“Na próxima época vamos ter todos os escalões de futebol”

Há quanto tempo está no cargo?
“No Vale Formoso estou desde que nasci, praticamente cresci dentro do clube. Meu pai, na altura jogador foi o primeiro a ter um filho e com 5/6 anos comecei a ir para os treinos do futebol com ele, e até ia às reuniões de assembleias gerais, acompanhava-o, porque gostava daquele ambiente e da amizade. Quando tive idade para jogar, estive dois anos nos seniores, mas depois interrompi durante quatro anos por causa da vida militar e ao regressar, abracei o dirigimos, tendo sido eleito Presidente em 2003”.

Fale-nos um pouco da história do clube…
“O Futebol Clube Vale Formoso foi fundado em 1971, antes já havia Vale Formoso, mas sem ser de forma oficial, foi fundado à imagem do Boavista, sem nunca ter sido filial, um pouco para fugir ao habitual, que eram os clubes “grandes”, se bem que nas Furnas havia alguns adeptos, mesmo do Boavista. Em pouco tempo, na época 1978/79 foi campeão da 2.ª Divisão de São Miguel e na época seguinte, em 1979/80 foi campeão da 1ª Divisão de São Miguel, não conseguindo ser campeão açoriano. Na época 1981/82 venceu a Taça de Honra, depois viveu uns altos e baixos, e em 1989/90 foi novamente campeão da 2ª Divisão, voltando depois a viver umas épocas menos boas. Desde 2009, quando decidimos reabrir e estruturar o FC Vale Formoso já ganhou 2 campeonatos de São Miguel (2013/14 e 2016/17), 4 Taças de Honra (2012/13, 2013/14, 2016/17, 2018/19), 3 Participações no Campeonato de Futebol dos Açores (2014/15,2015/16, 2017/18), 2 participações na Taça de Portugal (2017/18 e 2018/19) sendo que na época passada conseguimos atingir a 4.ª eliminatória, mas fomos eliminados pelo CD Tondela (I Liga), que nos deu uma grande projecção nacional”. 
 
Quais são as expectativas para a presente temporada, em todas as modalidades?
“Actualmente só temos a modalidade de futebol, se bem que nos próximos anos temos em horizonte alargar esse leque. No futebol estamos a apostar na formação e esta época só não temos o escalão de Juniores, mas já estamos preparando a próxima época com este escalão. Assim iremos ter, pela primeira vez na história do clube, todos os escalões de futebol, e isso implica uma grande logística e coordenação, mas estamos preparados e temos colaboradores muito competentes para termos escalões competitivos e formadores. No escalão sénior também houve uma renovação e estamos em processo de evolução e com um plantel de jogadores com muita qualidade, e que nos dão muitas garantias de um excelente futuro.”
 
Em termos financeiros, como está o emblema que dirige?
“O Vale Formoso não é um clube rico, sobrevive com alguns apoios e com a ajuda de muita gente, que gosta do clube e reconhece o trabalho que se faz. E também com muitos eventos, que ao longo do ano vamos realizando.”
 
 E ao nível de infraestruturas, de treino e jogo?
“Temos o nosso Complexo Desportivo, que é utilizado apenas pelos nossos escalões, o que nos dá alguma independência e condições para podermos planear treinos, etc. Mais recentemente, temos o Pavilhão Multiusos das Furnas, que nos alarga também o poder de oferta em modalidades e outros desportos que estamos planeando”.
 
Os meios financeiros colocados ao dispor do clube, através dos contratos programas, são suficientes para a formação, ou nem por isso?
“Os contratos programa nunca serão suficientes, actualmente são relativamente baixos, mas ajudam no financiamento e planeamento da formação. Penso que deviam ser revistos, mesmo como um incentivo aos clubes para poderem abranger mais jovens e mais escalões. Considero também, que o escalão sénior devia ser abrangido pelos contratos programa, porque o escalão sénior de ilha não tem qualquer apoio da Direção Regional do Desporto.”
 
E além dos contratos programa, mais algum apoio?
“Apoios temos os contratos programas da DRD, Câmara Municipal e alguns protocolos que serviços que prestamos. Contamos ainda com o apoio dos nossos patrocinadores, sócios e adeptos, e da venda de camisolas e material de Merchandising do clube, e claro, alguns eventos.”
 
Comparativamente com o passado, como vê a evolução do desporto açoriano?
“Comparativamente ao passado, a evolução a nível de quantidade das equipas e jogadores diminuiu muito no geral. No entanto, em termos de condições melhorou imenso com os clubes todos a terem relvados sintéticos, treinadores com muita formação, etc. Agora, se a qualidade hoje é maior ou menor que antes, isso é relativo e não posso comparar, por este mesmo motivo, porque as condições eram outras”.
 
O que falta ao atleta açoriano para evoluir?
“Falta competitividade e mentalidade desportiva, se bem que tem melhorado ao longo dos últimos anos e já vemos muitos jogadores açorianos em equipas no continente a jogarem e terem sucesso. Mas regionalmente, a competitividade ainda é uma falha grande, porque na formação são 2/3 clubes a tentarem recrutar os melhores jogadores e depois não tem competitividade quando jogam com as outras equipas, depois vem as fases nacionais e nota-se essa falta.”
 
No clube e nos escalões, há elementos do sexo feminino?
“No Vale Formoso temos, nos escalões mais novos, uma miúda. Já houve alturas que tivemos em escalões de Sub-10 e Sub-13, mas depois perdeu-se a continuidade dessa formação, mas vamos também nos próximos anos tentar alargar a equipas femininas e seguir a tendência nacional nesse aspecto.”

JA/MS

Print
Autor: CA

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima