Parque Fotovoltaico de Santa Maria vai ter 3.600 painéis solares e vai custar um milhão de euros

Vai custar um milhão de euros e terá instalados 3.600 painéis fotovoltaicos e 40 inversores, com uma potência de 1 MegaWatt o Parque Fotovoltaico do Aeroporto de Santa Maria, cuja primeira fase vai ser inaugurada em Janeiro de 2020.
A EDA Renováveis arranca, assim, a campanha no campo da energia solar com este Parque Fotovoltaico prosseguindo com o “alvedrio de aproveitar ao máximo todos os recursos endógenos existentes na Região.
Este é um projecto piloto que se desenvolve em Santa Maria junto à emblemática rotunda do Açucareiro, antiga porta de armas da base militar aérea.
Este projecto foi dividido em três empreitadas, sendo elas a construção civil da Subestação e infra-estruturas  exteriores, a empreitada para a construção do centro electroprodutor – subdividida em duas fases – e a empreitada para o fornecimento e montagem dos equipamentos da Subestação e ligação à rede de média tensão.
Na primeira fase, serão instalados 2.160 painéis fotovoltaicos e 24 inversores, gerando uma potência total de ligação à rede de 600 KiloWatts. A nível de potência injectada, representa cerca de 18% da potência total da ilha durante o período diurno.
Conciliando com o Parque Eólico do Figueiral, estimam-se medidas entre 35% e 40% de penetração de renováveis na rede durante o dia, podendo chegar aos 50% nos dias com bons recursos solar e eólico.
Segundo  a EDA Renováveis, “se for verificada esta boa gestão de renováveis na rede”, será accionada a segunda fase do Parque Fotovoltaico do Aeroporto. Nesta fase serão instalados mais equipamentos, perfazendo um total de 3.600 painéis fotovoltaicos 40 inversores, contemplando uma potência de um MegaWatt, representando cerca de 30% da potência total da ilha.
A EDA Renováveis estima que os valores de penetração das renováveis subam para cerca de 50% nos períodos diurnos e, em casos excepcionais, poderá haver potências de 60% de penetração de renováveis na rede.
Na primeira fase do Parque Fotovoltaico do Aeroporto, estima a EDA Renováveis que as produções ultrapassem um GigoWatt/hora anuais, cerca de 5% de penetração de energia na rede. Após a conclusão da segunda fase, estima-se que ultrapasse os 1,6GigoWatts anuais, cerca de 8% da energia total produzida na ilha.
A EDA Renováveis prevê que a primeira fase desta obra esteja concluída no final do mês de Janeiro, tendo um custo global de um milhão de euros.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima