Alexandre Gaudêncio demite-se da liderança do PSD/Açores

Alexandre Gaudêncio demitiu-se da liderança do PSD/Açores e pede eleições internas directas. 
“O PSD/Açores necessita de uma clarificação interna e só assim poderá ser capaz de se apresentar aos açorianos como um verdadeiro projecto político alternativo à actual governação socialista que está a levar a nossa Região à bancarrota”, referiu o líder do partido na tarde de ontem. 
O PSD “é um partido plural, democrático, que ouve a voz dos seus militantes. Temos a ambição de ganhar, mas para isso o partido necessita de fortalecer a sua acção interna para externamente mostrar-se uma força capaz de motorizar os açorianos para um projecto político e alternativo ao actual partido da governação” explica o líder social-democrata, tendo por isso decidido pedir ao Conselho Regional eleições directas antecipadas, estando confiante que este será um momento oportuno para esta clarificação interna. Já dizia Sá Carneiro: saber estar e romper a tempo, correr os riscos da adesão e da renúncia, pôr a sinceridade das posições acima dos interesses pessoais, isto é a política que vale a pena.  O PSD/Açores é mais importante que qualquer um de nós” referiu Alexandre Gaudêncio.
“Os conflitos têm que ser assumidos e resolvidos dentro de casa e não na praça pública”, referência dita por Alexandre Gaudêncio devido ao facto de “alguns militantes do partido continuarem a maltratar na praça pública o líder do PSD/Açores e, por inerência, o partido. É preciso deixar claro que a oposição deve ser feita aos opositores partidários exteriores e não a todos aqueles que passam pela liderança do PSD/Açores.” Lançou ainda um desafio: “quem se achar com condições de se apresentar aos militantes para liderar o partido, que o faça e que sejam os militantes a dar a voz para escolherem o melhor candidato para presidente do PSD Açores”.
O Conselho Regional que irá realizar-se dentro de alguns dias, irá analisar os resultados das eleições legislativas, mas a par desta nova situação, a liderança do partido é que estará em cima da mesa.
Sobre os motivos que o levaram a pedir eleições, diz ter sido “uma consequência de acontecimentos e que nunca se sentiu pressionado a tomar tal decisão. Nós sabemos que as eleições (legislativas) não decorreram como eram as nossas expectativas e a obrigação para qualquer eleição é ganhar.”
“A partir deste momento, sou um militante de base como sempre fui”. Alexandre Gaudêncio assumiu a demissão, mas continuará a contribuir para a vitória do PSD para as eleições regionais de 2020. “É este o grande objectivo desta situação e quero provocar esta decisão para que se possa engrandecer e ganhar as eleições. É nossa previsão fazer um congresso antes do final do ano para clarificarmos esta situação interna e começar o próximo ano com o pé direito com uma estrutura mobilizada, motivada para ganhar as eleições em 2020.”
Sobre se será candidato nas eleições directas, Alexandre Gaudêncio deixou tudo em aberto. 
Quanto à possibilidade de aparecerem outras candidaturas, responde: “ao avaliar pela quantidade de comentários negativos ao líder do partido, julgo que vai aparecer mais do que um candidato.” 
Neste momento há um candidato confirmado à liderança do PSD/Açores, que é o advogado Ricardo Pacheco, que foi Secretário-geral do Partido e posteriormente Vice-presidente. Aguarda-se também a decisão a tomar por Pedro Nascimento Cabral que ainda há pouco tempo anunciou que ia convocar um Conselho Regional, caso esse não fosse convocado pelos órgãos dirigentes do partido, e foi critico sobre a data e o dia, Sexta-feira, escolhida por Gaudêncio para reunir o Conselho Regional do PSD-Açores.                                   


 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima