25 de agosto de 2019

Dos Ginetes

Obrigado Padre Bruno


Este Domingo a Comunidade Cristã desta terra dirá adeus ao seu Pároco actual, o ainda jovem Bruno Espínola, que durante os últimos cinco anos teve a responsabilidade dos destinos da Paróquia S. Sebastião dos Ginetes partilhando igualmente o seu múnus Sacerdotal com a vizinha Sete Cidades.   
Foi a 21 de Setembro de 2014 que tomou posse por um suposto período de seis anos que mais uma vez terminou, como vem sendo tradição nestas paróquias que conheço muito bem, antes do tempo pré estabelecido. Decisões da hierarquia da Igreja Açoriana que não contesto mas que posso opinar, pois sei que muitas vezes acabam por fragilizar a execução de projectos, mesmo de ordem Pastoral, nas paróquias a que os mesmos sacerdotes estão ligados. Sabemos e compreendemos muito bem que existem por vezes razões que levam o responsável da Diocese a antecipar mudança de sacerdotes, provavelmente foi o que sucedeu com a nomeação do Pe. Bruno Espínola devido à sua nomeação há aproximadamente dois anos como Capelão Militar forçando assim tal decisão da parte do senhor Bispo para manter uma proximidade com a Cidade de Ponta Delgada onde tem de estar com frequência para satisfazer os vários compromissos que lhe exige a sua “condição de militar”. Todavia sentimos pena pois sabemos ser um jovem padre inteligente, muito trabalhador e possuidor de um carácter muito forte também necessário nestas paróquias pequenas onde as mais variadas opiniões se multiplicam.
Sei que nunca nos esquecerá, nem nós a ele. Na realidade não é um adeus pois certamente que nos reencontraremos ocasionalmente pois continuará a viver ao serviço da Igreja na nossa Ilha, ele que é natural da Graciosa.
Acredito que gostaria de deixar ao seu sucessor uma Paróquia em que a verdadeira religiosidade fosse muito mais vivida em termos de frequência deste povo, mas, como tantas vezes repetimos já nada é como era e a crise existe por toda a parte.
“Somos em grande maioria Cristãos mas nem sempre verdadeiros Católicos”.
Cada qual mantém a sua opinião, e de tal também me incluo, porque queremos uma Igreja ao serviço de todos nós e não o contrário que seria, mesmo nas mais pequenas atitudes, darmos um pouco de nós ao serviço da mesma Igreja.  
Desde o início o Padre Bruno sempre demonstrou possuir uma grande abertura para o que chamamos “novas tecnologias”. A ele temos muito a agradecer neste sentido, mas igualmente os nossos emigrantes que nos últimos anos estiveram bem perto do que se tem passado na nossa Igreja.
Na segunda metade do passado mês de Janeiro tive oportunidade de viajar com ele ao Canadá, onde na cidade de Mississauga se realizou um grande encontro para angariação de fundos com os nossos amigos, uns oriundos dos Ginetes outros não, mas todos empenhados em conhecer o Pe. Bruno habituados que estavam a visionar muitas das nossas Celebrações através do Youtube.
Lembro o testemunho de pessoa amiga que fomos visitar e que tinha sua mãe acamada já bastante idosa e que de todos os que faziam parte da comitiva apenas conheceu o Padre Bruno, habituada que estava a passar tardes completas a visionar vídeos de Celebrações na nossa Igreja. Possuidor de uma voz maravilhosa cantou para ela, tendo como recompensa um sorriso. Poucas semanas depois a senhora faleceu estávamos já de regresso a Portugal. Nessa ocasião tomei conhecimento através da própria filha que foi ele a única pessoa que a senhora com mais de noventa anos reconheceu habituada que estava a passar as tardes frente ao televisor a visionar o que por cá se passava no interior da nossa Igreja e não só.
Um exemplo da importância das “novas tecnologias” quando bem utilizadas pois neste tempo que vivemos grandes distâncias já não têm a mesma dimensão de outrora.
Evidentemente, como todos os sacerdotes que por aqui já passaram, teve os seus momentos de alegria mas também de frustração. A vida é um percurso composto de tudo, altos e baixos, alegrias e tristezas que só a experiência e o tempo ajudam a suavizar. 
Pessoalmente agradeço a sua amizade fazendo votos para que encontre nas duas paróquias que brevemente tomará posse a motivação e força para enfrentar outros desafios pois não existem “Comunidades iguais”.
Nunca o esqueceremos e esteja certo que vamos seguir um pouco os seus passos. Sei que também nunca nos esquecerá pois fomos, Ginetes e Sete Cidades, os primeiros a acolhê-lo como Pároco das respectivas Comunidades.
Que Deus o ajude e seja feliz como bem merece.
Quanto a nós cá ficamos a aguardar a chegada do seu substituto que estou certo será tão bem recebido como é tradição deste povo.
Obrigado Padre Bruno.

Print

Categorias: Opinião

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima