24 de novembro de 2019

Recados com Amor

Meus Queridos! A semana política passou-se à volta da visita do Governo a São Miguel, e a minha prima Ernestina esteve muita atenta ao que ia a imprensa desvendando… a certa altura ela telefonou-me depois de ter feito umas contas sobre o inicio dos trabalhos para a construção da tão prometida e sempre adiada cadeia de São Miguel, dizendo que se sente enganada e por isso, estava pior que uma barata. Perguntei-lhe a razão de tamanha irritação e ela respondeu dizendo: O meu querido Presidente Vasco Cordeiro anunciou que o projecto da nova cadeia  estava atrasado por causa da impugnação do concurso para o desmanche do monte do bagacina que vai custar acima de dois milhões de euros… e vão ser precisos dois anos para a execução dos trabalhos. A novidade dada pelo meu querido Presidente é que, para minimizar os contratempos causados pela impugnação… os governos haviam decidido lançar o projecto de concepção construção do edifício da cadeia logo que fossem iniciados os trabalhos de modelação do terreno, depois do Tribunal decidir o processo de impugnação do concurso feito por um dos concorrentes. Ora, diz Ernestina, como o Tribunal Administrativo… leva pelo menos dois anos para tomar uma decisão, como se viu com o processo da Incineradora de Resíduos, temos assim, dois anos para esperar pelo Tribunal, mais um para concluir o processo concursal, depois mais dois para retirar um poderio  de toneladas de bagacina, mais um ou dois para concluir o processo do concurso… Com tudo isso passaram entretanto seis anos… Se contarmos depois com o tempo para construir o complexo… só para 2035 haverá nova cadeia, se não houver outros escolhos pelo caminho… Ernestina diz que não entende a razão porque é que se teima em destruir um monte que vai custar uma pipa de massa para implantar no local a cadeia, quando há certamente outros terrenos que poderiam ser adquiridos talvez mais baratos do que o custo do desaterro que se vai fazer… Ernestina diz que vai pedir o estudo de impacto ambiental que até agora todos ignoram… e parece que ninguém quer contestar tal vazio!


Meus queridos! Esta semana o que deu foi falar a manifestação do pessoal da Polícia e da GNR. O meu querido Primeiro-Costa não esteve com meias medidas e pôs trancas à porta com toneladas de betão e ferro a vedar o Parlamento e suas adjacências… que vão dar à residência oficial do Primeiro-ministro…. mas tudo acabou por ser bem diferente da onda de 2014. Desta vez, as coisas decorreram em paz e deu para perceber as ausências dos instigadores de então que agora nem tugiram nem mugiram… Quem esteve nas suas quintas foi o deputado Chega Ventura que agora parece ser o defensor da Segurança e que vai conseguindo cada vez mais popularidade e visibilidade. Nem sabia que nas listas do deputado Ventura… vários agentes da Policia e da GNR figuraram como candidatos do Chega nas eleições a deputados à Assembleia da República… A minha amiga Josefina que é muito entendida nessas coisas da politica disse-me que é preciso ter cautela com o deputado André Ventura, porque em Espanha o partido populista da direita Vox engoliu há poucos dias o partido Ciudadanos em Espanha… Mas como sou uma mulher de cortar a direito, (não confundir com direita política), quero dizer aqui que da mesma forma como não gostei de ver a forma como foi vestido o assessor do Livre para a primeira sessão do Parlamento, também não gostei de ver o deputado Ventura dentro da Assembleia vestido de camisola da manifestação e com o descaramento de dizer que era para ser diferente… Ficou muito feio e nem nos vales e caminhos populistas isto fica bem… Qualquer dia, se houver uma manifestação de nudistas, quero ver se o deputado Ventura ou outro qualquer que a defenda, se se vai apresentar em pêlo … Haja respeito!

Ricos! No velhinho e sempre renovado Diário dos Açores, li num dia desta semana que os divórcios nos Açores estavam a diminuir e que em 2017, tinham sido menos cerca de 80 do que no ano anterior. Pudera, diz a minha prima Teresinha. Quase já não há casamentos! Como é que há-de haver divórcios? Agora a moda é junta, separa quem ninguém tem nada a ver com isto e as casas dos papás e das mamãs estão sempre abertas para receber os piquenos e as piquenas desiludidas dos seus desaires amorosos. Mas o mais engraçado para a minha prima, é quando vê nas estatísticas que o mês do ano com maior número de divórcios é o mês de Janeiro e é no mês de Agosto que se registam menos separações… Pois! Quando o Natal acaba mal ou quando as ofertas não foram a gosto ou o réveillon deu para o torto, lá vem divórcio em Janeiro… Mas como Agosto é tempo de férias, quem é que se lembraria de as interromper para se enfiar numa repartição a tratar de papéis para a separação? Há estatísticas para todos os gostos e feitios!

Meus queridos! Bem dizia a minha prima Jardelina que este Governo do Primeiro-Costa, pela sua grandeza não ia caber todo na capital do Império. E vai daí que já há secretarias de Estado que estão a ser levadas para as terras de naturalidade dos respectivos titulares. Para Castelo Branco voou a Conservação das Florestas e Ordenamento do Território. Valorização do Interior vai para Bragança e Acção Social vai apara a Guarda. Assim mesmo... cada governante já pode puxar a Secretaria para a sua terra... Imaginem que isto acontece nos Açores. Vai ser preciso mais uma SATA… para acudir ao aumento da mobilidade interna… Cá para mim, com a euforia que vai na Administração Pública para que tudo seja feito on line e com o mínimo contacto com os utentes, assim como acontece noutros serviços, qualquer dia vai haver uma directiva para que os funcionários passem a trabalhar em casa, que é mais cómodo, e gasta-se menos luz, água e papel higiénico nos serviços… Mas, há uma excepção… que são bancos, que andam como melgas atrás dos clientes para irem aos balcões actualizar os seus dados, pessoas… Não lhes chegam os que lá têm e que não se alteram com o passar dos anos, a não ser que mudem de sexo ou de nome… Há coisas que não me entram na “caixa”,… mas talvez seja da idade!

Ricos! A TAP anunciou esta semana que vai voltar a voar de Ponta Delgada para Boston, o que fez muitos emigrantes açorianos nos States baterem palmas de contente, depois das passas do Algarve porque passaram nos últimos anos com os atrasos e cancelamentos que estragaram as férias de muita gente que jurou nunca mais pôr cá os pés… mas que agora já estão a pensar doutra maneira porque a saudade bate mais forte. E não é só os emigrantes, mas também muitos americanos que querem vir conhecer os Açores, como me diz a minha comadre Amelinha, que priva com eles todos os dias... Agora, o que eu ainda estou à espera é que venham os do costume e do lugar do costume dizer que a decisão da TAP de voar para Boston também é uma contrapartida camuflada pela Base das Lajes… Sim, porque não se pode falar das Terras do Tio Sam, sem que venham alguns lembrar a mesma história… Já lá vai a Delta!

Meus queridos! Morreu esta semana o músico e compositor José Mário Branco. Lembro-me bem que quando eu era jovem e nos meus arroubos revolucionários, ficava ali, sentada a ouvir as suas músicas no meu velho gira-discos de agulha, com o vinil de 33 rotações a rodar e a deliciar-me. Tudo passa, mas ficam as memórias e no caso concreto de um revolucionário que até recusou uma condecoração que o Presidente Marcelo lhe queria dar. Quando ouvi a notícia, lembrei-me logo do meu querido D. António, que nos últimos tempos do seu governo na Diocese fez uma fornada de cónegos para o Cabido da Sé e aí também houve alguns padres que recusaram a distinção. Um dia também há-de saber-se quem foram…

Meus queridos! A gente sabe que em política, e principalmente quando se aproximam as eleições, há sempre a tentação de uma linguagem mais agressiva, nem que seja para ter mais eco e para ganhar mais espaço entre quem gosta de comentar. Mas também não precisa exagerar. Quando a gente sabe que a Saúde, no país e nos Açores, anda pelas ruas da amargura e que o pilim não chega para tudo porque outros valores mais altos se levantaram, dói muito ouvir que as queixas que sobre o Serviço de Saúde não passam de lamúrias. A minha prima, que espera uma consulta há mais de seis meses, com dores nas cruzes que só ela sabe, ou o marido, que está há tempos sem fim à espera de médico de família, que até prometeram que era para Setembro, quando acabava a lista de espera para ter médico de família, ou que espera um tempão por uma Junta Médica, só para poder ter isenção das taxas moderadoras, até agora fica com vergonha de falar, porque não passa de uma lamurienta. É preferível que os políticos reconhecem as  insuficiências em vez de inventar e serem mais papistas que o Papa!

Print
Autor: CA

Categorias: Maria Corisca

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima