19 de dezembro de 2019

PISA 2018: agenda política acima da agenda educativa?

Os resultados do Teste PISA 2018 foram conhecidos. Nos Açores os resultados não são positivos. Porém, acompanhamos o padrão decrescente na média dos três domínios a nível nacional e nos países participantes. 
O teste PISA é elogiado e criticado. Os resultados devem-nos convocar a refletir, mas nunca avaliar um sistema educativo com base em respostas de 137 alunos em 8 escolas açorianas.
A amostra e a incoerência política
Em 2014 foi decidido que o PISA 2015 seria com base em sobreamostragem (1577 alunos e 47 escolas dos Açores). O PPM e o PSD argumentavam, então, que a amostra de 1,6% do PISA 2009 não era estatisticamente relevante para aferir dos resultados. Em 2019 perante uma amostra de 2,1% esta passou a ser estatisticamente relevante. Incoerências atrozes.
A incoerência política 
O PPM em 2014 garantiu: “não vou utilizar resultados (…) como arma de arremesso contra o Governo”. No debate parlamentar nada mais fez do que utilizar os resultados do PISA contra o Governo dos Açores. Uma agenda política que está acima da agenda educativa. 
A deputada do PSD que hoje critica o Governo dos Açores é a mesma voz que até 31 de julho de 2016 elogiou as políticas dos Governos Socialistas. Uma agenda particular que está acima da agenda educativa. 
Que confiança e credibilidade política geram estes partidos e seus protagonistas?
Para que os resultados possam fazer um caminho diferente, há que: 1) considerar sobreamostragens - só desta forma se terá uma perceção global de uma Região Ultraperiférica - ; 2) valorizar os testes PISA, PIRLS, TIMMS e provas de aferição por toda a comunidade educativa, mesmo que esses instrumentos não influenciem na nota final de cada aluno; 3) afirmar uma intransigente aplicação da Autonomia e Flexibilidade Curricular e do PROSucesso quando focados e delineados para a capacitação de cada aluno e 4) considerar que o PISA avalia competências básicas de jovens de 15 anos, pelo que é igualmente exigido a esses jovens que o seu percurso pessoal e educativo - alicerçado pelo pensamento crítico e criativo - vá para além do momento aula com forte empenho familiar e envolvimento social e cultural.
O PS/Açores é o partido que coloca a agenda educativa acima da agenda política - e muito há a fazer para o preenchimento da agenda educativa  -, procurando sempre mais e melhores soluções e corrigindo caminhos quando é necessário. É o partido que todos os dias trabalha para renovar a confiança dos cidadãos.
 

Print

Categorias: Opinião

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima