1 de setembro de 2019

Recados com Amor

Meus Queridos! Tinha proposto a mim mesma deixar de falar de bairrismos e invejas que matam, em vez de fazerem renascer ideias capazes de criar riqueza e aumentar o bem-estar social de todas as nossas Ilhas. Há dias atrás levantou-se uma lamúria porque apareceu num sítio da União Europeia que Ponta Delgada era a capital dos Açores… Logo se levantou a ideia de uma conspiração criada em São Miguel para dominar as outras Ilhas! Cá por mim São Miguel está-se borrifando para quem vê na maior Ilha uma ameaça sobre tudo e sobre nada… Ainda esta semana li no jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio, uma atoarda de um articulista terceirense que escrevia o seguinte: Não nos esqueçamos que foi Ponta Delgada, e a sua classe económica, um dos principais responsáveis pela atual situação da SATA Internacional ao “obrigarem” o altamente permissivo Governo Socialista, e os seus dirigentes, a uma política de rotas catastrófica para a companhia e que apenas beneficiava a Ilha de São Miguel.
Como sabem, não sou mulher de me meter em políticas, mas em nome da verdade que prezo, não posso deixar passar tamanha blasfémia sem uma adequada resposta,… mas para tanto lanço antes um desafio ao articulista Marcos Couto para provar a ignóbil acusação que faz aos micaelenses, sobe pena de o não fazendo… incorrer num juízo de pura fantasia, que serve apenas para branquear a falta de trabalho que deve ser feito pelos próprios terceirenses para promoverem o seu desenvolvimento e crescimento… Quando se acusa tem-se de provar a acusação que se faz e é isso que aqui peço, esperando que o meu Director não leve a mal…

Meus Queridos! A minha prima Angelina telefonou-me num alvoroço, dizendo que tinha ouvido a notícia na rádio onde o Presidente do sindicato dos trabalhadores do Fisco anunciava que  cerca de 80 000 empresas criadas no ano passado iam ser visitadas pelos inspectores tributários, numa visita de cortesia e proximidade para acompanhamento e aconselhamento desses novos empresários.
Angelina até pensou que tão nobre gesto mais parecia um “milagre”, mas de seguida veio um balde de água, porque o Governo resolveu esclarecer publicamente que as tais visitas tinham um carácter essencialmente preventivo de modo a aumentar os níveis de cumprimento voluntário (ao fisco),… lembrando depois que tal cumprimento … das obrigações fiscais constitui um dever de todos… Que isso é verdade, ninguém tem dúvida, e que todos têm de cumprir a pronto ou a prestações os compromissos fiscais, também não… mas o caricato é anunciar como visitas de proximidade… a oitenta mil empresas constituídas em 2018, … ligadas aos sectores da construção civil, restauração e alojamento… quando na verdade trata-se de passar... a pente fino as contas das ditas cujas.  Isso é o que na minha terra se costuma dizer… “gato escondido com o rabo de fora”… Angelina pensa que este doce anúncio é uma operação de marketing… para fazer esquecer as operações stop feitas em plena auto-estrada, com direito a penhora em cima da hora… levando tudo quanto fosse penhorável… Angelina está em pulgas para ver os resultados da anunciada “operação charme”  para ver se a bota bate com a perdigota!… 


Meus queridos! Neste período de férias e festas os meus recadinhos de hoje serão em parte dedicados às festas que decorreram ou vão decorrer este Domingo, e começo com o que me contou a minha prima Maria da Vila sobre o insólito que aconteceu durante as festas de São Lázaro, realizadas em Água d’Alto… As coisas azedaram para aqueles lados, por via dos arcos de dinheiro que ainda há quem teime em pôr nos braços da Imagem do Santo… reparo que eu já o tinha feito nos meus recadinhos, no ano passado, porque não tolero tais misturas... Desta feita, o “padre gémeo” José Borges tinha avisado que não haveria arcos para ninguém, mas houve um ou uns espertinhos que desafiaram a determinação do clérigo… e o resultado foi que em plena procissão, o padre mostrou a sua autoridade e enfiou o arco do dinheiro no seu próprio braço, perante a irritação de quem o quis desafiar. Para o (i)reverendo padre, um ternurento beijinho, por ter feito cumprir o que foi combinado com quem de direito. Como já tinha escrito aqui no ano passado, nessas coisas é preciso pôr ordem na casa e, realmente, nos tempos que correm, embora se saiba que as igrejas precisam de dinheiro para encargos cada vez mais pesados, a mistura de santos com dinheiro, é coisa de outros tempos… É que quando aplaudem, no momento em que o “santo” pega no dinheiro, a gente fica sem saber se o aplauso é para o santo ou se é para o pilim ou ainda para quem o dá… E lá diz a Bíblia que não se pode servir a dois senhores ao mesmo tempo… Cá por mim proponho que, atrás do andor, siga alguém com um açafate para receber as ofertas dos generosos ofertantes!

Ricos! Finalmente, estamos no mês de Setembro, depois de um Agosto de má memória para quem esteve de férias e para muitas das nossas culturas. Como se dizia antigamente, Agosto (e também Setembro) ou seca as fontes ou leva as pontes… Lembrei-me do ditado quando vi as chuvas torrenciais em Santa Maria, em que houve quem estivesse a passear e não ganhasse para o susto, com as estradas transformadas em rios e com as barreiras a cair. Por isso mesmo fiquei a pensar, principalmente, nos produtores de vinho, quando li no jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio a apreensão que vai em São Miguel, onde a produção deve ter caído cerca de 50%, e o pior é que aquilo que ficou e que está a ser apanhado antes do tempo para não se perder… não está bem maduro e tem pouca qualidade. Também na nossa Ilha Montanha  reina a aflição dos picarotos pelas uvas e pelos figos. Oxalá que agora venha o bendito anticiclone dar um ar da sua graça no mês de entrada do Outono… E como estamos em tempo de graças eleitorais, só desejo que do Governo do meu querido Presidente Vasco Cordeiro saia luz verde para apoiar estes produtores, como tem sido feito com outros sectores agrícolas, quando há secas ou chuva a mais… isto sem esquecer os produtores de meloas de Santa Maria que foram apanhados pelo destempo de Agosto…


Meus queridos!  A Igreja dos Milagres, nos Arrifes está a festejar os 60 anos da sua elevação a paróquia e hoje na procissão da sua padroeira, a Senhora dos Milagres, acontece um acto singular e inédito que está a despertar a atenção de todo o povo da grande freguesia. O dinâmico padre Davide Barcelos, em conjunto com os conselhos pastorais, económicos e comissões de festas, faz sair na procissão as três imagens de Nossa Senhora, que são padroeiras das três igrejas locais: Saúde, Piedade e Milagres. E como a Imagem da Senhora da Saúde é pesadíssima para ser levada aos ombros, no trajecto da procissão que tem quase dez quilómetros, vai numa estrutura mandada fazer para o efeito. Conto lá estar com a minha sobrinha-neta, porque esta iniciativa faz-me lembrar o velho costume das “procissões dos padroeiros”, como se fez aqui na minha cidade-norte, com todas as freguesias do concelho, quando a Ribeira Grande foi elevada a cidade e como o encontro dos padroeiros que aconteceu há três anos na Povoação. Tudo quanto seja sair das rotinas instaladas é sempre bem-vindo!


Ricos! Em poucos dias foram apreendidos no Faial e em Santa Maria dois espadins,… peixe muito apreciado para os pescadores desportivos, pelo porte majestoso e pelo seu peso… o do Faial pesava mais de meia tonelada e o de Santa Maria tinha 240 quilos, por junto quase uma tonelada de peixe…. A apreensão foi feita em função da fiscalização das autoridades competentes, porque os ditos cujos, sendo uma espécie que não pode ser apanhada, deviam ter sido devolvidos ao mar… Porque assim não foi, a Polícia Marítima ofereceu os exemplares a uma instituição de solidariedade social, em cada uma das ilhas. E assim se deve proceder… Mas como agora toda a gente opina sobre o que sabe e o que não sabe… aparecem logo as línguas viperinas a levantar suspeições sobre o destino do peixe, dizendo mesmo que podiam ter sido entregues nos lares, mas poderiam não ser os utentes a comê-los… Mas para que queriam os lares o peixe se não fosse para os utentes comerem??? É esta a sociedade que as redes sociais estão a criar… Julgam logo os outros por aquilo que bem no seu íntimo gostavam de fazer! Passa fora com tanta malvadez! 


Meus queridos! Muito contente fiquei quando li no jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio a notícia de que volta a ser permitido fazer queijo fresco com leite cru, depois da proibição que já vem de há quase 30 anos devido à brucelose que custou a erradicar... Espero poder vir a encontrá-lo porque o sabor é inconfundível e o seu aspecto cremoso é irresistível… Espero um destes dias ver o leite cru a ser vendido pelas portas à canada para beber e para fazer em casa os queijos que outrora minha mãe fazia e que eram uma delícia… Bem bom que foi tomada esta medida que deixou muito feliz a minha prima Jardelina, que espera pela comercialização do chamado leite do dia que, segundo ela, desapareceu em favor do ultra-pasteurizado que nada tem a ver com o “verdadeiro leite”. Fica a ideia…


Ricos! A vinda do gigante dos céus, Antonov, a Ponta Delgada, para trazer material e técnicos para arranjar o avião da Delta avariado após aterragem, veio mostrar mais uma vez que muitos açorianos estão a derrapar para uma perigosa vertigem de tolo e inconsistente bairrismo. Desde os que passaram a semana a fazer concursos sobre o tamanho das pistas de aviação em diversas ilhas até aos que se ofendem mutuamente porque “a minha é maior que a tua”, tudo isto não passa de uma infantilidade que nos pode levar a muito mau caminho. Vejam lá que já não se pode fazer uma campanha publicitária escolhendo autores de uma ilha, que vem logo outros a dizer que os seus também têm direito. Por mim, ricos, afoguem-se nos vossos pruridos, porque o muito ladrar o que faz é espantar a caça…


Meus queridos! Como prometi na passada semana, fui no Domingo passado ver a procissão do Senhor da Pedra, com a minha prima Maria da Vila, que tem a sua varanda em lugar privilegiado, na Rua Direita. Apesar de no Sábado ter chovido todo o dia, escampou mesmo na hora da Mudança da Imagem, com muitas centenas de fiéis na procissão e na celebração da Palavra, presidida pelo meu querido Bispo Lavrador. A missa transmitida pela RTP para todo o mundo foi de grande esplendor e o maestro Hélio Medeiros, com o organista Rogério Medeiros e toda a orquestra e coro merecem um ternurento beijinho pelo nível da sua actuação… Disse a minha prima Maria da Vila que parecia uma Catedral. A procissão de Domingo juntou milhares de pessoas e foi digna das comemorações dos 200 anos das festas. Está de parabéns o Provedor Lucindo Couto e toda a Comissão pelo belo trabalho que fizeram…

Print
Autor: CA

Categorias: Maria Corisca

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima