Sandra Luís e a sua aposta no Salão Visage – Cabeleireiro e Estética

Os homens não pintam os cabelos na presença das senhoras

Está na profissão há 20 anos e fez a sua formação na Escola Profissional das Capelas, onde esteve durante dois anos e adquiriu as competências na respectiva área.
A nossa entrevistada diz que “esta foi uma área de que sempre gostou desde a infância e até praticava nas bonecas”. 
Quando se matriculou “tinha a opção de escolher mais outras duas áreas”, mas inscreveu-se apenas no curso de cabeleireira. Não queria outra formação, “ou era esta ou não era”, precisou.
Sandra Luís trabalhou primeiro na Calheta, no Salão Cristina, e após proposta foi para a Fajã de Baixo exercer a sua profissão, onde esteve durante quatro anos. Mais tarde foi para o Estético, que quando abriu preocupava-se mais pela vertente estética, implementando mais tarde o cabeleireiro. 
No entretanto, decidiu que era chegada a altura de abrir um salão de cabeleireiro e foi isso que aconteceu na Rua Francisco Cabral há quatro anos.
Desde essa altura, tem vindo a trabalhar, com dias melhores do que outros. “Isto é como acontece no turismo, há épocas altas e outras baixas”.
“Não me posso queixar muito, porque também tenho a minha carteira de clientes” e muitas pessoas que já lhe conheciam, nos locais onde tinha prestado serviço, mantiveram-se fiéis ao seu trabalho. 
Sandra Luís faz “tudo o que uma cabeleireira faz” e não se sente intimidada, no bom sentido, com aquilo que as clientes lhe pedem para executar. Pode ser um corte unissexo, colorações, alisamentos, ondulações, tratamentos capilares, serviço de estética, manicure e pédicure ou gelinho. 
Manter o salão aberto 
e levar a vida por diante

O futuro a Deus pertence, mas as perspectivas passam por “manter o salão aberto e continuar a trabalhar”. Dois desejos essenciais, para conseguir levar a vida por diante, “com paz a saúde”, acrescenta.
A Visage funciona de terça-feira a sexta-feira, das 09h30 às 13h00 e das 14h00 às 19h00. Sábado, das 09h00 às 14h00. Encerra segunda-feira, domingo e feriados. 
Os dias de maior afluência de clientes “variam muito, mas normalmente é à sexta e ao sábado”. As marcações acontecem “com antecedência, mas outras aparecem e perguntam se podem ser atendidas ou não”, naquela altura.
Como curiosidade, fique a saber que um corte de cabelo para homem custa 7,5 Euros, isto porque o salão é unissexo. Contudo, “os homens têm aparecido cada vez mais, em menor número, porque as barbearias têm vindo a reconquistar o seu lugar” no sector da beleza e da estética, “isto deve-se não só às tendências actuais mas também à crescente preocupação que os homens têm no seu visual”.

“Às vezes os homens são mais exigentes”

O homem preocupa-se, cada vez mais, com o seu visual, mas isso não quer dizer que a coloração faça parte do dia-a-dia dos homens clientes do Salão Visage. “Acredito que haja salões que pintam muitos cabelos a homens, mas aqui não, porque é um espaço unissexo e eles não gostam de pintar os cabelos na presença das senhoras, e os que pintam fazem-no em casa”.
Mas, em qualquer profissão “é preciso muita dedicação e espírito de sacrifício para manter uma actividade aberta”.
Mesmo assim, continua a ter os seus clientes de corte de homem. À pergunta, quem é mais exigente, o homem ou a mulher? Responde, que “às vezes, os homens são piores do que as mulheres, em termos de exigências”.
Cortes simples ou complicados? “Depende das idades. Um adulto, normalmente anseia por um corte normal, prático e fácil de lidar no dia-a-dia, ideal para todos os tipos de cabelos. Já os mais jovens gostam muito de imitar certas tendências, e não pode ser parecido, tem de parecer igual”.

Concorrência saudável

O Visage funciona paredes meias com uma outra cabeleireira, mas Sandra Luís consegue conviver bem com esta realidade. “Acaba por ser uma concorrência saudável, porque tenho as minhas clientes e ela tem as suas, e anteriormente já havia um outro salão aqui”.
O turismo costuma ser um bom freguês, até porque na rua e nas imediações existem diversas unidades hoteleiras. Também há quem entre e pergunte se tem vaga, com maior frequência nos meses mais quentes. De Inverno, são as unidades hoteleiras que costumam telefonar a perguntar, se esta ou aquela hóspede pode ser atendida.
Sandra Luís é casada e tem outras duas profissões: “É mãe de uma filha menor de idade, mas também é dona de casa”. Por isso mesmo é que nos seus “tempos livres aproveita ao máximo, a disponibilidade para estar com a família”, principalmente, “porque nesta área o tempo é escasso”.
Do mesmo modo entende que “manter-se actualizada é essencial nesta profissão”, também “para seguir as tendências da moda”.
As formações surgem com o intuito de desenvolver competências para o melhor desempenho das funções inerentes à profissão através da formação teórica e prática e da capacidade técnica.
Para além do mais, o contacto com outras colegas de trabalho também é valido na partilha de experiências.
Os produtos são praticamente os mesmos, mas surgem melhorias, mesmo ao nível das técnicas, como “as escovas progressivas”, procedimento que “alisa os cabelos. Não é tão agressivo como o desfrisar”.

Marco Sousa
 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima