, apresentado por um cidadão desta ilha.
Andreia Cardoso salientou que os contributos dos cidadãos, através do Orçamento Participativo dos Açores, constituem “uma mais-valia para a Região e para todos os Açorianos quando visam soluções e melhorias económicas e sociais para as famílias”.
 “O projeto visa a adaptação desta moradia, com capacidade para 12 pessoas, para a criação de uma estrutura de pequena dimensão, com características de habitação, destinada ao acolhimento e conforto de doentes que se encontrem deslocados na ilha Terceira”, adiantou a Secretária Regional.
 “Sabemos que a deslocação para fora da sua ilha por motivos de saúde, seja para consultas, exames, cirurgias, tratamentos ou outros procedimentos, tem fortes impactos para o doente e para a sua família a nível económico, mas também social, agravando-se nos casos de deslocações por períodos mais longos”, frisou.
Nesse sentido, Andreia Cardoso referiu que “esta iniciativa pretende criar um espaço que vai possibilitar uma vivência mais familiar e confortável ao doente e acompanhante, respondendo também à escassez de oferta hoteleira em alguns períodos do ano, decorrente do crescimento do setor do turismo”.
Este projecto, com uma dotação financeira de 48 mil euros, permite, para além das obras de adaptação e requalificação da moradia, o seu apetrechamento.
A obra, a concluir ainda em 2019, decorre num imóvel propriedade do Instituto da Segurança Social dos Açores (ISSA), cuja localização muito próxima do Hospital de Santo Espirito da Ilha Terceira, na freguesia de Santa Luzia, em Angra do Heroísmo, facilita o acesso a esta unidade de saúde.
Do mesmo modo, serão reabilitados na ilha de São Miguel dois apartamentos com a mesma finalidade, num investimento de 81 mil euros que vai permitir criar vagas para 12 doentes deslocados, também no âmbito de uma proposta do Orçamento Participativo.
Andreia Cardoso adiantou que estes projetos de Casas de Acolhimento resultam também de uma proposta do CDS/PP ao Orçamento da Região para a criação de vagas para doentes deslocados nas ilhas de São Miguel e Terceira.

 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima