União Europeia reduziu quota do goraz e Governo dos Açores diz que “não é preocupante”

 Contra as expectativas dos Açores, que entendiam existir condições científicas demonstrativas da possibilidade de um aumento de quota do goraz para o próximo ano, a União Europeia diminuiu a quota de goraz para Portugal em 23 toneladas em 2020, soube o Correio dos Açores.
O quadro das “possibilidades de pesca para o goraz nas águas da União” passa a quota de Portugal de 566 toneladas em 2019 para 543 toneladas em 2020.
O regulamento do Conselho da União Europeia é datado de 26 de Setembro de 2019.
A Direcção Regional das Pescas minimizou esta redução da quota ao Correio dos Açores’ e explica que a decisão foi tomada como medida de precaução para a pescaria da espécie em toda a União Europeia e não por qualquer razão específica relacionada com a pesca no arquipélago.
O facto é que esta redução da quota do goraz para Portugal causou surpresa junto da Federação das Pescas dos Açores. O Presidente da Federação, Gualberto Rita, começou por referir que não tinha conhecimento da regulamentação e pediu tempo. 
Na posição enviada a Bruxelas, o Executivo açoriano defendia que o actual regime de avaliação da capacidade da frota de pesca do goraz deve ser flexibilizado com a adaptação dos indicadores da capacidade de pesca à realidade das diversas frotas e pescarias. 
Os Açores a 80% 
da quota em 2018

O ano passado foram descarregados nas lotas dos Açores 253.215 quilos de goraz a um preço médio de 17.18 euros o quilo, o que representou o valor de cerca de 4,3 milhões de euros;  e 191.929 quilos de peixão a um preço médio de  10.86 euros o quilo, o que representou o valor de cerca de 2 milhões de euros.
No total, foram capturados o ano passado nos Açores 445.144 quilos de goraz e peixão, que ficaram aquém da quota definida pela União Europeia para a Região que era de 507 toneladas.
A Associação de Produtores de Espécies Demersais dos Açores informou  a 21 de Dezembro  de 2018 que, “considerando os dados das capturas efectuadas pela frota portuguesa, de goraz (Pagellusbogaraveo) nas águas da União e águas internacionais da subzona 10, com o código SBR/10-, a utilização da quota atingiu os 80% podendo vir a ser necessário proceder ao encerramento desta pescaria”.
 
Pescadores dividem o tempo
entre pesca do goraz e da lula

De Janeiro a 15 de Setembro do ano em curso foram descarregadas nas lotas dos Açores 165.222 quilos de goraz ao preço médio por quilo de 17.47 euros, o que representa um valor à volta de 2,8 milhões de euros; e 201.715 quilos de peixão ao preço médio de 9.39 euros o quilo, o que representa cerca de 1,9 milhões de euros.
No total foram pescados até ao dia 15 de Setembro do ano em curso 366.939 toneladas de goraz e peixão, muito à aquém da quota. 
Os pescadores com quota de goraz têm vindo a dedicar-se também à pesca da lula que tem aparecido em grandes quantidades junto à costa, sobretudo da ilha de São Miguel, mas ainda têm três meses de pesca de goraz e peixão para atingirem a quota regional. 
É relevante neste quadro da pesca, que o goraz e o peixão atinge os valores mais elevados em lota na Região e no mercado espanhol.
É preocupante para a Região se a frota com quota do goraz não se preocupar em esgotar a sua capacidade de pesca até ao final de Dezembro e a Região voltar, este ano, a não atingir a quota estabelecida pela União Europeia. 
                                     

Print
Autor: João Paz

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima