22 de dezembro de 2019

Sentir o bem que é a liberdade

1- Um grupo de alunos da Escola Profissional da Ribeira Grande, situada na Vila de Rabo de Peixe, regressarem da Turquia, que é um grande país, parceiro da União Europeia e membro da NATO, mas com uma cultura muito diferente.
2- A viagem que fizeram no âmbito do Programa ERASMOS, durou uma semana, e pelos vistos, para além da importância académica e formativa que teve um resultado extraordinário, porque os jovens sentiram as diferenças culturais existentes na Turquia e aprenderam, “a sentir a liberdade que temos e não sabíamos”, tal como declararam na entrevista dada ao Jornal Correio dos Açores.
3- Referimos este episódio porque a declaração daquele grupo de jovens repõe uma verdade que anda afastada da sociedade que não sabe o real valor da liberdade que tem, porque são gerações que já nasceram em liberdade, e os que foram parte aquando da sua conquista, não têm sabido explicar às novas gerações quanto custou a liberdade. 
4- Daí a importância de ensinar a História recente nas escolas e nas famílias para manter viva a memória que ajuda a formar o cidadão e abrir os caminhos para futuro.
5- A liberdade é um bem incomensurável, mas hoje rodeado de perigos que são gerados pelas insuficiências das democracias, e sobretudo, pela mediocridade dos agentes que assumem responsabilidades na Rés Pública.
6- Porém, é preciso separar a liberdade da libertinagem que os useiros das redes sociais tomam como a sua liberdade, quebrando linhas de decoro e convivência, enterrando dessa forma a verdadeira Liberdade. 
7- Igual cuidado deve revestir o debate político, e o que tem sido feito à volta da Saúde, e no caso, do Serviço Regional de Saúde da Região, tem pecado por ser feito de casos pontuais, sem cuidar de ir à origem do mal, que passa pela gestão das unidades hospitalares e do cabal aproveitamento dos competentes médicos, enfermeiros e auxiliares que neles prestam serviço.
8- É difícil, mas a Saúde, precisa que se crie uma cultura capaz de gerar um serviço que trabalhe em rede, liberto dos excessos burocráticos introduzidos a miúdo no sistema, por vezes para suprir a incompetência de uns e combater o individualismo de outros.
9- Há um conjunto de poderes criados à sombra do poder legítimo, que em muitos casos ultrapassam, por palavras e acções o próprio poder que lhes foi permitido, gerando conflitos que obrigam depois à intervenção da Justiça, o que se torna desde logo indesejável para o próprio regime democrática, pois prova que o poder político falhou, como foi o caso agora vindo a publico sobre o chamado “Vale Saúde”.
10- A Região tem poderes para fiscalizar e auditar os serviços administrativos sob sua tutela e depois de serem levantadas suspeitas sobre o funcionamento ou cumprimento dos contratos celebrados por esses serviços, a primeira atitude do Governo seria determinar uma auditoria pelos seus próprios serviços de inspecção, em vez de deixar o caso apodrecer. 
11- A liberdade é um bem incomensurável, mas deve ser usado na devida conta para que não se torne numa ameaça a si mesma.

Print

Categorias: Editorial

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima