Paulo Moniz defende radar meteorológico nas Flores e refere promessas por cumprir da República

 O cabeça de lista do PSD/Açores às eleições legislativas nacionais destacou ontem a importância “da existência de três radares meteorológicos na Região”, frisando que “a instalação desses equipamentos é mais uma das promessas que o atual Governo da República deixou para trás”, adiantou.
 Paulo Moniz falava após reunir com os responsáveis pela delegação açoriana do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), onde lembrou que os radares meteorológicos” estão para ser instalados desde 2016”. 
 “Quer o da Terceira, quer o de São Miguel, mas também o das Flores, que é extremamente importante para prever o tempo que vem de Ocidente”, sublinhou o candidato, para quem “a segurança das pessoas e a previsão com rigor, nomeadamente das chuvas, depende da qualidade e dos equipamentos que o IMPA tenha”, afirmou.  “Há mais de três anos que duram as promessas, e a verdade é que nenhuma dessas três infraestruturas está instalada e ao serviço. Isso é preocupante para a segurança das pessoas e dos seus bens e também para a qualidade dos dados recolhidos”, reforçou Paulo Moniz 
O cabeça de lista social democrata garante que “os deputados do PSD/Açores irão fazer todos os esforços para defender o aumento do investimento nestas áreas para os Açores”.
 Paulo Moniz advoga que “o que foi prometido tem de ser cumprido, também ao nível dos radares meteorológicos”, referindo que este é um caso em que, “mais uma vez, se viu que o Governo da República finge que dá e o Governo Regional finge que recebe”, disse.
 O candidato do PSD/Açores lembrou inclusivamente as declarações do Presidente do IPMA, Jorge Miranda, em junho passado, por ocasião do Seminário Internacional de Proteção Civil, em Angra do Heroísmo, “quando disse que a Terceira deveria voltar a ter um radar meteorológico ainda este ano, e que São Miguel deveria ter um segundo radar em 2020”.
 “Mas também frisou que a Região necessita de três radares, pois é preciso não esquecer que o radar das Flores é um elemento fundamental da rede, pois a maioria das tempestades mais gravosas que atingem as ilhas viriam a ser primeiramente detetadas com esse equipamento”, recordou.
 Paulo Moniz mostrou-se ainda preocupado pelo facto de “apenas existirem 11 estações meteorológicas nos Açores, ou seja apenas aquelas que recolhem as informações do vento e das variáveis meteorológicas em cada ilha”, referiu.
 Segundo explicou, “aponta-se que seriam necessárias pelo menos 50 estações para o rigor desejável, em termos de informação meteorológica no arquipélago”, concluiu o cabeça de lista do PSD/Açores para as eleições de 6 de Outubro.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima