Victor de Lima assumiu o cargo de Presidente com espírito de missão e nunca mais apareceram candidatos

Victor Sérgio Raposo de Lima, de 56 anos de idade é o Presidente da Filarmónica Imaculada Conceição, da Freguesia da Lomba da Fazenda.
Fundada em 1893 pelo Padre Francisco de Amaral, este sacerdote foi também o primeiro regente, presidente e professor dos primeiros músicos.
Não se sabe ao certo o primeiro dia em que saiu a tocar em público, mas tudo leva a crer que terá sido a 8 de Dezembro de 1893, dia de Nossa Senhora Imaculada da Conceição, sua padroeira.
Victor Sérgio Raposo de Lima está no cargo há 17 anos, mas nunca foi músico. Assumiu o cargo numa altura em que a Filarmónica passava por dificuldades, tendo inclusivamente fechado as portas. Foi para lá em espírito de missão e aquilo que deveriam ser apenas dois ou três meses, passaram a ser anos, até aos dias de hoje. “Nunca mais apareceram interessados que quisessem assumir a direcção desta instituição, de modo que fomos ficando e ainda lá estamos. Tenho sempre a expectativa que possa aparecer alguém que queira assumir o cargo, mas isso não tem acontecido”, lamentou.

“Achamos que já chegou 
a altura de sairmos”

O Presidente da Filarmónica Imaculada Conceição diz que a sua “sucessão vai acabar por acontecer, porque os estatutos preveem eleições de dois em dois anos e temos feito um forte apelo aos músicos e à comunidade para que apresentem uma lista, até porque somos capazes de colaborar com essa lista e achamos que já chegou a altura de sairmos, até para dar espaço a outras pessoas, com outas ideias e outras dinâmicas para bem da instituição, mas a verdade é que não tem aparecido ninguém interessado”.
A Filarmónica Imaculada Conceição comemorou no ano passado 125 anos de história. “É uma instituição mais do que centenária, que felizmente tem estado sempre de portas abertas, à excepção daquela crise que existiu há 17 anos, como já referi, mas logo a seguir, no mesmo ano, reabriu”.
“No momento, a Filarmónica Imaculada Conceição está com muita gente jovem, que nos permite prever uma longa vida para esta instituição”.

41 músicos e sete jovens na escola

Terminada a época musical de 2019, no início do corrente mês, a Filarmónica Imaculada Conceição tinha 41 músicos e sete jovens na escola de música. Aliás, “o sucesso destas instituições, ao nível das freguesias rurais passa pelas escolas de música, e se não assim não fosse, as instituições estavam fechadas há muitos anos, porque temos uma visão um pouco diferente daquela que acontece nos meios mais citadinos, que é as filarmónicas pagarem aos músicos. Aqui, ninguém paga nada a ninguém, o que acontece é uma festa no final do ano, um cabaz de Natal e de tempos, em tempos, um passeio”.
“Temos que ter uma escola de música, porque todos os anos há jovens que vão estudar para fora, outros que casem fora da Freguesia e outros que também desistem, pelo que há uma necessidade de estar sempre a repor músicos, e o sucesso destas instituições em meios mais pequenos passa pela formação musical, e nós, graças a Deus temos tido boas colheitas e todos os anos fazemos, pelo menos, um ou dois músicos”.
Em termos de instrumentos, a Filarmónica Imaculada Conceição está bem e recomenda-se. “Fizemos uma candidatura, há meia dúzia de anos, ao Programa de Desenvolvimento Rural da Região Autónoma dos Açores (PRORURAL), para compra de instrumentos, fardamentos e beneficiação das instalações, e portanto, nesta altura a Filarmónica Imaculada Conceição, em termos físico não tem problemas nenhuns. Já no que toca a capital humano, também estamos bem, mas continua deficitário a questão do dirigismo. No resto, a banda está no bom caminho, tem-se apresentado muito bem e este ano demos concertos de muito bom nível em toda a ilha”. A Filarmónica Imaculada Conceição tem boas instalações, com uma ampla sala de ensaios e outra para formação de músicos, uma outra para os instrumentos, uma sala de visitas, um pequeno bar e uma zona de lazer, com instalações sanitárias, uma sala da direcção, um pequeno espaço de arquivo e outro de museu.
A breve trecho está prevista uma deslocação ao continente. Ou seja, no próximo ano deverão receber a visita de uma congénere do continente para depois, no ano seguinte, a visita poder ser retribuída.

Um dedicado maestro

No futuro, “a instituição tenciona também editar um novo CD, que dependerá da qualidade artística e do trabalho que está sendo desenvolvido pela Filarmónica Imaculada Conceição, que tem sido um trabalho muito exigente, muito profissional, com um maestro que se dedica de alma, e coração à Filarmónica e à comunidade”. O Maestro Almarim Silva, segundo Victor Sérgio Raposo de Lima, “tem sido o grande obreiro do sucesso da Filarmónica, porque tem acompanhado a mesma em termos de regência, mas também é quem faz a formação musical e temos tido muito sucesso, porque infelizmente aqui no Concelho não há conservatório, e então a formação é toda feita, em casa, na nossa instituição. Não é natural da Freguesia, mas adoptou esta terra como sendo sua, está muito identificado com os usos e costumes da Lomba da Fazenda e com as maneiras de ser e de estar dos nossos músicos, e já é um dos nossos”.
Acresce referir, que a Filarmónica Imaculada Conceição gravou o seu primeiro CD a 16 de Junho de 2001.     
 

Print

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima