Ciência e Mar são novas áreas da relação entre os Açores e a Bermuda, afirma Vasco Cordeiro

O Presidente do Governo afirmou ontem que o Mar e a Ciência constituem duas novas áreas da relação entre os Açores e a Bermuda, apontando o Atlantic International Research Centre – AIR Centre como uma possibilidade para reforçar as parcerias entre os dois territórios.
 “Por esta via podemos fomentar esta cooperação, quer do ponto vista das entidades públicas, mas também ao nível das entidades privadas. Aliás, o caso do AIR Centre é um dos exemplos em que a possibilidade de entidades privadas poderem participar fortalece o próprio projeto, mas também cada um dos participantes”, salientou Vasco Cordeiro.
 O Presidente do Governo falava na cerimónia destinada a assinalar os 170 anos da chegada dos primeiros portugueses à Bermuda, no âmbito da deslocação oficial que está a fazer a este território a convite do Premier Edward David Burt. 
No terceiro dia desta deslocação oficial, Vasco Cordeiro sublinhou que o Atlântico é, também, outra das áreas que pode fortalecer a relação entre os Açores e a Bermuda ao nível científico, recordando a parceria já existente sobre o Mar dos Sargaços, um importante ecossistema oceânico aberto. 
“No fundo, trata-se de colocar esta relação num novo patamar. Ou seja, juntar a componente afetiva que já liga muitos Açorianos à Bermuda à componente política e institucional que possa fomentar e reforçar essa cooperação”, afirmou o Presidente do Governo.
 “Estas são áreas em que me parece ser perfeitamente possível estreitar essa relação, tirando proveito daquela que é uma nova abordagem em relação à presença dos Açorianos e portugueses neste território, de valorização até política, de atenção e reconhecimento do contributo que tem sido dado para o desenvolvimento da Bermuda”, referiu Vasco Cordeiro.
 Esta é a primeira deslocação oficial de Vasco Cordeiro à Bermuda, que foi destino da emigração açoriana desde meados do século XIX.

“Reforçar a relação entre os dois povos”

Ao longo da sua estadia, o  Presidente do Governo destacou a “aventura” dos Açorianos que, a partir do século XIX, partiram para a Bermuda para “lutar por uma vida melhor”, salientando que estes valores devem servir de motivação para reforçar a atual relação entre os Açores e a Bermuda.
 “Estamos a celebrar um facto histórico, mas gostava de vos convidar a olhar em frente para o que representa este aniversário. Ele representa a vontade de lutar por uma vida melhor, o empenhamento de ajudar a construir uma terra que não é aquela onde se nasceu e a tenacidade de ultrapassar a ausência da família”, afirmou Vasco Cordeiro.
 O Presidente do Governo falava sábado numa recepção oferecida pelo Premier Edward David Burt, no final do primeiro dia da deslocação oficial à Bermuda, no âmbito das comemorações dos 170 anos da chegada dos primeiros portugueses a este território ultramarino britânico.
 “Estes não são valores apenas de 170 anos atrás. Estes são valores que estão ainda presentes nas nossas sociedades”, frisou Vasco Cordeiro, para quem a “melhor forma de honrar aqueles que, há 170 anos atrás, embarcaram nesta aventura é com olhos postos no futuro” nesta relação entre os Açores e Bermuda.
 “Vamos olhar para o futuro e ver como podemos reforçar esta relação entre dois povos e dois territórios que estão empenhados com estes valores e honrar estes passado comum”, preconizou o Presidente do Governo.

Eleitos 18 conselheiros do Conselho
da Diáspora Açoriana
 
O Presidente do Governo anunciou que a eleição dos 19 conselheiros que vão integrar o novo Conselho da Diáspora Açoriana estará concluída em abril do próximo ano, representando todas as comunidades açorianas espalhadas pelo mundo.
 “Aqui, na Bermuda, e passados apenas cerca de oito meses do anúncio da criação deste Conselho da Diáspora, posso anunciar que hoje mesmo entrou em funcionamento a nova plataforma electrónica que permitirá o recenseamento dos Açorianos no mundo”, afirmou Vasco Cordeiro.
 O Presidente do Governo falava domingo na sessão solene de comemoração dos 170 anos da chegada dos primeiros portugueses à Bermuda, no âmbito da deslocação oficial que está a efetuar, a convite do Premier Edward David Burt, a este território ultramarino britânico que tem sido um dos destinos da emigração açoriana desde meados do século XIX.
 Segundo disse, com a disponibilização desta plataforma electrónica, acessível no endereço https://acorianosnomundo.azores.gov.pt/, estão criadas as condições para ser dado o “passo seguinte de dar expressão prática ao Conselho da Diáspora Açoriana, através da eleição dos 19 conselheiros eleitos pelos Açorianos da Diáspora, um processo que se prevê que esteja concluído em Abril”.
 Perante cerca de 150 elementos da comunidade açoriana na Bermuda, Vasco Cordeiro adiantou ainda que a criação do Conselho da Diáspora, proposto pelo Governo e aprovado, por unanimidade, pela Assembleia Legislativa, tem como “objectivo primeiro convocar e envolver o Povo Açoriano espalhado pelo mundo no projecto de desenvolvimento que aspiramos para a Região”.  Na sua intervenção, Vasco Cordeiro salientou, por outro lado, que, também na Bermuda, se encontra e testemunha o “genuíno empenho dos emigrantes Açorianos em serem cidadãos actuantes e construtores dos territórios e países de acolhimento, sem prescindirem da sua identidade e do seu apego às nossas ilhas”.
 “Esta dupla acção – integração e preservação – está bem espelhada nas organizações, instituições, empresas e indivíduos que contribuem para o enriquecimento social e cultural da Bermuda e que constituem, no fundo, o cerne das celebrações deste 170.º aniversário”, sublinhou. 
De acordo com o Presidente do Governo, a realidade dos Açores só se completa com a Diáspora e a sua vontade expressa de celebrar, nas mais diversas latitudes, a sua identidade originária.
 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima