5 de janeiro de 2020

Recados com Amor

Meus Queridos! A semana foi marcada pela entrada do Ano Novo, com muita festança, fogo-de-artifício e bailes para todos os gostos... uns ao começo da noite e outros que se seguem depois da meia-noite para espairecer o corpo e esquecer as agruras de 2019. Cá por mim, juntei as minhas amigas para um serão na minha casa na Rua Gonçalo Bezerra, onde foi servido um repasto com uns saborosos torresmos de caçoula com bolo da sertã, acompanhados de uma boa pinga vinda da Ilha Montanha. Não faltaram os doces apropriado,s com distinção para as saborosas queijadas da Vila e as D. Amélia vindas da Pastelaria Anastácio, da Ilha de Jesus… No meio desse convívio deu ainda para seguir na RTP/Açores a chegada épica do meu querido Presidente Marcelo à ilha que franqueia a entrada no território da União Europeia, e que é a mais pequena em dimensão, mas igual às demais que juntas formam os Açores. O serão passou-se em amena cavaqueira… e não faltaram as previsões para o ano de 2020, que será um ano de eleições, e por via disso, já se sentem por aí as trombetas a anunciar o céu e a terra aos incrédulos e aos de boa vontade que acreditam em milagres… A minha comadre Germana diz que já não vai em cantigas… e quer saber, preto no branco, quais serão as propostas dos vários partidos concorrentes às eleições… para depois poder decidir pela razão e não pelo coração… Diz ela, que a vida está pela hora da morte, sem se poder chegar à carne e ao peixe, porque não há dinheiro para pagar os preços loucos que vai no mercado… Germana diz que os ecologistas podem ficar descansados porque dessa forma vamos cumprir todas as metas por eles propostas para reduzir a pegada ecológica…. porque a carne, com o preço que está, só se pode comer nos dias de baptizados, pela primeira comunhão e pela festa da padroeira… e isso vai ser um grande contributo, mesmo que forçado por falta de rendimento próprio… Quanto ao peixe, apesar das abundantes pescarias feitas… dificilmente chegam à mesa do cidadão comum, porque voam para a estranja e restaurantes, e assim ficamos reduzidos à raia e aos chicharros… estes enquanto não virarem prato de luxo na restauração cá do burgo… Ou seja 2020 chegou cheio de nuvens e chuva… coisa que cá para mim é para durar, se isso não levar uma grande volta !


Meus Queridos! Como sabem, no dia 1 de Janeiro de 2020 fez 40 anos que a Terra tremeu nos Açores, destruindo metade da Terceira e São Jorge e deixando muitas mazelas na Graciosa. Houve 73 mortos, 400 feridos e 20 mil desalojados. A RTP/Açores fez um trabalho excelente que relembrando o passado, deixa para memória futura testemunhos vivos de quem sentiu as dores do abalo e quem teve responsabilidades na reconstrução que foi um exemplo de cidadania e da capacidade governativa em criar uma estrutura que permitiu apoiar no terreno todos os necessitados… A minha prima Maria da Praia que foi também vitima do sismo de oitenta, telefonou-me para partilhar comigo o que naquela altura viveu… e à conversa, veio um artigo que ela diz ter lido do meu querido antigo governante José Contente, a propósito de sismos, no qual ele afirma que os sismos o “acompanham”, … e Maria da Praia acrescenta que ele tem razão …. porque a confusão que ele estabelece no artigo entre os sismos havidos entre 1980 e 1998, na ânsia de refazer a história desse período é delirante… e para uma pessoa de bem, só o pavor dos sismos que o acompanham… pode levar às conclusões que ele quis tirar… Maria da Praia acrescenta que aqueles que têm pouca história para contar é que têm pavor da verdade histórica que acaba sempre por vir ao de cima… 

Ricos: O espanto foi geral aqui na minha cidade norte, quando souberam da eleição da nova Direcção do Lar Bernardo Manuel da Silveira Estrela, rebaptizado agora de Centro de Apoio Social e Acolhimento. E pelo que me disse a minha prima Perpétua… não é para menos… pois a simpática Maria de Lurdes Alfinete vai presidir à nova Direcção do Lar, composta só por mulheres. Perpétua diz que nas esquinas das ruas da cidade… muita gente interroga-se e não percebe a razão desta feminina lista… e há até quem diga, que tal opção, poderá fundar-se no “empowerment” usado pelos movimentos feministas em vários países…. Eu que não sou mulher de enredos, estou do lado dos que defendem a igualdade de género, dura e justamente conquistado nas sociedades modernas, mas há coisas que nem lembram ao diabo mais velho e tudo tem de ter o seu peso e medida. A minha prima Perpétua diz que o marido acha que a Direcção do Lar tal como está composta é uma descriminação ao sexo masculino, pois que a Direcção que sucedeu a Marco Sousa, até os elementos suplentes são mulheres. Juro que se o fundador daquela instituição ressuscitasse, morreria de imediato chocado com o que estão a fazer com o legado que deixou…. Valha-nos Nossa Senhora da Estrela que está a chegar ao seu dia.

Meus queridos! Muito contente fiquei quando li no jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio que vai o ser o novel Cardeal Tolentino de Mendonça a presidir às Festas dos Senhor Santo Cristo, lá para meados de Maio, em Ponta Delgada. Depois de no ano passado termos tido por cá um ilustre jorgense, D. José Avelino Bettencourt, Núncio Apostólico do Papa na Geórgia e na Arménia, agora é a vez de outro ilhéu, natural da “pérola do Atlântico”, poeta, pensador e teólogo, chefe dos Arquivos do Vaticano e notável orador sacro dos nossos tempos. A minha prima Jardelina está rezando ao Senhor Santo Cristo para que o meu querido Reitor do Santuário, Cónego Adriano, peça ao ilustre visitante que mande ver se nalgum canto escondido dos arquivos de Roma há algum processo de beatificação de Madre Teresa, já que nunca se soube ao certo se há processo ou não há processo… e também parece que para o meu querido Bispo Lavrador e a algumas hostes do seu cabido isto é coisa sem interesse… Mas vou seguir com atenção a presença e as palavras do ilustre autor do “Pai Nosso que estais na Terra”…

Ricos! Uma das fotografias mais divulgadas pela Presidência da República e publicadas em muitos jornais e revistas, sobre a visita do meu querido Presidente Marcelo ao Corvo, mostra o rico e a sua comitiva no meio de vento e nevoeiro, a tentar desmistificar a ideia de que nos Açores está sempre a chover… E logo com aquela foto! Até parecia o D. Sebastião achado por um grupo de caminheiros… Ao menos mostrassem a foto do mergulho no Porto da casa que parece que foi o único momento em que houve uma olhadela de Sol durante a noite presidencial no Corvo… Há cada uma!

Meus queridos! A minha prima Teresinha tem a mania de dizer que “está tudo grosso” quando vê alguma coisa mal por aí… E eu acho que está mesmo… Então, lá para os lados da rectângulo andam a agredir médicos e médicas, dia sim, dia sim, e sempre os da mesma raça, e vem a Ministra dizer que quer ter o assunto resolvido até ao final do ano? Até arregalei os olhos quando ouvi tamanho dislate… Uma coisa que era para estar resolvida ontem, ainda tem de esperar um ano e vamos continuar a ver os médicos de olhos negros e as mesas a voar nos consultórios… Está ou não está tudo grosso? E onde estão agora os defensores destas minorias? Calados como ratos agora…, quando se apresentam sempre prontos a defender agressores e a esquecer as vítimas. A sociedade de tolerância está a criar os monstros que a estão já a devorar. Oh se está!

Ricos! A minha prima da Rua do Poço foi há dias com uma amiga de peito à missa da noite da Igreja de São José que é sempre muito concorrida por assinalável grupo de habitués. Só que ao sair, ia-se partindo toda, com o escuro que vai por ali naquele Campo do Senhor. Mesmo depois das obras que ainda não consegui engolir e que pouco vieram trazer de novo ao velho espaço, ainda não percebi porque nunca mais acenderam os projectores que iluminam as fachadas do Santo Cristo e de São José. Não sei se é por economia do pilim da luz, ou por os ditos cujos já terem entregado a alma ao criador… Mas agora, e com luz led, não faltam sistemas baratos de iluminar aqueles espaços. A cidade merece…

Meus queridos! Li esta semana no velhinho e sempre renovado Diário dos Açores que há uma empresa do Pico que está a fazer uma experiência de envelhecer vinho no fundo do mar… Quando contei isto à minha prima Maria do Pico, ela disse-me logo que agora é que ia crescer o número de mergulhadores, à caça do tesouro… pois as ditas cujas garrafinhas devem ser um rico pecúlio. Até me fez lembrar o tempo em que se ia colocar o tremoço a curtir nas poças de mar, coberto de pedras… Havia sempre quem descobrisse o esconderijo e quando o dono lá chegava, já alguém tinha estado à frente. Agora em vez de Whale Watching… vamos ter Wine Watching…

Ricos! Mesmo assim, o sol já veio dar um ar de sua graça nestes dias de Inverno que parecia que não iam ter fim. Mas quando li esta semana que está perto de entrar em funcionamento o sol artificial chinês, até fiquei de olhos em bico a pensar se não seria bom encomendar um desses aqui para os Açores… É que o dito cujo dá não sei quantas vezes a temperatura do astro rei e dessa forma a gente até podia ter sol de noite e tudo… Cá para mim, lembrei-me de como há-de a minha prima Imaculada acreditar num sol artificial… se ela continua a teimar que ainda não foram à lua?...
Meus queridos! Dizem as estatísticas que em Dezembro havia no país mais de dois mil professores com baixa… E ainda não tinha começado o pico da gripe! Grande epidemia vai para aqueles lados. Mas também há que pensar que mais da metade dos professores já tem mais de 40 ou 50 anos, ou seja, é uma classe envelhecida. Daqui a dias os alunos em vez de ir para a escola vão aos lares de idosos… Mas é assim mesmo, porque quem semeia ventos colhe tempestades!

Print
Autor: CA

Categorias: Maria Corisca

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima