Colégio começou com 20 alunas e agora são 500 alunos e alunas na instituição de ensino que assinala agora 60 anos no actual edifício

 

O Colégio de São Francisco Xavier, em Ponta Delgada, é dirigido pelas Irmãs da Congregação de São José de Cluny, fundada em França em 1807, por Ana Maria Javouhey. As irmãs fundadoras chegaram a São Miguel a 23 de Janeiro de 1893, com a Madre Superiora Maria Hermance, irlandesa, a bordo do navio “D. Maria. O Colégio começou a funcionar no dia 6 de Fevereiro de 1893 com 20 alunas, no edifício onde se situa actualmente a Escola Preparatória Roberto Ivens, na Rua do Mercado.
Em 1910, com a proclamação da República, as Irmãs tiveram de fechar o Colégio e sair da ilha e de Portugal, com muito pesar de grande parte da população.
Após um interregno, as irmãs voltaram a São Miguel em 1932. A 22 de Setembro desse ano, partiram de Lisboa as irmãs destinadas a fundar o novo Colégio de São Francisco Xavier, lideradas pela Madre Superiora Alice de Maria Imaculada e acompanhadas pela Madre Provincial, Madre Madalena dos Serafins. Chegavam a São Miguel no dia 27 de Setembro, “sendo recebidas com simpatia por vários sacerdotes e algumas senhoras, antigas alunas, que se tinham empenhado na sua vinda”, pode ler-se na história do Colégio. 
Foram recebidas pelo padre José Gomes, nomeado Director do Colégio, e tomaram posse da casa onde se ia instalar o Colégio, no dia 3 de Outubro de 1932. Este edifício, com a entrada em frente à Igreja de São Pedro, é o actual Hotel de São Pedro.
Depois de alguns dias ocupadas em mobilar as aulas, receber visitas, preparar os prospectos e matricular as alunas, o Colégio foi inaugurado a 15 de Outubro com a Santa Missa celebrada pelo padre José Gomes e à qual assistiram o Presidente da Câmara e várias famílias.
A 17 de Outubro começaram as aulas com 120 crianças para o ensino primário e 20 para o 1º ano do secundário. Destas crianças, 70 inscreveram-se para aprender o Francês e o Inglês, além de 30 jovens que se matricularam no Colégio apenas para essas línguas. 
Além do trabalho das aulas, uma Irmã auxiliava na catequese, ao Domingo na Paróquia. Todas as primeiras sextas-feiras do mês o dia escolar começava com Missa na Igreja de São Pedro solenizada pelo Grupo Coral de Santa Cecília, havendo todo o dia adoração do Santíssimo Exposto na Capela do Colégio onde os grupos de alunas e as Irmãs se revezavam de meia em meia hora.
A 29 de Abril de 1943, durante as férias da Páscoa, o Colégio de São Francisco Xavier foi transferido para o Convento da Esperança, a pedido do Bispo e do Governo, para se retomar ali a Vida Religiosa após 10 anos de interrupção.
Para essa mudança, deslocaram-se a São Miguel a Vigaria Geral da Congregação, Madre Catarina de Jesus Cristo de Ornelas e a Madre Principal, Madre Madalena dos Serafins.
De acordo com a História do Colégio, os primeiros tempos foram muito penosos porque o Convento estava num estado lamentável de abandono e foi difícil instalar lá todas as aulas. Foi à custa de muitas obras de restauração e adaptação. As aulas começaram no Convento da Esperança a 4 de Maio de 1943 e nessa altura já havia alunas até ao final do Ensino Secundário. Em 1942 tinha começado um curso prático tendo no programa Cultura Geral e Trabalhos Domésticos e de Agulha.
No Convento, acrescentou-se às actividades normais, o serviço relacionado com a devoção e as Festas do Senhor Santo Cristo: missas cantadas, serviço da roda onde se recebiam esmolas em troca de uma lembrança do Senhor Santo Cristo, confecção de flores para o Andor, ornamentação da igreja e de coros baixos e de cima, etc.
A 25 de Junho de 1955 teve lugar a Bênção do terreno e da 1ª pedra do Novo Colégio que se tornou necessário construir por falta de espaço e de funcionalidade do Convento da Esperança à medida que aumentava o número das alunas, já mais de 400, e as exigências do ensino e da educação das mesmas.
As obras de construção começaram no dia 1 de Fevereiro de 1957 com um subsídio do Estado e a ajuda da Casa-Mãe da   Congregação. A 15 de Fevereiro de 1957 assinalou-se o 25º aniversário do regresso das Irmãs aos Açores depois da Revolução de 1910.
A 11 de Outubro de 1958 foi inaugurado o Novo Colégio, no edifício actual, na Rua Agostinho Pacheco. Só estava concluída a parte Sul e funcionavam aí provisoriamente todas as aulas, que abriram a 15 de Outubro.
A nova Capela deste Colégio foi benzida a 4 de Março de 1960 e a parte Norte do edifício ficou concluída em Dezembro de 1963, começando as aulas primárias e secundárias a funcionarem ali em Janeiro de 1964. Na parte Sul ficaram as Salas do Ensino Infantil e todas as instalações do Internato e da Comunidade.
Com a vinda para o Novo Colégio começaram, a princípio 2 Irmãs e actualmente 4 Irmãs, a colaborar a tempo inteiro no serviço da Paróquia: catequeses nas escolas, visitas às famílias, cantina do Lajedo, etc.
Desde o início que foram organizados no Colégio, movimentos para voluntários entre alunas e alunos: Cruzada Eucarística, Juventude Escolar Católica Feminina (J.E.C.F.) e Pré-J.E.C.F., Congregação Mariana, Rosário Vivo, Legião de Maria. Entre as várias actividades, destacam-se por exemplo a ajuda às Missas, às famílias necessitadas material e moralmente.
As 60 alunas da Legião de Maria do Colégio tomaram grande interesse pelas famílias mais pobres do Lajedo, algumas das quais vivendo em grande miséria moral. Além das ajudas materiais em que todas as crianças do Colégio colaboram, no Natal e na Quaresma, começaram as legionárias de Maria a visitar as famílias em pequenos grupos, sob a orientação da Irmã responsável e das Irmãs que ali trabalham. Criaram laços de amizade verdadeiros com muitas dessas famílias.
Ainda como meios de formação, todos os anos se têm organizado com algumas variantes, festas, como a de São Francisco Xavier, com parte espiritual – Missa para todo o pessoal – e parte recreativa, quermesse, passeios, retiros ou recolecções, dias de estudo na Semana Mundial das Vocações, Missa nas primeiras sextas-feiras do mês, publicação de 1942 a 1965 duma pequena revista “Sob o Olhar de Maria”, etc. Em 1963 a Presidente da J.E.C.F. participou em Lisboa com a Irmã responsável no Grande Encontro da Juventude que reuniu ali 60.000 jovens de todo o país.
O Colégio procura colaborar com vários movimentos, acolhendo para as suas reuniões e recolecções as conferências de São Vicente de Paulo, cursos de cristandade, equipas de casais, acção católica, cursos Ad Gentes dos Missionários do Espírito Santo, etc. Têm-se feito, com maior ou menor assiduidade, reuniões de Antigas Alunas. Por vezes a Capela do Colégio abre as portas ao casamento de antigas alunas.
Desde a primeira vinda das Irmãs para a Ilha, têm surgido vocações religiosas quer para a nossa Congregação quer para outras.
Houve sempre necessidade de recorrer à boa colaboração de professoras e por vezes de professores leigos por insuficiência do número de Irmãs. O número de alunas, de 120 em 1932, foi aumentando de ano para ano, sendo de 250 em 1943 quando o Colégio se transferiu para o Convento da Esperança e de 400 quando veio para as novas instalações actuais. Depois de alguns altos e baixos, está actualmente com cerca de 500 alunos em co-educação. 
 

“A maior dificuldade que enfrentamos é a falta de crianças, fruto da baixa de natalidade e da perda de poder económico das famílias açorianas”

Assinalando 60 anos de existência no actual edifício, o Colégio de São Francisco Xavier tem sido uma marca na sociedade micaelense, transmitindo às gerações de alunos que por ali passam não só os valores do ensino mas também valores e princípios sociais, religiosos e culturais. A Directora Pedagógica do Colégio de São Francisco Xavier, Domingas Lisboa, revela que a principal dificuldade que enfrentam é a falta de crianças, mas as cerca de 500 que anualmente frequentam a creche, pré-escolar, 1º e 2º Ciclos são acompanhadas com uma “formação integral e plena” com competências essenciais à formação de homens e mulheres “de futuro e com futuro”.  Hoje pelas 14h30, haverá uma eucaristia de Acção de Graças para assinalar os 60 anos do edifício actual do Colégio e várias surpresas.
 

Correio dos Açores -  Quantos anos celebra este ano o Colégio e quais as actividades previstas para mais este aniversário?
Irmã Domingas Lisboa - A Província Portuguesa da Irmãs de São José de Cluny e o Colégio de São Francisco Xavier, em Ponta Delgada, estão em festa. O edifício actual, que acolheu centenas de crianças ao longo destes anos, celebra 60 anos de existência. 
Ao longo destas décadas muitos foram os que por aqui passaram, alunos, professores, pais, Irmãs, funcionários e demais colaboradores que foram sendo pedras vivas na construção da identidade deste Colégio. É de salientar que as irmãs de São José de Cluny contam já com 126 anos de presença na Ilha de São Miguel ao serviço da educação. É motivo para celebrar!
A celebração deste aniversário é, para nós, a manifestação da nossa alegria e agradecimento a quantos percorreram este caminho connosco e terá actividades que serão disto testemunhos. Começaremos com uma Eucaristia de Acção de Graças por todos os que fizeram e fazem parte desta comunidade educativa, seguir-se-á um pequeno convívio e confraternização com todos os presentes, alguns testemunhos, teremos, ainda, uma representação dos nossos alunos e concluiremos com a actuação da uma brilhante Banda.

Quais as valências actuais do Colégio? 
Neste momento o Colégio oferece as seguintes valências educativas: Creche; Pré-escolar; 1º e 2º Ciclos.

Quais os benefícios pedagógicos de ter o 2º Ciclo numa instituição que acompanha a criança desde a Creche?
É uma mais-valia, não só pela vertente religiosa, afectiva, artística, social, pedagógica, dado que o objectivo do Colégio é a formação integral do aluno, como também ajuda a fazer uma transição suave de um ensino de mono-docência para o 2º Ciclo cuja dinâmica é completamente diferente.

Que dificuldades se colocam à Instituição nos dias que correm?
Como qualquer Instituição, nos dias de hoje, a maior dificuldade que este estabelecimento enfrenta é a falta de crianças, fruto da baixa de natalidade e da perda de poder económico das famílias açorianas.

Sendo uma Instituição privada, os apoios advêm exclusivamente das mensalidades?
O Colégio de São Francisco Xavier é uma Instituição Privada sem fins lucrativos que conta apenas com as mensalidades dos alunos. Esta mensalidade resulta do pagamento dos Pais ao Colégio e do subsídio da Direcção Regional da Educação que atribui 100€ mensais, por criança, do pré-escolar ao 2º ciclo, perfazendo, assim, o valor total por aluno.

Com a época da crise ressentiram-se em termos do número de alunos? Agora voltou ao “normal”?
Naturalmente a crise sendo um fenómeno, não só de âmbito Regional, mas também nacional, teve repercussão nos estabelecimentos de ensino privados, mas agora, progressivamente, está a voltar ao normal.

A educação católica sempre foi vista como uma mais-valia em termos pedagógicos. De que forma sentem que estão a formar os católicos do futuro?
O Colégio de São Francisco Xavier é uma escola católica da Congregação das Irmãs de São José de Cluny. A instituição identifica-se com os princípios educativos que dão prioridade à dignidade da pessoa Humana, em todas as suas dimensões. Além de proporcionar uma educação de excelência, não descura aspectos tão importantes como a vivência de valores cristãos que permitam a formação a todos os níveis dos seus alunos. O principal objectivo do Colégio é a formação integral e plena de todos os seus educandos, onde o saber fazer não se dissocia do saber ser e do saber estar, desenvolvendo, nos mesmos, competências essenciais à formação de homens e mulheres de futuro e com futuro.

A orientação religiosa é condição para os alunos frequentarem o Colégio?
Sendo um Colégio de cariz católico, não faz acepção de pessoas, está aberto a todos quantos queiram assumir e identificarem-se com o nosso ideário e projecto educativo.

Quantas Religiosas se mantêm na Instituição? São suficientes?
Actualmente a Comunidade Religiosa das Irmãs de São José de Cluny, em Ponta Delgada, é constituída por 7 Irmãs. Tendo em conta o contexto actual de falta de vocações, em todas as congregações, damo-nos por felizes por ter as que temos, no entanto, são centenas as Irmãs que estão espalhadas pelo mundo inteiro. Todavia, mantemos a esperança de que surjam vocações religiosas na sociedade açoriana para o enriquecimento da Igreja de uma forma geral.

Como está a Congregação na Região? E que trabalho têm desenvolvido além do Colégio de S. Francisco Xavier?
A Congregação das Irmãs de São José de Cluny na Região está a realizar a sua missão evangelizadora através da educação. Para além de conjugar a componente de formação com a concretização pessoal de cada aluno, ajudando-os a tornarem-se cidadãos capazes de “trilhar” com convicção e sentido participativo, caminhos de sucesso no presente e no futuro, colabora com a comunidade em que está inserida, dando catequese no Colégio e na Paróquia, visita os doentes, distribui a comunhão aos doentes acamados, participa em actividades de solidariedade social como recolha de alimentos para o Banco Alimentar e outras, bem como ajuda e apoia pessoas necessitadas, sempre que lhe é possível, também faz parte de alguns organismos da paróquia e da Ouvidoria/Diocese, do Conselho Pastoral da paróquia, do Serviço Diocesano da Pastoral Familiar e laicado.
Esta é a missão de todos os que aqui trabalham, que se baseia nas palavras sábias da nossa fundadora Ana Maria Javouhey que postulava “como somos felizes por podermos ser úteis. Que linda missão o Senhor nos confiou”.
                                        

Print
Autor: Carla Dias

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima