Comunidade açoriana da Nova Inglaterra alia-se à campanha: “Queremos levar a Margarida dos Açores a Boston”

 Margarida Fontes nasceu com problemas respiratórios pontuais e cresceu como uma criança normal. Contudo, há pouco mais de um ano, foi-lhe diagnosticada uma doença respiratória crónica grave que a prendeu a uma máquina de oxigénio.
A menina Margarida vive na ilha do Pico e o seu maior desejo é ser uma menina igual às outras e libertar-se daquilo que considera parecer um cadeado que a prende a uma prisão.
Segundo uma equipa médica que a acompanha, só quando completar dez ou doze anos, dependendo da estatura física, poderá fazer um transplante em Barcelona, Espanha. E mesmo assim terá que esperar sempre pelo pulmão de uma criança que tenha acabado de morrer. “Pede-se bom senso”, afirma o médico Sérgio Pinto que a segue, esclarecendo que há um tratamento previsto para Margarida e o transplante tem que ser sempre avaliado previamente.
Numa publicação na sua página do Facebook, o médico refere que a menina é apoiada por uma equipa de enfermeiros, médicos e outros técnicos de saúde, do Pico, do Faial e de Lisboa, que prestam os melhores cuidados e têm definido um projecto terapêutico a longo prazo, que os pais conhecem, validado pelos melhores especialistas na área em Portugal.
“A Margarida tem uma doença crónica e ao mesmo tempo uma alegria contagiante. A Margarida é mesmo muito especial!”, sublinha o médico.
Os vídeos que Margarida publica mostram como, apesar da sua doença e da barreira dos apetrechos do oxigénio, a menina de apenas sete anos serve de exemplo para todos os que a rodeiam e a seguem.
Entretanto, duas amigas da menina criaram um grupo para ajudar Margarida a voar até Boston, desencadeando-se uma onda de solidariedade e nas redes sociais Margarida foi inundada com novos milhares de seguidores, centenas de donativos e uma oferta especialmente generosa: a viagem que lhe permitirá voar até aos Estados Unidos, para ser transplantada em Boston. Foi mesmo criada uma página para ajudar a jovem financeiramente. São necessários 400 mil euros para a cirurgia.
A empresa açoriana, a Ambatlântico vai assegurar as viagens da menina de sete anos até Boston.
Alexandra Borges, repórter da TVI, que tem promovido várias peças sobre a jovem, afirma que “Margarida é uma menina especial, uma força da natureza e um sucesso nas redes sociais”.
 Concerto solidário em Fall River
a 1 de Fevereiro

Entretanto, este movimento de solidariedade nos Açores encontrou eco na comunidade portuguesa da Nova Inglaterra.
Floriano Cabral, da Promédia Audiovisuais, de Fall River, contactou a família da jovem nos Açores e decidiu organizar um concerto de solidariedade e apoio à menina Margarida, que necessita de um transplante dos pulmões que só poderá ser feito em Boston.
“Decidi avançar com esta campanha de ajuda sabendo que teria o apoio de muita gente aqui na Nova Inglaterra e nesse sentido há já uma resposta muito positiva a esta iniciativa estando já agendado para dia 1 de Fevereiro, um grande concerto com populares artistas e grupos da comunidade, a saber: Eratoxica, Arlindo Andrade, Luís Neves, Casa do Galo, David de Melo, José Nazário, Maurício Morais, Nelson, Nélia, Marc Dennis, Tyler and Ryan, prevendo-se a aderência de outros nos próximos tempos. Ricardo Farias, do Portuguese Channel, será o mestre de cerimónias de um concerto que tem ainda o apoio de Berta Cunha (forneceu o espaço), Richard Raposo (som), Gary Sebastião (som)
“Vamos Levar a Margarida a Boston Concert Fundraiser”, assim de denomina o movimento aqui criado, tem lugar dia 1 de Fevereiro, com início pelas 18h30, no Centro Cultural em Fall River, localizado em 205 South Main Street.          

P.T.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima