23 de janeiro de 2020

Corvinos têm acesso aos mesmos serviços para desenvolvimento agrícola

Aos agricultores do Corvo é dada a igualdade de acesso aos serviços que são prestados noutras ilhas, proporcionando assim as mesmas oportunidades de desenvolvimento do sector agrícola. Quem o diz é o Secretário Regional da Agricultura e Florestas. 
«“Tudo tem sido feito e assim vai continuar para que os agricultores corvinos tenham acesso aos serviços que necessitam para o desenvolvimento da sua atividade, à semelhança do que é assegurado nas restantes ilhas”, frisou João Ponte, que falava numa audição na Comissão de Economia da Assembleia Legislativa.
Relativamente à fixação em permanência no Corvo de um médico veterinário, o governante destacou que, nesta legislatura, o Governo dos Açores já abriu vários concursos para contratar estes profissionais.
João Ponte salientou ainda que, na actual legislatura, o Corvo já teve uma médica veterinária em permanência, que acabou por pedir transferência para o continente devido a situações externas ao serviço, e, até à contratação da nova médica veterinária, entretanto de baixa médica desde agosto de 2019, o serviço foi sempre assegurado através da deslocação regular de profissionais da Secretaria Regional da Agricultura e Florestas afectos a outros Serviços de Desenvolvimento Agrário e da Direcção Regional da Agricultura.
Actualmente está aberto novo concurso para contratar um médico veterinário que, até ao momento, está deserto, apesar do esforço de divulgação que o Governo Regional fez junto das universidades e da Ordem dos Médicos Veterinários, entre outras diligências efectuadas.
“Vamos continuar a garantir a ida de médicos veterinários ao Corvo através de profissionais de outras ilhas, procurando que a permanência destes nesta ilha seja prolongada por mais tempo até ser contratado um novo profissional”, garantiu o governante.
Quanto à proposta de criação de um Serviço de Desenvolvimento Agrário do Corvo autónomo do das Flores, João Ponte salientou que, ao longo dos anos, o Governo dos Açores nunca sentiu por parte dos agricultores, das organizações de produtores e dos trabalhadores dos serviços na ilha do Corvo como sendo esta uma questão prioritária ou necessária, pois sempre foi dado uma resposta cabal às necessidades dos agricultores corvinos.
“Através de uma boa gestão dos recursos humanos tem sido possível prestar todo o apoio necessário aos agricultores do Corvo, com técnicos do Serviço de Desenvolvimento Agrário sediado nas Flores ou outras ilhas”, afirmou João Ponte, acrescentando que o facto da ilha do Corvo não ter um Serviço de Desenvolvimento Agrário autónomo “não tem prejudicado, nem prejudicará o acompanhamento necessário aos agricultores do Corvo” em matérias como a sanidade animal e o apoio técnico, entre outros.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima