14 de dezembro de 2019

Entre as palavras redondas e as ações com sentido

Ponta Delgada, com cartaz tardio. Como sempre.

Soube-se há dias que Ponta Delgada terá um programa para o fim de ano. É sempre mais do mesmo. Programa apresentado à última hora, o que não permite planeamento para quem reside ou viaja nas férias natalícias para São Miguel. 
Os turistas optam por vir para São Miguel, ficar em Ponta Delgada, sem qualquer relação com o atrasado cartaz de fim de ano. Esta é, e sempre foi, a forma de agir de José Manuel Bolieiro. Palavras lestas e redondas, ações lentas. Sem previsibilidade, sem estratégia, mas chamando a si, descaradamente, os frutos do aumento de turistas em Ponta Delgada, com entrevistas e outdoors: “Em Ponta Delgada você está no centro mundo”. Assim é fácil. À custa do trabalho de outros, sem qualquer cooperação. Cooperação, ação exigível em práticas políticas do presente e futuro. 
São promoções políticas… à custa de outros e com palavras redondas.

103.161

103.161 é o número de passageiros desembarcados no mês de novembro de 2019, aumento de 10,9% face a novembro de 2018. Os passageiros estrangeiros representaram um acréscimo homólogo de 23%. 
As ilhas com maior número de passageiros desembarcados em novembro foram de São Miguel, Terceira e Faial (com crescimento homólogo mensal de 8,9%).
Há muito trabalho, estratégia e boa oferta de produto que levaram à certificação dos Açores como o único arquipélago do mundo classificado como um destino turístico sustentável pela EarthCheck. Promoções políticas suportadas em números, em trabalho, sem palavras redondas e com ações com sentido.
 

Print

Categorias: Opinião

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima