Fuga de utente no Internamento de Agudos da Psiquiatria do HDES leva a reforço de medidas de supervisão e internamento

A fuga de um utente internado no Serviço de Internamento de Agudos de Psiquiatria do Hospital do Divino Espírito Santo (HDES), no passado Domingo, levou a que fossem “reforçadas as medidas de supervisão e medicação no internamento” no internamento em causa.
No passado Domingo, dia 5 de Janeiro, terá sido avistado em Ponta Delgada, mais precisamente nas redondezas da Escola Canto da Maia, um indivíduo que se encontrava vestido de pijama, robe e chinelos e que, alegadamente, teria, de alguma forma, conseguido escapar do respectivo serviço de internamento do Hospital do Divino Espírito Santo.
Questionando o Gabinete de Comunicação do Hospital de Ponta Delgada, este confirmou o sucedido mas esclareceu ao ‘Correio dos Açores’ que no mesmo dia o doente regressou ao internamento de onde fugiu.
Por outro lado, o hospital esclarece que, apesar do sucedido, “ao longo dos anos tem vindo a efectuar melhorias contínuas no sistema de segurança do Internamento de Agudos de Psiquiatria”.
A unidade hospitalar completa, no esclarecimento, que, perante o ocorrido, “foram de imediato accionados os procedimentos de alerta e busca”, permitindo assim que o doente tenha regressado ao hospital no mesmo dia.


HDES afirma que ajuste no horário de farmácia é justificado

O Hospital do Divino Espírito Santo esclareceu ontem que o novo horário da Unidade de Venda ao Público da Farmácia do Hospital Divino Espírito Santo, funcionando agora entre as 10h00 e as 17h00 de forma ininterrupta é o horário mais acertado.
Apesar de as justificações apresentadas pela direcção dos serviços farmacêuticos, afixadas à porta da referida farmácia hospitalar, indicarem a falta de recursos humanos como um dos principais factores que levaram ao ajuste do horário, a direcção do hospital indica que embora “no início de 2019, esta unidade tivesse um horário mais alargado, ponderada a actividade da mesma, não se justifica estar em actividade por mais tempo, do que o actual”. Assim sendo, apesar de as urgências funcionarem durante 24 horas, o hospital adianta ainda que o horário actual é o indicado por esta ser “uma unidade de venda de produtos farmacêuticos que apenas disponibiliza medicamentos a utentes com receita médica passada pelo Serviço de Urgência e altas de internamento”, que é também responsável pelo abastecimento de todos os produtos farmacêuticos pelas diferentes áreas hospitalares”, indica.                

 

Print

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima