Diversificação agrícola nos Açores tem potencial para continuar a crescer

O trajecto de crescimento feito no sector da diversificação agrícola nos Açores é o resultado da aposta dos produtores, mas também consequência da estratégia da  Região, que passa pela aposta na formação e no conhecimento, no reforço da dotação das ajudas do POSEI, bem como na implementação de planos estratégicos que serão fundamentais para o crescimento deste sector na próxima década.
“Nos últimos quatro anos registou-se um crescimento de 40% nas áreas de produção no sector da diversificação agrícola nos Açores, que foi acompanhado com uma adesão, sem precedentes, de jovens agricultores”, frisou João Ponte.
“Dos 230 jovens que se instalaram pela primeira vez na agricultura no actual quadro comunitário, 25% optou por investir na fruticultura, horticultura e floricultura, considerando que existe ainda muita margem para continuar a crescer de forma sustentável”, referiu o Secretário Regional, em declarações à margem da visita à Quinta Pôr do Sol, na Candelária, concelho de Ponta Delgada, dedicada à produção de morangos.
Nesta quinta, um projecto agrícola iniciado em 2013 após anos de experimentação, estão actualmente plantadas 30 mil plantas de morangos, que abastecem o mercado local, sendo que o proprietário está agora a investir também na criação de um tanque de água, com capacidade para 385 metros cúbicos de água.
Para o governante, “o crescimento verificado nas áreas de produção da diversificação agrícola foi também resultado do reforço de 55% na dotação das ajudas no âmbito do POSEI nos últimos cinco anos, mas também da aposta dos agricultores e do apoio prestado pelas organizações de produtores, bem como do bom aproveitamento dos fundos comunitários”.
No primeiro dia da visita do Governo dos Açores à ilha de São Miguel, João Ponte destacou ainda que “o grande dinamismo registado na diversificação agrícola é importante não só para o auto-consumo, mas em termos do potencial exportador, capaz de gerar postos de trabalho, riqueza e desenvolvimento económico”.
“O crescimento sustentável desta área agrícola é desejável e estratégico para o Governo dos Açores, contando os agricultores com um conjunto de planos estratégicos ao nível da agricultura biológica, mas também da fruticultura e apicultura, que resultam de um trabalho de parceria e de partilha de conhecimentos entre a Universidade dos Açores, organizações de produtores, agricultores e sociedade civil”, considerou João Ponte.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima