Aloe arborescens

Câmara vai retirar e erradicar plantas atacadas em larga escala por insecto


A Câmara Municipal de Ponta Delgada revelou que os seus serviços vão proceder à retirada e posterior erradicação das plantas Aloe arborescens, mais conhecidas por aloé-candelabro, babosa ou foguetes-de-natal. A erradicação destas plantas tem a ver com o facto das mesmas terem sido infetadas por um inseto da espécie Hercinothrips dimidiatus, pertencente à ordem Thysanoptera.
De acordo com a mesma fonte, o insecto introduzido recentemente de forma inadvertida na ilha de São Miguel acabou por danificar gravemente as referidas plantas, que sofreram alterações diversas, como, por exemplo, a alteração da cor verde das folhas para tons de castanho e posterior seca das folhas basais.
Na última semana, após uma reunião com a Direção de Serviços de Agricultura, a câmara diz que “concluiu-se que a resolução deste problema passa pela retirada e erradicação das espécies já atacadas a larga escala”. 
Uma vez que os referidos Aloés estão identificados como espécies invasoras que comportam risco ambiental, está proibida a sua plantação.
Nas situações em que ainda é possível tratar, e não havendo nada homologado para o combate a esta praga, aconselha-se o uso de sabão de potássio, que é um sabão natural com efeito inseticida largamente usado na agricultura, sobretudo na agricultura biológica. Este sabão não traz quaisquer implicações ou riscos para a saúde pública, não devendo ser confundido com um produto fitofarmacêutico inseticida de síntese.
Refira-se que a presente situação é transversal, atacando tanto espaços públicos como privados. Neste sentido, a Câmara Municipal de Ponta Delgada, em comunicado, apela a todos os privados que procedam ao tratamento quando possível, e quando não seja à remoção e erradicação da referida planta.
 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima