Os presentes mais originais do arquipélago estão no La Bamba Bazar Store a única ‘record store’ dos Açores no centro de Ponta Delgada

Violeta Rodriguez e Pedro García vieram de Madrid há 2 anos e meio. Optaram por deixar Espanha por se sentirem cansados da “vida na grande cidade”. O trânsito, a enorme densidade populacional e o próprio clima foram factores que motivaram a sua mudança para o arquipélago dos Açores. Além do mais, a nível de trabalho, a situação também não era favorável. Decidiram então fazer as malas e vir para a ilha de São Miguel. 
Através do Programa de Apoio à Revitalização das Lojas nos Centros Urbanos, Loja +, implementado pelo Governo Regional dos Açores, abriram a loja. Violeta referiu que em Espanha, este tipo de apoios é impensável. 
E assim foi. Violeta e Pedro começaram por pesquisar locais onde pudessem abrir um negócio, tendo encontrado um espaço na Rua Manuel da Ponte. Gostaram logo do espaço. Chegaram a Ponta Delgada em Dezembro de 2016 e no mês seguinte, já tinham assinado o contrato de aluguer do mesmo. Mas faltava ainda uma questão essencial: saber que tipo de negócio é que iriam ter. Inicialmente, pensaram em abrir um espaço tipicamente espanhol, onde fosse possível desfrutar de uma iguaria do seu país de origem, neste caso, as tapas. Entretanto, a ideia foi posta de parte porque teria de ser feito muito trabalho, relativamente à adaptação do espaço e também pelas licenças que seriam necessárias. “Seria demasiado difícil”, diz Violeta.
Optaram então por abrir algo que não havia em São Miguel, uma loja com produtos diferenciados. E é aqui que entra Luís Banrezes, mais conhecido por Kitas, natural da cidade do Porto, e cunhado de Pedro García.
Luís Banrezes sempre teve o sonho de abrir uma record store, mas nunca se atreveu a fazê-lo pois apesar de se encontrar na maior ilha do arquipélago, havia também o risco de não haver muita adesão por parte do público. Com gosto pela música, Luís Banrezes é um dos dinamizadores do conhecido Festival Tremor e da Yuzin Azores, uma agenda cultural onde é possível encontrar todo a informação sobre vários eventos da ilha. 
Visto que o espaço era grande, Violeta, Pedro e Luís decidiram partilha-lo. E assim nasceu a La Bamba Bazar Store. Ao entrar na loja, é possível observar a diversidade de produtos considerados alternativos, sendo muitas vezes opção de oferta para muitos clientes porque não se encontra em outros lugares na ilha. Na parte superior, encontramos os vinis, gira-discos, com um ar mais vintage, havendo sempre novidades. “A ideia foi sempre expor artigos novos para os clientes”.
Violeta e Pedro não fazem questão de regressar a Espanha. Antes de se mudarem para os Açores, já tinham cá vindo. “O Pedro costumava vir à ilha várias vezes, ainda antes de me conhecer. Contava-me que ainda não havia o centro comercial, as novas estradas que existiam actualmente, ou seja, ele foi acompanhando a evolução de São Miguel e também por isso, achou que a ilha tinha muito potencial para crescer, sendo bom também para este tipo de negócio que abrimos”. Violeta diz que aqui conseguem ter uma vida muito mais tranquila e que gostamde cá viver. Agora, a família vai aumentar e como a Violeta diz “já vamos ter uma filha toda micaelense”. 

O balanço dos dois primeiros anos

No passado dia 9 de Agosto, a La Bamba comemorou o seu 2.º aniversário. Ao longo destes dois anos, o balanço tem sido muito positivo. Violeta diz que sempre se sentiram muito bem recebidos e em tom de brincadeira, admite que apesar do seu portunhol ainda não estar a 100%, os clientes esforçam-se para a perceber!
Aquando da abertura no Verão de 2016, os turistas é que compunham grande parte dos clientes que visitavam a loja. Em Agosto daquele ano, na noite da Festa Branca realizada em Ponta Delgada, muitas pessoas passaram na loja pela primeira vez. Não conheciam ainda, mas o feedback obtido naquela noite foi muito bom. Pouco e pouco, começaram a ganhar os clientes habituais da La Bamba. A partir do Natal, a afluência aumentou “e foi um verdadeiro sucesso para a loja. Quando vimos que todos os nossos clientes naquela época eram da ilha, ficamos muito contentes”, contou a Violeta. O mesmo aconteceu no Natal do ano passado. “A nossa situação também é semelhante às dos negócios da ilha toda: muito trabalho no Verão, um Outono mais calmo, no Natal novamente mais trabalho. Mas já temos muitos clientes fiéis”. Estes não compram coisas todos os dias, mas quando têm alguma ocasião especial, deslocam-se à loja já com uma ideia do que querem ou também pela necessidade, pedindo conselhos do que podem adquirir. O balanço dos dois primeiros anos do La Bamba Store é muito positivo.
Na La Bamba, é possível encontrar artigos que têm utilidade para o dia-a-dia, mas que são esteticamente diferentes e bonitas. “As pessoas não têm que ter as coisas iguais”, como diz Violeta. A loja diferencia-se em tudo das restantes. “Fizemos um bom trabalho em encontrar produtos diferentes, mas também temos um ambiente confortável e aconchegante. Queremos que as pessoas se sintam à vontade, mesmo que só venham à loja ver as novidades e não comprar algo. Que nos perguntem sobre os artigos, que ouçam alguma música nova que esteja na zona dos vinis” refere Violeta. O espaço está direccionado para várias idades, tendo artigos que inclusive podem ser para crianças. Acrescenta ainda que “o que sempre quiseram foi uma loja a pensar na população local”. 
A localização também foi um factor importante para a La Bamba, principalmente por ser algo novo. “Existem pessoas que passam pela rua e descobrem a nossa loja.” 

Record Store: regresso ao passado

Ao fundo da La Bamba, subindo os degraus, encontramos vinis, polairods, rádios, posters de artistas e mais produtos que relembram outros tempos. Ali, também é possível conversar e trocar ideias sobre música. Enquanto o cliente desfruta do espaço, pode também ouvir a música ambiente e saber qual a que está a passar no momento com a capa do disco de vinil exposto. No momento em que o Correio dos Açores esteve lá, “The Idiot”, o 1.º álbum na carreira de solo de Iggy Pop era a música ambiente que se ouvia.
Muitas pessoas chegam à La Bamba com uma ideia de adquirir um disco de vinil mais comercial, “mas acabam por levar algo mais desconhecido e acabam por gostar”. Luís Banrezes juntamente com Bruno Moreira e Rúben Monforte, naturais do Porto e de Valência respectivamente, são quem se encontram na zona dos discos de vinis, sendo grandes entendedores da música, como conta Violeta, aconselhando os clientes a levarem algo novo e diferente do que estão habituados. 
As encomendas de discos de vinil também já faz parte do negócio pois “existem clientes que sempre quiseram um determinado disco, como já aconteceu uma vez alguém chegar aqui e pedir um disco dos Beatles”. O “ritmo” da loja diferencia-se, tornando-se acolhedor por quem ali passa, existindo clientes que ficam 1 hora a ver os discos de vinis e que falam também de música.

Uma loja que já não passa
despercebida

Apesar de não ser uma loja turística, acaba por atrair muitos turistas que levam recordações. Com o boom do turismo que se tem sentido na ilha, são os turistas que movem principalmente o comércio na baixa da maior cidade do arquipélago açoriano. “Vendemos artigos produzidos por artistas açorianos. Temos ananases decorativos de cerâmica, ímanes, malas de pano, postais que foram desenhados... São coisas que realmente lembram São Miguel porque um turista que compre um destes artigos vai associar sempre à ilha. Posso dizer que não são propriamente souvenirs. Um exemplo: ainda há pouco, uma turista comprou um cadeeiro com formato de uma raposa. Essa compra vai lembrá-la da nossa loja, da ilha de São Miguel e vai utilizar o produto para o dia-a-dia. Também existem turistas que entram na loja para ver como é o ambiente.”
A verdade é que mesmo com pouco tempo de existência, a La Bamba já é conhecida além-fronteiras, existindo turistas que vão à loja por indicação de outros que já lá estiveram: “é bastante estranho ver uma pessoa de Nova Iorque vir cá porque alguém falou da La Bamba. Mas significa que estamos a fazer um bom trabalho!”                      
                                        
                                     

Print
Autor: Rita Frias

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima