III Encontro Internacional de Poesia no maior concelho dos Açores

“Se há alguma cidade no mundo que pode ostentar o título de cidade dos poetas é a cidade de Ponta Delgada” refere João Carlos Abreu

O III Encontro Internacional de Poesia vai decorrer em Ponta Delgada entre os dias 10 e 12 de Outubro. No dia 13 realiza-se um encerramento social com todos os participantes do evento.
No âmbito da apresentação do programa do deste encontro, o Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro, elogiou a cidade de Ponta Delgada: “somos uma cidade de poetas. Para justificar no presente aquela que é uma história de poetas em Ponta Delgada e nos Açores, vamos realizar estes encontros internacionais que ajudam a valorizar não apenas a história, mas sobretudo um presente pedagógico e que enaltece os poetas que hoje, dia-a-dia, continuam na sua inspiração.”
Sob o lema “A Condição de Ilhéu”, este evento irá “transformar edifícios públicos como forma de expor alguma poesia e por isso, edifícios como a Biblioteca Municipal, o Centro Municipal da Cultural e a Sinagoga serão fachada onde haverá exposição de poesia exactamente de autores para celebrar a realização deste encontro” como refere o edil. Localizada no centro histórico de Ponta Delgada, a Rua Hintze Ribeiro, sendo pedonal, irá permitir várias exposições através de painéis com outros poemas. “Para futuro, é nosso objectivo que em diferentes fachadas da cidade de Ponta Delgada possam ficar em permanência poemas dos diferentes poetas que queremos distinguir e cuja poesia muito nos inspira, dando razão e conteúdo à ideia de Ponta Delgada ser a cidade de poetas” acrescenta José Manuel Bolieiro.
Cidade berço de Antero de Quental e Natália Correia, nomes incontornáveis da literatura açoriana, José Manuel Bolieiro diz ser “possível conjugar a memória dos que já não estão connosco e a sua valorização com o respeito pela inspiração daqueles que hoje convivem connosco e que nos beneficiam com o seu talento”. Nos Paços do Concelho de Ponta Delgada, é possível observar duas faixas com poemas de Antero de Quental e de Natália Correia.
João Carlos Abreu, poeta madeirense, a quem José Manuel Bolieiro também enalteceu com algumas palavras de agradecimento pelo seu contributo na iniciativa, diz que “aos 84 anos de idade, encontrou a cidade dos poetas! Se há alguma cidade no mundo que pode ostentar o título de cidade dos poetas é a esta.” Realçou a grande quantidade de poetas que o arquipélago dos Açores tem, com especial destaque para a ilha de São Miguel. “É preciso ter em conta a qualidade dos painéis que vão dar uma possibilidade de os poetas discutirem, trocarem ideias e valorizarem. Será um conhecimento importante para um futuro e que foram fruto da escolha da organização” acrescenta o poeta madeirense. Sobre o género literário em questão, diz: “os poetas são aqueles que têm o condão de ver as coisas por um prisma que os outros não conseguem ver. Exprimem sentimentos e passam mensagens fundamentais.”
O encontro internacional é bienal na maior cidade açoriana, permitindo deste modo “um circuito dentro daqueles que são os nossos parceiros nesta realização internacional” explica José Manuel Bolieiro. A primeira edição, realizada em 2017, teve lugar em Ponta Delgada, e no ano passado, realizou-se na ilha do Porto Santo. “Isto ajuda a criar uma reunião internacional de poetas e de poesia”. As Canárias serão palco da edição de 2020, conforme foi relevado na conferência. O balanço dos “1.º e 2.º encontro é a razão da continuidade e até do entusiasmo da realização deste 3.º encontro e dos futuros encontros”. 

Encontro espalha-se entre o centro 
histórico e a Fajã de Baixo

O III Encontro Internacional de Poesia decorrerá em diversos lugares.
 A cerimónia de abertura terá lugar no dia 10, quinta-feira, no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Ponta Delgada às 17h30. De seguida, haverá uma sessão itinerante de poesia pela Praça do Município, Portas da Cidade e Largo da Matriz. Na Rua Hintze Ribeiro, às 18h45, a exposição de permanente de poesia será inaugurada. Na Casa José Franco, pelas 19h, decorre o lançamento do livro “Processo Continuous: Poemas Mecânicos” de Maria Fernandes. Às 22h, a Casa Hintze Ribeiro vai ser palco de um Café Concerto.
No segundo dia do evento, decorre o Roteiro Antero de Quental, a começar às 10h. Comentando por José de Almeida Mello, terá início no Cemitério de São Joaquim, percorrendo lugares de cariz cultural relacionados com a vida do poeta. Na Escola Secundária a qual foi atribuída o seu nome, decorrerá uma sessão com estudantes, às 12h, coordenada por Maria João Ruivo. Entre as 15h e as 18h30h, no Centro Natália Correia, irão ser apresentadas várias comunicações de diversos autores oriundos da Madeira, Canárias, Cabo Verde, Portugal Continental, incluindo também dos Açores. Na Casa da Madeira nos Açores, Luís Ramos Freitas irá lançar o seu livro intitulado “Arritmias”. Para finalizar o segundo dia, haverá uma tertúlia poética no Lava Jazz às 22h.
No sábado, último dia do encontro, a partir das 10h, na Livraria LeYa Solmar e a partir das 11h30 na Livraria Letras Lavadas, decorre o Encontro com Livros de Poesia. Novamente, entre as 15h e as 18h30, serão apresentadas mais comunicações no Centro Natália Correia. Às 22h, no Estúdio 13, decorrerá o espectáculo de encerramento coordenado por Eleonora Marino Duarte.

            Rita Frias

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima