Academia do Bacalhau em festa de “Prata”

A Academia do Bacalhau de São Miguel fundada a 30 de Outubro de 1994 é a 18ª de um grupo de 60 academias espalhadas pelo mundo, comemora este fim de semana o seu 25º aniversário que conta com a presença de compadres vindos de outras Academias portuguesas, de Lyon e de Toronto.
Do programa previsto para estes dias, e que pode sofrer algumas alterações devido ao mau tempo que assola a Ilha de São Miguel, consta visitas a vários pontos da ilha, nomeadamente à Fábrica do Chá, Ponta da Madrugada, Furnas, com cozido, Lagoa do Fogo e Caldeiras da Ribeira Grande, com caldeirada de bacalhau nas Caldeiras e ainda Sete Cidades, culminando com o Jantar das Bodas de Prata, no Sábado, pelas 20 horas.
As academias do Bacalhau espalhadas pelos quatro continentes são actualmente o maior movimento de representação de Portugal no mundo com um procedimento além fronteiras idêntico, por exemplo, às casas dos Açores espalhadas pela diáspora. 
A primeira, fundada em 1968, foi em Joanesburgo, chamada de Academia mãe e a última foi a de Kinshasa no Congo, efectivada a 28 de Abril de 2019, passando por Suazilândia, New Jersy, Brasília, Caracas, Bruxelas, Angola, Moçambique, Pietermaritzburg, … etc, reforçando assim a união existente. Um membro de uma Academia é um membro de todas as Academias.
No passado fim de semana, no LXVIII Congresso Mundial na Cidade do Porto, foram admitidas mais três academias : a de Trás-os-Montes, Quito no Equador e a de Sydney , a segunda na Austrália. 
No âmbito da recolha de roupas com destino a Moçambique, alguns entraves dificultaram o envio. Contudo, junto com uma outra Associação, a “Fraternidade que nos Une” foram enviados para o  Mindelo, Cabo Verde, 154 caixotes  de roupa nova, com um volume de aproximadamente 16 metros cúbicos Segundo as responsáveis pela Academia do Bacalhau, na pessoa do seu Presidente, Valter Franco, tal gesto de solidariedade só foi possível, graças ao contributo  da empresa Euromotas e do frete marítimo que foi suportado pelo Grupo Sousa.
Entre outras actividades solidárias, a Academia continua a suportar uma bolsa de estudo na Universidade dos Açores a um aluno carenciado,    
É ainda fundadora e Madrinha das Academias do Bacalhau da Ilha Terceira e da Ilha do Faial e recebeu em 2002, no âmbito da organização do XXXI Congresso Mundial em Ponta Delgada, a medalha de Mérito das Comunidades Portuguesas. Para Valter Franco, o actual momento celebrativo da Academia, é um marco na vida de todos quantos se sentem irmanados na Amizade, Portugalidade e Solidariedade.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima