Gerações ... Carlos Mota

“As amizades de ‘um ilhéu’ são diferentes das amizades tidas fora das ilhas, as afinidades são fortes e duradouras”

Quando e onde nasceu?
Nasci nos anos 60, em Ponta Delgada.

Conte-nos um pouco o que foi a sua infância e juventude?
A minha infância e juventude foram maravilhosas. Sempre vivi na cidade de Ponta Delgada, mas dentro de portas, era como estivesse no campo; o que é  hoje a Rua Dr. Victorino  Nemésio era uma quinta onde tínhamos a liberdade de andar no campo e ter contacto com a natureza.
Os verões  nas Caldeiras da Ribeira Grande passados em  família e onde se reunia os amigos que tinham casa de veraneio neste lugar.
Recordo também as minhas idas no  Verão à Povoação de onde a minha mãe é originária.

 Que tradições/costumes da nossa terra recorda deste tempo e que hoje já não se celebrem da mesma maneira, ou de todo?
 Desta época recordo-me,  das matanças  de porco que o meu falecido pai realizava para os casais amigos, a que vinham os meus amigos.
Os passeios de  barco no Gaspar Frutuoso, que pertencia ao antigo Hotel Infante, que era propriedade do meu pai, em que sempre iam os  meus amigos.
Os tempos do Clube  Naval,  onde éramos uma” família”. Lembro também das nossas brincadeiras na avenida marginal, quando o meu  pai se reunia com os amigos ao Domingo, onde iam os meus amigos.
  
Comparando com a geração dos dias de hoje, na sua opinião que diferenças existem em relação à geração em que nasceu?
Não existem comparações possíveis, são épocas  diferentes.
Havia uma ambiente familiar único que hoje em dia não existe pelo ritmo de vida que temos. 

 Que evoluções e alterações tem notado no mundo de trabalho desde que se iniciou até àquilo que é hoje a sua realidade profissional? 
Existe uma grande evolução na minha profissão, desde que comecei a minha carreira, bem como nos prestadores de serviços, com as novas  tecnologias a utilizar.
Hoje poderá trabalhar-se à distância com todas as ferramentas existentes.

Como foi feito o seu percurso profissional?
Comecei os meus estudos  no Técnico, não terminei o curso, a seguir fui para Bruxelas tirar o curso de Arquitectura de Interiores e Pintura da qual até aos nossos dias exerço, apesar dos estudos no Técnico terem dado muita base para as minhas profissões actuais. 

As viagens são uma parte importante da sua vida. Que viagens mais gostou de fazer e que outras sonha realizar?
 As viagens são fundamentais para as minhas profissões.
 Todas as minhas viagens  - City  Break-   são fundamentais para o meu enriquecimento profissional, bem como são as grandes viagens que realizei.
 As viagens que mais gostei  de fazer foram ao Perú, ao Egipto e ao Brasil.

Os amigos que lugar têm na sua vivência diária? Relaciona-se com os seus amigos com maior frequência nos dias de hoje ou quando era mais jovem?
São muitos  importantes. Os meus melhores amigos ainda hoje são os de infância, podemos estar distantes e não nos falarmos todos os dias, mas quando estamos juntos é como estivéssemos todos os dias.
As amizades de ‘um ilhéu’ são diferentes das amizades tidas fora das ilhas, as afinidades são fortes e duradouras.
Muito por estas amizades virem quase sempre do nosso seio familiar.

 Como é a sua relação com a internet? Usa-a apenas para o trabalho ou como forma de lazer também? Esta relação foi evoluindo ao longo dos tempos?
A internet hoje em dia é fundamental  para as minhas  profissões. Hoje, com esta ferramenta tecnológica consigo trabalhar  com  colegas e com clientes à  distância o que, em outros tempos seria de todo impossível.
 Nesta fase profissional quase não tenho reuniões, tento ter o mínimo suficiente para ganhar tempo na minha vida privada.
Temos de saber utilizar estas preciosas ferramentas para evoluirmos.

 Como caracteriza o modo de vestir nos dias de hoje e na época em que estudava e que começou a trabalhar, por exemplo?
Antes haviam tabus no guarda roupa para trabalhar, haviam quase normas, hoje tudo está melhor e descontraído, temos de ter sim, respeito mútuo por quem trabalha.

 Como define a sua alimentação actualmente? Acha que a mesma tem mudado ao longo dos tempos tendo em conta a modernização que a própria gastronomia tem sofrido?
 Tenho mudado a minha alimentação, pelas minhas vivências e  também por haver muito mais informação. Hoje em dia tenho uma alimentação saudável e equilibrada.

Na sua profissão, que evolução assistiu e que propostas gostaria de ver introduzidas para uma melhor realização de quem trabalha na sua área, que é vasta desde a arquitectura ao design e à pintura?
A evolução foi tremenda  como digo atrás, ao nível tecnológico e quem não se adaptou tem grandes dificuldades em evoluir e prosseguir.
São profissões de grande persistência e trabalho, nada se consegue sem “sacrifícios”.
O que mais gostava  era, de uma vez por todas, hoje em dia, que as pessoas entendessem que não se necessita de um técnico estar ao nosso lado para poder trabalhar com o cliente, visto as tecnologias hoje estarem ao alcance de todos. Isto é, basta um clique para que toda a nossa vida seja bem utilizada. 
                    

Print

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima