Com exibição pragmática

Santa Clara recuperou pontos perdidos

O Santa Clara recuperou os 3 pontos perdidos na jornada inaugural com o Famalicão. A vitória, por 1-0, no campo do Paços de Ferreira, assentou no pragmatismo, na organização, na qualidade, na experiência e na forma como o treinador tem a equipa estruturada. Uma estrutura que vem da época passada e com praticamente os mesmos interpretes. 
Houve poucas mexidas na equipa que se apresentou em Paços de Ferreira e nos 7 que foram inicialmente para o banco. No “onze” Mamadu surgiu, com toda a lógica, no lugar do infortunado João Lucas, e Thiago Santana apareceu a titular, no lugar do mediático Guilherme, que, como disse João Henriques no final, “estará com a cabeça limpa a partir do dia 2 de Setembro”.
Relativamente à partida com o Famalicão, em Ponta Delgada, não viajaram o defesa César Martins e o avançado Denis Pineda, entrando como suplentes não utilizados o defesa Zanusi e o menino prodígio brasileiro Lincoln, que, se tiver juízo, vai dar que falar no futebol português tal a qualidade que possui.
Depois de uns sustos no inicio e com o acerto defensivo evidenciado, a equipa do Santa Clara desferiu o golpe perfeito aos 17 minutos, com a bola passando pelo trio de brasileiros Bruno Lamas, Carlos Júnior e Thiago Santana, que finalizou à sua maneira. Tal como havia sofrido uma semana antes, o Santa Clara marcou.
Apenas na parte final o Paços de Ferreira deu um sinal de maior inconformismo com o remate do jovem (18 anos) Diogo Almeida, à barra, e com o remate perto do poste de outro jovem (16 anos), Matchoi Djaló, natural da Guiné Bissau, ambos subidos da equipa júnior. Porém, antes, Carlos poderia ter sentenciado a partida.
Com a vantagem, a equipa de Ponta Delgada retemperou o jogo, colocando-o o sal conforme as necessidades. Jogou com calma, defendeu de forma prática, declinou muita vez o ataque para guardar a sua área, fazendo-o com tal eficácia que o Paços teve apenas os tais dois remates perigosos dos 16 que efectuou. 
“Há sempre uma primeira vez”. Foi assim que o treinador se referiu ao facto de o Santa Clara nunca ter ganho ao Paços de Ferreira. À nona vez e na quinta para a 1.ª Liga aconteceu. 
João Henriques, que esteve a treinar a formação pacense no ano da descida à 2.ª Liga, provou que com trabalho de base sólida, consegue os intentos. 
Filipe Rocha, que alinhou pelo Paços de Ferreira na partida de há 14 anos entre as duas equipas, tem ainda que afinar muita coisa na formação formada por muitos atletas que vieram da 2.ª Liga, mas rotinados no escalão principal.

Hoje é influente no Paços de Ferreira
O número 24 da equipa do Paços de Ferreira que domingo defrontou o Santa Clara passou pelo... Santa Clara e acabou por ser um influente atleta da formação do Sporting Ideal que garantiu a manutenção no Campeonato de Portugal de 2016/2017.
Mohamed Diaby chegou ao Santa Clara para jogar na 2.ª Liga. Nunca fê-lo. Em Janeiro foi emprestado ao Sporting Ideal. O treinador Luís Roquete pô-lo de imediato a jogar. Fê-lo em 15 jogos e acabou por marcar 3 golos. Nove deles como titular e 6 como suplente utilizado. 
Terminada a época Diaby, irmão do famoso Abou Diaby que se destacou no Arsenal e na selecção da Costa do Marfim, rumou ao Paços de Ferreira. Esteve um ano na equipa “B”. Na época passada o experiente treinador Vítor Oliveira viu as qualidades do jovem e colocou-lhe na equipa principal.
Com grande capacidade atlética (1,88 metro de altura e 78 quilos de peso) e com argumentos técnicos suficientes para ser muito útil, Diaby foi elemento preponderante na ajuda para o Paços de Ferreira ser campeão da 2.ª Liga e voltar à 1.ª Liga. Esteve presente em 25 partidas.
Na 1.ª Liga, o treinador Filipe Rocha não abdicou de Diaby na estratégia da equipa. Como médio defensivo esteve nas acções de guarda da área e surgiu como elemento a assumir as funções de primeiro organizador do jogo ofensivo. Um todo-o-terreno que, por vezes, se excede na forma como aborda os lances.
Com 22 anos de idade e aprumando as qualidades que possui, Mohamed Diaby, nascido em França, vai, certamente, revelar-se na 1.ª Liga. E não irá ficar-se por Paços de Ferreira. 
 

Print
Autor: CA

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima