14 de setembro de 2019

O Arcano Místico

No meu tempo de adolescência, olhava com alguma displicência para o Arcano, um “presépio” que estava lá em cima no coro alto da Matriz, com figurinhas desordenadas e singelas, que se encontravam num enorme armário, muitas delas quase desmoronadas. 
Verdadeiramente, só enxerguei o valor do Arcano Místico, criado no século XIX pela Madre Margarida do Apocalipse, freira do antigo Mosteiro de Jesus, quando fui Vereador da Câmara Municipal da Ribeira Grande, graças às informações que colhi junto denodado entusiasta da sua preservação, o Dr. Mário Moura, que me habilitaram a pesquisar sobre aquela jóia, que se encontrava num estádio de quase degradação, pelo que entendi que havia de se pôr mão no dossier do Arcano.
Hoje em dia, olho para aquelas milhares de pequenas figuras moldadas, na sua quase totalidade numa massa à base de farinha de arroz e de trigo, goma-arábica, gelatina animal e vidro moído, num conjunto escultórico religioso, de tão bela tradição conventual, com deleite e pasmo, pela sua grandeza e por imaginar com assombro como se constituiu o segredo de Madre Margarida do Apocalipse.
Trata-se de facto de um tesouro que foi, e muito bem, considerado pelo Governo Regional dos Açores, como peça de ativíssimo valor cultural e artístico. Felizmente, a Câmara Municipal da Ribeira Grande assinou um protocolo de cooperação com a Confraria do Santíssimo Sacramento da Matriz, proprietária da peça, por doação testamentária de Madre Margarida do Apocalipse e assumiu a sua preservação.
O Museu Casa do Arcano foi inaugurado há precisamente 10 anos e por minha parte, enquanto exerci funções autárquicas na Câmara Municipal da Ribeira Grande, procurei avançar com o projeto de recuperação, tendo-se designadamente adquirido a moradia onde a hábil freira Margarida do Apocalipse viveu e o confecionou, a fim de ali se criar um espaço museológico para se dar a conhecer publicamente todas aquelas peças, representando cenograficamente os Mistérios mais importantes do Antigo e Novo Testamento.
Após um meticuloso trabalho de recuperação e conservação, levado a cabo por uma equipa de conservadores de Angra do Heroísmo, o Arcano Místico foi, finalmente, transferido do coro alto da Igreja da Matriz de Nossa Senhora da Estrela para a Casa-Museu do Arcano.
A Ribeira Grande cumpriu, assim, o desejo de Madre Margaria do Apocalipse, um encargo de devolver ao público aquele tesouro açoriano, que muito engrandece e enaltece esta cidade e o Concelho.
A vida e a obra de Madre Margarida do Apocalipse mostradas na Casa-Museu do Arcano são um verdadeiro testemunho do valor daquele acervo artístico, um inestimável ícone cultural que tanto enriquece a Ribeira Grande e os Açores. 

Print

Categorias: Opinião

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima