Candidato da Aliança-Açores defende “revisão do subsídio de mobilidade com responsabilidade e consenso”

O candidato do Partido Aliança-Açores, Jorge Medeiros, reuniu com a direcção da Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada.
No final do encontro, o cabeça de lista declarou que este foi “um encontro muito importante e produtivo, na medida em que permitiu conhecer o posicionamento desta Câmara do Comércio face aos variados dossiês e problemas que estão na ordem do dia e que preocupam esta instituição”.
Na reunião foram passados em revista temas como as acessibilidades aéreas, nomeadamente a revisão das obrigações de serviço público, o apoio à mobilidade, a dimensão do problema da SATA e a ampliação do aeroporto da Horta, passando pelo sector marítimo, com foco no modelo das obrigações de serviço público dos Açores e a adequação do investimento na rede de portos, numa perspectiva das estratégias nacionais.
No que toca às questões das políticas do sector aéreo e do momento que estas atravessam, com grande agitação e polémica no espaço público, Jorge Medeiros chama a atenção para a sua importância, sublinhando que “eles devem ser abordados com muita serenidade e extrema responsabilidade”. Neste contexto, acrescenta que a sua candidatura “tem uma matriz personalista e reformadora, onde tudo tem que estar permanentemente em observação de modo a que se possa corrigir o que está mal”.
Independentemente da correcção que se possa e deva fazer ao actual modelo do subsídio de mobilidade, Jorge Medeiros não tem qualquer dúvida que “este modelo é uma responsabilidade do governo da república” e como tal está “frontalmente contra qualquer acção que transfira essa responsabilidade para a esfera de gestão do governo regional”.
“A autonomia não existe para integrar ou resolver as competências e responsabilidades da República, devidamente consagradas constitucionalmente”, enfatizou.
“Já todos percebemos que o modelo subsídio de mobilidade necessita de ser revisto, de modo a que esteja efectivamente ao serviço das pessoas, isto é, um verdadeiro subsidio social que, estando ao serviço de todos, deve, sobretudo, permitir mobilidade aos mais desfavorecidos”, destaca Jorge Medeiros.
De acordo com a opinião do candidato do Aliança Açores, “as políticas públicas para o transporte aéreo nos Açores, não podem continuar a ser um instrumento de arremesso de tricas partidárias ou, por outro lado, a colocação de recursos públicos na mesa para distribuir aos interesses que se movimentam neste sector. Elas devem estar inequivocamente ao serviço das pessoas”.
“A revisão do actual modelo de subsidiação da mobilidade dos Açorianos deve “ser feita com responsabilidade, integrando um consenso alargado, em cuja construção me vou empenhar”, concluiu Jorge Medeiros, citado no documento distribuído à imprensa.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima