21 de janeiro de 2020

Cartas na mesa

 José Manuel Bolieiro surpreendeu até os seus apoiantes mais entusiásticos ao apresentar-se no Congresso Regional do PSD/Açores com um discurso cheio de conteúdo e determinação, abordando os temas a que atribui prioridade no exercício da liderança, então assumida em toda a sua plenitude. Rigorosamente, não foi um mas dois os discursos por ele proferidos perante os Congressistas e afinal também perante todas as pessoas que seguiram os trabalhos realizados no Auditório Municipal da Madalena do Pico, através dos Órgãos de Comunicação Social e dos meios de difusão pela Internet do próprio Partido. Mas ambos merecem os mesmos qualificativos e a maior atenção, por marcarem a arrancada do caminho para as eleições regionais.
Ficou comprovado o seu profundo conhecimento dos problemas que defrontam a Região Autónoma dos Açores. Para quem, ao longo de uma abnegada dedicação ao desempenho de diversos cargos públicos, teve já responsabilidades de direcção do Grupo Parlamentar do maior partido da Oposição, não é de estranhar a correcta percepção das realidades regionais. Mas José Manuel Bolieiro foi muito mais além, demonstrando ter vindo já a reflectir sobre os desafios do presente e do futuro das nossas Ilhas e do nosso Povo, como que em preparação remota para a assunção da Presidência do Governo Regional.
Tamanha tarefa, que exige a prévia vitória nas eleições previstas para o próximo mês de Outubro, não o amedronta minimamente. Nem tampouco o árduo percurso, em diálogo com os Açorianos, até ganhar a confiança dos mesmos, expressa democraticamente pelo exercício do direito de voto. José Manuel Bolieiro deixou claro que confia em si próprio e na equipa, profundamente renovada, que escolheu agora para dirigir o PSD/Açores e na que virá a seu tempo a escolher para formar um Grupo Parlamentar forte e credível e o próprio Governo da nossa Região Autónoma, tendo em vista tornar realidade as suas propostas políticas. Mais importante ainda é a confiança que professa no Povo Açoriano, convocado para vencer a descrença reinante e triunfar, com esforço e sacrifício, sobre as dificuldades generalizadamente sentidas.
As propostas políticas de José Manuel Bolieiro foram formuladas em termos concretos, não deixando de fora nenhum dos sectores mais destacados da governação. Para fazer de novo funcionar o elevador social e exautorar os penosos sintomas de empobrecimento da classe média e dos trabalhadores com baixas qualificações, propõe o líder do PSD/Açores uma renovada abordagem á Educação. A sua ambição é, no espaço de uma década, retirar os alunos açorianos da cauda dos rankings nacionais e europeus, em que presentemente se encontram, para os situar o mais possível perto do topo dos mesmos, envolvendo escolas e famílias em tão exigente objectivo.
Para a Saúde, para a Agricultura, para o Turismo, para o Ambiente e outra áreas ainda, José Manuel Bolieiro apontou o estado actual e as metas atingir, declarando-se favorável, em concreto, a uma nova Política Verde e a uma nova Política Azul, que salvaguarde o nosso património natural e promova a criação de emprego entre os mais jovens e mais qualificados. Decisivo a este respeito é o compromisso formulado de uma renovada atenção à Universidade dos Açores, ajudando na resolução das carências evidenciadas e contando com o contributo dela para o aprofundado estudo científico das questões regionais e para a solução das mesmas.
Não se ficou pelas matérias programáticas o discurso político de José Manuel Bolieiro. Na iminência de eleições regionais, foram logo clarificados alguns aspectos decisivos da futura actuação do PSD/Açores. O objectivo eleitoral é a vitória, para fazer melhor, em serviço dos Açores e do Povo Açoriano. Só a vitória abrirá caminho à mudança de políticas e de pessoal político, identificadas como necessárias e urgentes, em nome da saudável alternância democrática. Com efeito, 24 anos é muito tempo, muitíssimo tempo mesmo, mais ainda na nossa era de vertiginosas transições! E, no entender de José Manuel Bolieiro, a sociedade açoriana precisa de tais mudanças e ele julga-se apto a liderá-las.
Para isso o novo líder anunciou que o PSD/Açores vai concorrer sozinho em todos os círculos eleitorais da nossa Região Autónoma. O apelo eleitoral é dirigido a todos os Açorianos, os que sempre votaram no PSD/Açores, os que deixaram de votar nele e se remeteram à abstenção, e os que nunca votaram nele e estão desiludidos com outros partidos, ou nem sequer votaram nunca, ou vão votar pela primeira vez. Não falta arrojo a um tal desafio, mas José Manuel Bolieiro atira-se decididamente para a frente, e para a ele se dedicar vai suspender as suas funções de Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada já no próximo dia 2 de Março.
As cartas estão postas na mesa! O PSD/Açores e o seu líder sabem que o adversário joga de dentro da fortaleza que pretende conquistar e por isso em posição de vantagem. Mas José Manuel Bolieiro decidiu jogar tudo por tudo, com confiança, porque a sorte protege os audazes.


(Por convicção pessoal, o Autor
não respeita o assim chamado
Acordo Ortográfico.)   

Print

Categorias: Opinião

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima