Três ramos das Forças Armadas prosseguem os trabalhos com vista à reabertura rápida do porto das Lajes das Flores à navegação

A Marinha portuguesa revelou ontem que A fragata “Álvares Cabral” e o navio reabastecedor “Bérrio”, da Marinha Portuguesa, com 280 militares embarcados, já estão nas Flores para fornecerem todo o apoio necessário à população, tanto da ilha das Flores como do Corvo, no qual se inclui o fornecimento de combustível e bens de primeira necessidade.
Para o reabastecimento de combustível, está em curso um estudo entre as Forças Armadas, a Secretaria Regional dos Transportes e Obras Públicas e os Portos dos Açores, para definir uma linha de acção que permita fazer chegar o combustível a terra.
A fragata “Álvares Cabral” enviou uma equipa de fuzileiros para ajudar a fixar os contentores arrojados na costa junto ao cais das Lajes das Flores, como medida preventiva para garantir que estes não regressam novamente ao mar.  Simultaneamente, irá apoiar as operações de mergulho, para tentar a reflutuação e remoção de contentores afundados no interior da área portuária, assim como blocos de betão junto ao cais.
O Navio Patrulha Oceânico “Setúbal” encontra-se no Porto da Horta, a embarcar bens de primeira necessidade com destino às ilhas das Flores e Corvo. Foram também iniciados os trabalhos de sondagem na aproximação ao Porto das Lajes e, em simultâneo, uma equipa de fuzileiros iniciou o reconhecimento de uma extensão de 6 km de costa a Norte e a Sul do Porto das Lajes, para identificar eventuais contentores à deriva ou arrojados à costa.
Os trabalhos prosseguem com a reflectuação e remoção de contentores afundados no interior da área portuária e blocos de betão junto ao cais. Para a remoção de um dos blocos, o mesmo terá de ser fraccionado pela equipa de Mergulhadores da Marinha.
A equipa de engenharia do Exército acompanhou o Presidente da Câmara Municipal das Lajes das Flores numa visita às infraestruturas críticas do concelho, para avaliação.
Com recurso às diferentes valências das equipas militares da Marinha, do Exército e da Força Aérea, com um total de cerca de 350 militares, prosseguem os trabalhos em estreita colaboração com a Secretaria Regional dos Transportes e Obras Públicas e os Portos dos Açores, para tornar novamente praticável o Porto das Lajes das Flores.
Na colaboração dos três ramos das Forças Armadas com a Secretaria Regional dos Transportes e Obras Públicas e os Portos dos Açores, estão empenhados cerca de 350 militares e vários meios da Marinha, do Exército e da Força Aérea. Em nota à imprensa, A Autoridade Marítima Nacional, através da Capitania do Porto de Santa Cruz das Flores, continua a avaliar as informações disponibilizadas pela Força Conjunta e a recolher informação e características dos navios de tráfego local, para avaliar a possibilidade de autorizar a prática do porto comercial das Lajes das Flores a estas embarcações. Durante a tarde de hoje, o Capitão do Porto de Santa Cruz das Flores reuniu com o Presidente do Conselho de Administração da Portos dos Açores, para avaliar o estado do porto.
A Polícia Marítima mantém o policiamento, garantindo a segurança dos acessos e dos trabalhos que decorrem no porto, e está a apoiar a entrada de embarcações na água com uma viatura todo-o-terreno.
A Capitania do Porto revela que monitoriza, de forma permanente, a situação ambiental, com especial atenção para a remoção de detritos e embarcações, com o objectivo de evitar focos de poluição no espelho de água provenientes do cais.
Os trabalhos de recuperação do porto decorrem após Furacão Lorenzo ter deixado um rasto de destruição ao passar nos Açores.
 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima